Meu Perfil
Um blog de esquerda sobre política, literatura, música e cultura em geral, com algum arquivo sobre futebol. Estamos na rede desde 28/10/2004.



Email: idelberavelar arroba gmail ponto com

No Twitter No Facebook No Formspring No GoogleReader RSS/Assine o Feed do Blog

O autor
Curriculum Vitae
 Página pessoal em Tulane


Histórico
 setembro 2015
 dezembro 2014
 outubro 2014
 maio 2014
 abril 2014
 maio 2011
 março 2011
 fevereiro 2011
 janeiro 2011
 dezembro 2010
 novembro 2010
 outubro 2010
 setembro 2010
 agosto 2010
 agosto 2009
 julho 2009
 junho 2009
 maio 2009
 abril 2009
 março 2009
 fevereiro 2009
 janeiro 2009
 dezembro 2008
 novembro 2008
 outubro 2008
 setembro 2008
 agosto 2008
 julho 2008
 junho 2008
 maio 2008
 abril 2008
 março 2008
 fevereiro 2008
 janeiro 2008
 dezembro 2007
 novembro 2007
 outubro 2007
 setembro 2007
 agosto 2007
 julho 2007
 junho 2007
 maio 2007
 abril 2007
 março 2007
 fevereiro 2007
 janeiro 2007
 novembro 2006
 outubro 2006
 setembro 2006
 agosto 2006
 julho 2006
 junho 2006
 maio 2006
 abril 2006
 março 2006
 janeiro 2006
 dezembro 2005
 novembro 2005
 outubro 2005
 setembro 2005
 agosto 2005
 julho 2005
 junho 2005
 maio 2005
 abril 2005
 março 2005
 fevereiro 2005
 janeiro 2005
 dezembro 2004
 novembro 2004
 outubro 2004


Assuntos
 A eleição de Dilma
 A eleição de Obama
 Clube de leituras
 Direito e Justiça
 Fenomenologia da Fumaça
 Filosofia
 Futebol e redondezas
 Gênero
 Junho-2013
 Literatura
 Metablogagem
 Música
 New Orleans
 Palestina Ocupada
 Polí­tica
 Primeira Pessoa



Indispensáveis
 Agência Carta Maior
 Ágora com dazibao no meio
 Amálgama
 Amiano Marcelino
 Os amigos do Presidente Lula
 Animot
 Ao mirante, Nelson! (in memoriam)
 Ao mirante, Nelson! Reloaded
 Blog do Favre
 Blog do Planalto
 Blog do Rovai
 Blog do Sakamoto
 Blogueiras feministas
 Brasília, eu vi
 Cloaca News
 Consenso, só no paredão
 Cynthia Semíramis
 Desculpe a Nossa Falha
 Descurvo
 Diálogico
 Diário gauche
 ¡Drops da Fal!
 Futebol política e cachaça
 Guaciara
 Histórias brasileiras
 Impedimento
/  O Ingovernável
 Já matei por menos
 João Villaverde
 Uma Malla pelo mundo
 Marjorie Rodrigues
 Mary W
 Milton Ribeiro
 Mundo-Abrigo
 NaMaria News
 Na prática a teoria é outra
 Opera Mundi
 O palco e o mundo
 Palestina do espetáculo triunfante
 Pedro Alexandre Sanches
 O pensador selvagem
 Pensar enlouquece
 Politika etc.
 Quem o machismo matou hoje?
 Rafael Galvão
 Recordar repetir elaborar
 Rede Brasil Atual
 Rede Castor Photo
 Revista Fórum
 RS urgente
 Sergio Leo
 Sexismo na política
 Sociologia do Absurdo
 Sul 21
 Tiago Dória
 Tijolaço
 Todos os fogos o fogo
 Túlio Vianna
 Urbanamente
 Wikileaks: Natalia Viana



Visito também
 Abobrinhas psicodélicas
 Ademonista
 Alcinéa Cavalcante
 Além do jogo
 Alessandra Alves
 Alfarrábio
 Alguém testou
 Altino Machado
 Amante profissional
 Ambiente e Percepção
 Arlesophia
 Bala perdida
 Balípodo
 Biajoni!
 Bicho Preguiça
 Bidê Brasil
 Blah Blah Blah
 Blog do Alon
 Blog do Juarez
 Blog do Juca
 Blog do Miro
 Blog da Kika Castro
 Blog do Marcio Tavares
 Blog do Mello
 Blog dos Perrusi
 Blog do Protógenes
 Blog do Tsavkko, Angry Brazilian
 Blogafora
 blowg
 Borboletas nos olhos
 Boteco do Edu
 Botequim do Bruno
 Branco Leone
 Bratislava
 Brontossauros em meu jardim
 A bundacanalha
 Cabaret da Juju
 O caderno de Patrick
 Café velho
 Caldos de tipos
 Cão uivador
 Caquis caídos
 O carapuceiro
 Carla Rodrigues
 Carnet de notes
 Carreira solo
 Carta da Itália
 Casa da tolerância
 Casa de paragens
 Catarro Verde
 Catatau
 Cinema e outras artes
 Cintaliga
 Com fé e limão
 Conejillo de Indias
 Contemporânea
 Contra Capa
 Controvérsia
 Controvérsias econômicas
 Conversa de bar
 Cria Minha
 Cris Dias
 Cyn City
 Dançar a vidao
 Daniel Aurélio
 Daniel Lopes
 de-grau
 De olho no fato
 De primeira
 Déborah Rajão
 Desimpensável/b>
 Diário de Bordo
 Diario de trabajo
 Didascália e ..
 Diplomacia bossa nova
 Direito e internet
 Direitos fundamentais
 Disparada
 Dispersões, delírios e divagações
 Dissidência
 Dito assim parece à toa
 Doidivana
 Dossiê Alex Primo
 Um drible nas certezas
 Duas Fridas
 É bom pra quem gosta
 eblog
 Ecologia Digital
 Educar para o mundo
 Efemérides baianas
 O escrevinhador
 Escrúpulos Precários
 Escudinhos
 Estado anarquista
 Eu sei que vivo em louca utopia
 Eu sou a graúna
 Eugenia in the meadow
 Fabricio Carpinejar
 Faca de fogo
 Faça sua parte
 Favoritos
 Ferréz
 Fiapo de jaca
 Foi feito pra isso
 Fósforo
 A flor da pele
 Fogo nas entranhas
 Fotógrafos brasileiros
 Frankamente
 Fundo do poço
 Gabinete dentário
 Galo é amor
'  Garota coca-cola
 O gato pré-cambriano
 Geografias suburbanas
 Groselha news
 Googalayon
 Guerrilheiro do entardecer
 Hargentina
 Hedonismos
 Hipopótamo Zeno
 História em projetos
 Homem do plano
 Horas de confusão
 Idéias mutantes
 Impostor
 Incautos do ontem
 O incrível exército Blogoleone
 Inquietudine
 Inside
 Interney
 Ius communicatio
 jAGauDArTE
 Jean Scharlau
 Jornalismo B
 Kit básico da mulher moderna
 Lady Rasta
 Lembrança eterna de uma mente sem brilho
 A Lenda
 Limpinho e cheiroso
 Limpo no lance
 Língua de Fel
 Linkillo
 Lixomania
 Luz de Luma
 Mac's daily miscellany
 O malfazejo
 Malvados
 Mar de mármore
 Mara Pastor
 Márcia Bechara
 Marconi Leal
 Maria Frô
 Marmota
 Mineiras, uai!
 Modos de fazer mundos
 Mox in the sky with diamonds
 Mundo de K
 Na Transversal do Tempo
 Nación apache
 Nalu
 Nei Lopes
 Neosaldina Chick
 Nóvoa em folha
 Nunca disse que faria sentido
 Onde anda Su?
 Ontem e hoje
 Ou Barbárie
 Outras levezas
 Overmundo
 Pálido ponto branco
 Panóptico
 Para ler sem olhar
 Parede de meia
 Paulodaluzmoreira
 Pecus Bilis
 A pequena Matrioska
 Peneira do rato
 Pictura Pixel
 O pífano e o escaninho
 Pirão sem dono
 políticAética
 Política & políticas
 Política Justiça
 Politicando
 Ponto e contraponto
 Ponto media
 Por um punhado de pixels
 Porão abaixo
 Porco-espinho e as uvas
 Posthegemony
 Prás cabeças
 Professor Hariovaldo
 Prosa caótica
 Quadrado dos Loucos
 Quarentena
 Que cazzo
 Quelque chose
 Quintarola
 Quitanda
 Radioescuta Hi-Fi
 A Realidade, Maria, é Louca
 O Reduto
 Reinventando o Presente
 Reinventando Santa Maria
 Retrato do artista quando tolo
 Roda de ciência
 Samurai no Outono
 Sardas
 Sérgio Telles
 Serbão
 Sergio Amadeu
 Sérgio blog 2.3
 Sete Faces
 Sexismo e Misoginia
 Silenzio, no hay banda
 Síndrome de Estocolmo
 O sinistro
 Sob(re) a pálpebra da página
 Somos andando
 A Sopa no exílio
 Sorriso de medusa
 Sovaco de cobra
 Sub rosa v.2
 SublimeSucubuS
 Superfície reflexiva
 Tá pensando que é bagunça
 Talqualmente
 Taxitramas
 Terapia Zero
 A terceira margem do Sena
 Tiago Pereira
 TupiWire
 Tom Zé
 Tordesilhas
 Torre de marfim
 Trabalho sujo
 Um túnel no fim da luz
 Ultimas de Babel
 Um que toque
 Vanessa Lampert
 Vê de vegano
 Viajando nas palavras
 La vieja bruja
 Viomundo
 Viraminas
 Virunduns
 Vistos e escritos
 Viva mulher
 A volta dos que não foram
 Zema Ribeiro




selinho_idelba.jpg


Movable Type 3.36
« dezembro 2005 :: Pag. Principal :: março 2006 »

terça-feira, 24 de janeiro 2006

Technorati

Technorati Profile



  Escrito por Idelber às 22:15 | link para este post



segunda-feira, 16 de janeiro 2006

Fechamento do blog

Este blog está fechado por tempo indeterminado, provavelmente em definitivo. Decidi me concentrar nas obrigações profissionais, que são muitas. Obrigado a todos os que passaram por aqui, leram e comentaram. Tudo de bom para vocês.



  Escrito por Idelber às 01:58 | link para este post



sábado, 14 de janeiro 2006

Fotos de New Orleans

Primeira e última leva de fotos de New Orleans que o blog publicará:

DSC01759.JPGDSC01758.JPG
mid-city

DSC01772.JPGDSC01774.JPG
lakeview

DSC01780.JPGDSC01777.JPG

Os códigos nas casas significam: 1) esquerda, a unidade da Guarda Nacional que a vasculhou em busca de corpos (no caso, Nebraska); 2) acima, data da busca; 3) abaixo, número de corpos encontrados (aí no caso, nenhum). Note-se que os habitantes dessa casa provavelmente escaparam (ou tentaram escapar) pelo telhado.

DSC01804.JPGDSC01797.JPG
Ironia: na casa destruída, uma placa de protesto contra o número excessivo de conselhos de administração dos diques; atrás, um guarda-roupa que sobreviveu.

Algumas coisas em New Orleans não mudam nunca, e o bom humor é uma delas: entre os muitos adesivos de carros comuns por aqui, havia um que dizia: New Orleans, proud to call it home. Ele acaba de ser substituído por este:

swimhome_med.gif



  Escrito por Idelber às 22:17 | link para este post | Comentários (34)



quinta-feira, 12 de janeiro 2006

Notícias de New Orleans, pós-Katrina

Eu ainda não andei o suficiente pela cidade, portanto o que vai aqui são as primeiras impressões. Primeiro, um mapinha para que vocês entendam a coisa:

6.jpg

Só a área ao longo do Rio Mississippi (de ambos os lados) escapou da destruição. Essa é a área a que está reduzida a vida "normal" da cidade, com energia elétrica, comércio, bancos e todo o demais funcionando com normalidade. Tulane University é essa área branquinha do lado esquerdo do mapa, na região chamada de uptown. Foi atingida, mas não da forma devastadora como as regiões inundadas pela água que vazou do lago. Muita gente duvidou, mas a universidade se reestruturou, eliminou alguns programas de pós-graduação (o nosso, em literaturas e culturas latino-americanas e ibéricas, continua firme e forte), mandou funcionários embora e está pronta para reiniciar atividades na próxima terça - tudo ainda um pouco caótico, mas o simples fato de que já vamos começar as aulas é, em si mesmo, espantoso.

No resto da cidade, a coisa é bem diferente. Toda a área próxima ao imenso lago Pontchartrain foi quase que totalmente destruída. Pouca gente de lá voltou. As pessoas que perderam suas propriedades têm direito a um trailer do governo - o drama é que elas devem estacionar os trailers no seu próprio terreno, o que significa, na maioria dos casos, viver num lugar sem luz, sem comércio, sem vizinhos e com montanhas de detritos em volta. Não surpreende que o que mais se veja hoje na cidade seja gente com trailers sem ter onde estacioná-los. Muita gente ainda não recebeu seus trailers.

Se você traçar uma linha horizontal exatamente na metade do mapa, tudo o que estiver acima dessa linha é hoje cidade-fantasma. Mas o horror mesmo é o que está ao leste da linha vermelha.

Ao leste do Industrial Canal, está o Lower Ninth Ward, berço de uma das culturas musicais mais vibrantes do planeta. O Lower Ninth tem uma peculiaridade: é um bairro de classe pobre, mas basicamente de gente que não paga aluguel - famílias negras que são donas de suas casas há gerações. Dali saíram alguns dos músicos mais brilhantes dessa genial cidade da música. Lá no Lower Ninth ainda há toque de recolher, e tudo é pura devastação. Nada indica que seus moradores poderão voltar algum dia, dada a ferocidade da especulação imobiliária que já se instalou na cidade. O bairro anda mais ou menos assim:

3.jpg4.jpg

Leste do Lower Ninth estão os bairros de St. Bernard Parish e Chalmette, também berços da grande cultura musical de New Orleans. Também essas áreas estão, basicamente, desaparecidas. Ao nordeste do Industrial Canal está a região chamada de New Orleans East - e também ali pouca coisa sobreviveu.

A população da área urbana de New Orleans antes do furacão era de 500.000 habitantes (1 milhão se considerarmos a "grande" New Orleans, incluindo os subúrbios). Ela está hoje reduzida a pouco mais de um quarto disso, e mesmo assim tudo (bancos, restaurantes, serviços públicos) está mais cheio, dada a tripinha de terra a que foi reduzida a cidade.

Sobre as responsabilidades da criminosa administração Bush nessa tragédia, este blog já disse o que tinha que dizer. A documentação sobre quantas vezes a cidade pediu verbas para a restauração dos diques é extensa. Obviamente, a esmagadora maioria dos que não podem voltar são os negros, o que é desastroso para a singular cultura de New Orleans. Na reconstrução, são latinos, contratados a salário de fome (e muitas vezes não pagos), os que fazem o serviço.

Claro que há sinais encorajadores. Uma padaria reabre ali, outra casa de show é reinaugurada acolá. Kermit Ruffins, o legítimo sucessor de Louis Armstrong, já está de volta com seu show de quinta à noite no Vaughn's, que vários brasileiros já conhecem - trata-se do primeiro lugar onde eu levo meus hóspedes. Não tenho idéia de como o cabra está dando esse show, porque o Vaughn's fica bem perto do Canal. Mas é para lá que eu vou quando terminar este post, para abraçá-lo. Eu temi muito pela vida de Kermit.

No French Quarter, o bairro turístico, a vida vai pouco a pouco voltando ao normal. No momento, o importante é ganhar a batalha política para que os verdadeiros donos desta cidade, os que a construíram, possam voltar e reocupá-la. A batalha é, naturalmente, morro acima.

PS. A todos os que perguntaram, escreveram e se preocuparam por mim: obrigado. Eu estou bem, e instalado com conforto. Ainda não sei se a metade da minha biblioteca que ficou guardada num galpão (a outra metade está no gabinete) escapou, mas tudo indica que sim, já que o galpão fica no lado oeste do rio. Quanto mais histórias eu ouço, mais eu me sinto abençoado, sortudo e protegido pelos orixás. Graças a três amigos maravilhosos, meu carro está ainda em melhores condições do que estava antes da tragédia.

PS 2. Há uma impressionante coleção de fotos de New Orleans pós-Katrina aqui.



  Escrito por Idelber às 20:24 | link para este post | Comentários (14)



terça-feira, 10 de janeiro 2006

Brincadeirinha para passar tempo no aeroporto de Miami

Salve, salve, já estamos em gringolândia sem grandes percalços. O que mais fazer num lugar como o aeroporto de Miami senão pagar uma taxa absurda por umas horas de conexão wi-fi e visitar blogs?

A brincadeirinha que se segue foi roubada do meu bróde véio Michael Bérubé. Eu não passo corrente, mas quem quiser roubar ou completar nos comentários, que fique à vontade:

Quatro empregos que você já teve:
1. Office boy.
2. Carimbador de papéis em biblioteca.
3. Professor de inglês.
4. Professor de literatura.

Quatro filmes que você poderia assistir infinitamente:
1. Amacord.
2. Veludo azul.
3. Mulheres à beira de um ataque de nervos.
4. Fogo e paixão.

Quatro lugares em que você morou:
1. Uberaba, Minas Gerais.
2. Belo Horizonte, Minas Gerais.
3. Chapel Hill, Carolina do Norte, EUA.
4. Champaign, Illinois, EUA.

Quatro programas de TV que você adora assistir:
1. Loucos por futebol, ESPN Brasil.
2. The Daily Show.
3. Inside the Actor's Studio (valeu a lembrança, Cynthia)
4. Qualquer coisa que tenha a Soninha na tela.

Quatro lugares em que você já esteve de férias:
1. Buenos Aires.
2. Santiago.
3. Londres.
4. Serra do Cipó.

Quatro blogs que você visita diariamente:
1. Liberal Libertário Libertino
2. Megeras Magérrimas
3. Bibi's Box
4. Smart Shade of Blue

Quatro de suas comidas favoritas
:
1. Tutu à mineira, com lombo e couve.
2. Churrasco gaúcho / platense.
3. Frango curry indiano.
4. Cordeiro picadinho à moda árabe, com falafel e hummous.

Quatro lugares em que você preferiria estar agora (considerando que no momento estou no aeroporto de Miami, a resposta seria bem próxima a "qualquer um exceto Iraque e Afganistão", mas em ordem de preferência):

1. Bahia
2. Nova York
3. Rio
4. Porto Alegre

Quatro discos sem os quais você não pode viver:
1. Velvet Underground and Nico.
2. Africa Brasil, Jorge Ben.
3. Uma coletânea dos sambas de Caymmi, na voz de lui-même.
4. Uma coletânea qualquer de Lupicínio Rodrigues, na voz do próprio.

Quatro carros que você já teve:
1. 1986 Honda Civic.
2. 1985 Mazda não lembro qual modelo, o mais barato.
3. 1995 Escort Hobby 1.0 (o carrinho que ainda me transporta em BH)
4. 2001 Mazda Protegé (primeiro carro decente da vida, que milagrosamente sobreviveu à enchente em New Orleans graças a Alejandra Osorio e Felipe Victoriano).

PS: Às vezes você está num aeroporto, visita um dos seus blogs favoritos, e aí encontra uma coisa que parece escrita especialmente para você.

PS 2: Com atraso infinito, este blog regista o novo endereço do Almirante.



  Escrito por Idelber às 12:34 | link para este post | Comentários (18)



segunda-feira, 09 de janeiro 2006

Troféu tradução mais criativa

Cartaz de uma Lan House na Barra, em Salvador:

DSC01731.JPG

Enquanto isso, o Smart Shade of Blue abre uma cadeia de supermercados que já chegou até São Tomé das Letras:

DSC00227.JPG



  Escrito por Idelber às 02:27 | link para este post | Comentários (15)



sexta-feira, 06 de janeiro 2006

Começando o ano de Oxalá, na Bahia

Vocês conhecem alguém que tenha achado 2005 um ano bom? Eu não conheço, e a resposta, como todas as respostas, estava na Bahia: 2005 foi ano de Omulu, filho de Nanã, orixá que tem relação umbilical com a morte.

Se você sobreviveu a 2005, a boa notícia é que 2006 é ano de Oxalá.

Logo depois da tragédia em New Orleans, eu decidi uma coisa: precisava passar o réveillon na Bahia. Como explicar aquilo ali, eu não sei. Mas a energia renovadora do lugar é qualquer coisa de muito impressionante. Cada vez que vou lá, é como se tivesse nascido de novo.

Não dá para relatar tudo, mas o pôr-do-sol na Barra ainda continua sendo a mesma maravilha, e no Abaté continua existindo uma lagoa escura rodeada de areia branca:

DSC01661.JPG DSC01545.JPG

Das várias alegrias proporcionadas por essa viagem à Bahia, duas muito especiais:

1. comemorar o aniversário da queridíssima Goli Guerreiro, autora de A Trama dos Tambores (se não leu, não deixe de ler).

2. conhecer pessoalmente a primeira leitora deste blog, Cipy Lopes.

No meio da viagem, pergunto ao meu filho filósofo de 9 anos, Alexandre, quais diferenças ele via entre a Bahia e os outros lugares que havia conhecido. A resposta certeira:

- Bom, pai, já são quatro dias aqui e até agora não vi uma cara estressada!

Não mais disse, e não mais lhe foi perguntado.

PS 1: O que anda acontecendo com a Austrália, hein?

PS 2: Feliz Aniversário ao Donizetti, que além de ser um grande amigo blogueiro, tem a chatíssima tarefa de comemorar três títulos de futebol por ano.

PS 3: Rufem os tambores da blogosfera! Ela, a pioneira, está de volta.

PS 4: Nesta segunda-feira eu embarco para New Orleans, ou para o que restou dela. Quem for de reza, que reze. Quem for de Iemanjá, que faça oferendas. Quem for ateu, que ponha um pensamentozinho positivo. Vamos precisar.



  Escrito por Idelber às 21:42 | link para este post | Comentários (27)