Meu Perfil
Um blog de esquerda sobre política, literatura, música e cultura em geral, com algum arquivo sobre futebol. Estamos na rede desde 28/10/2004.



Email:
idelberavelar arroba gmail ponto com

No Twitter No Facebook No Formspring No GoogleReader RSS/Assine o Feed do Blog

O autor
Curriculum Vitae
 Página pessoal em Tulane


Histórico
 setembro 2015
 dezembro 2014
 outubro 2014
 maio 2014
 abril 2014
 maio 2011
 março 2011
 fevereiro 2011
 janeiro 2011
 dezembro 2010
 novembro 2010
 outubro 2010
 setembro 2010
 agosto 2010
 agosto 2009
 julho 2009
 junho 2009
 maio 2009
 abril 2009
 março 2009
 fevereiro 2009
 janeiro 2009
 dezembro 2008
 novembro 2008
 outubro 2008
 setembro 2008
 agosto 2008
 julho 2008
 junho 2008
 maio 2008
 abril 2008
 março 2008
 fevereiro 2008
 janeiro 2008
 dezembro 2007
 novembro 2007
 outubro 2007
 setembro 2007
 agosto 2007
 julho 2007
 junho 2007
 maio 2007
 abril 2007
 março 2007
 fevereiro 2007
 janeiro 2007
 novembro 2006
 outubro 2006
 setembro 2006
 agosto 2006
 julho 2006
 junho 2006
 maio 2006
 abril 2006
 março 2006
 janeiro 2006
 dezembro 2005
 novembro 2005
 outubro 2005
 setembro 2005
 agosto 2005
 julho 2005
 junho 2005
 maio 2005
 abril 2005
 março 2005
 fevereiro 2005
 janeiro 2005
 dezembro 2004
 novembro 2004
 outubro 2004


Assuntos
 A eleição de Dilma
 A eleição de Obama
 Clube de leituras
 Direito e Justiça
 Fenomenologia da Fumaça
 Filosofia
 Futebol e redondezas
 Gênero
 Junho-2013
 Literatura
 Metablogagem
 Música
 New Orleans
 Palestina Ocupada
 Polí­tica
 Primeira Pessoa



Indispensáveis
 Agência Carta Maior
 Ágora com dazibao no meio
 Amálgama
 Amiano Marcelino
 Os amigos do Presidente Lula
 Animot
 Ao mirante, Nelson! (in memoriam)
 Ao mirante, Nelson! Reloaded
 Blog do Favre
 Blog do Planalto
 Blog do Rovai
 Blog do Sakamoto
 Blogueiras feministas
 Brasília, eu vi
 Cloaca News
 Consenso, só no paredão
 Cynthia Semíramis
 Desculpe a Nossa Falha
 Descurvo
 Diálogico
 Diário gauche
 ¡Drops da Fal!
 Futebol política e cachaça
 Guaciara
 Histórias brasileiras
 Impedimento
/  O Ingovernável
 Já matei por menos
 João Villaverde
 Uma Malla pelo mundo
 Marjorie Rodrigues
 Mary W
 Milton Ribeiro
 Mundo-Abrigo
 NaMaria News
 Na prática a teoria é outra
 Opera Mundi
 O palco e o mundo
 Palestina do espetáculo triunfante
 Pedro Alexandre Sanches
 O pensador selvagem
 Pensar enlouquece
 Politika etc.
 Quem o machismo matou hoje?
 Rafael Galvão
 Recordar repetir elaborar
 Rede Brasil Atual
 Rede Castor Photo
 Revista Fórum
 RS urgente
 Sergio Leo
 Sexismo na política
 Sociologia do Absurdo
 Sul 21
 Tiago Dória
 Tijolaço
 Todos os fogos o fogo
 Túlio Vianna
 Urbanamente
 Wikileaks: Natalia Viana



Visito também
 Abobrinhas psicodélicas
 Ademonista
 Alcinéa Cavalcante
 Além do jogo
 Alessandra Alves
 Alfarrábio
 Alguém testou
 Altino Machado
 Amante profissional
 Ambiente e Percepção
 Arlesophia
 Bala perdida
 Balípodo
 Biajoni!
 Bicho Preguiça
 Bidê Brasil
 Blah Blah Blah
 Blog do Alon
 Blog do Juarez
 Blog do Juca
 Blog do Miro
 Blog da Kika Castro
 Blog do Marcio Tavares
 Blog do Mello
 Blog dos Perrusi
 Blog do Protógenes
 Blog do Tsavkko, Angry Brazilian
 Blogafora
 blowg
 Borboletas nos olhos
 Boteco do Edu
 Botequim do Bruno
 Branco Leone
 Bratislava
 Brontossauros em meu jardim
 A bundacanalha
 Cabaret da Juju
 O caderno de Patrick
 Café velho
 Caldos de tipos
 Cão uivador
 Caquis caídos
 O carapuceiro
 Carla Rodrigues
 Carnet de notes
 Carreira solo
 Carta da Itália
 Casa da tolerância
 Casa de paragens
 Catarro Verde
 Catatau
 Cinema e outras artes
 Cintaliga
 Com fé e limão
 Conejillo de Indias
 Contemporânea
 Contra Capa
 Controvérsia
 Controvérsias econômicas
 Conversa de bar
 Cria Minha
 Cris Dias
 Cyn City
 Dançar a vidao
 Daniel Aurélio
 Daniel Lopes
 de-grau
 De olho no fato
 De primeira
 Déborah Rajão
 Desimpensável/b>
 Diário de Bordo
 Diario de trabajo
 Didascália e ..
 Diplomacia bossa nova
 Direito e internet
 Direitos fundamentais
 Disparada
 Dispersões, delírios e divagações
 Dissidência
 Dito assim parece à toa
 Doidivana
 Dossiê Alex Primo
 Um drible nas certezas
 Duas Fridas
 É bom pra quem gosta
 eblog
 Ecologia Digital
 Educar para o mundo
 Efemérides baianas
 O escrevinhador
 Escrúpulos Precários
 Escudinhos
 Estado anarquista
 Eu sei que vivo em louca utopia
 Eu sou a graúna
 Eugenia in the meadow
 Fabricio Carpinejar
 Faca de fogo
 Faça sua parte
 Favoritos
 Ferréz
 Fiapo de jaca
 Foi feito pra isso
 Fósforo
 A flor da pele
 Fogo nas entranhas
 Fotógrafos brasileiros
 Frankamente
 Fundo do poço
 Gabinete dentário
 Galo é amor
'  Garota coca-cola
 O gato pré-cambriano
 Geografias suburbanas
 Groselha news
 Googalayon
 Guerrilheiro do entardecer
 Hargentina
 Hedonismos
 Hipopótamo Zeno
 História em projetos
 Homem do plano
 Horas de confusão
 Idéias mutantes
 Impostor
 Incautos do ontem
 O incrível exército Blogoleone
 Inquietudine
 Inside
 Interney
 Ius communicatio
 jAGauDArTE
 Jean Scharlau
 Jornalismo B
 Kit básico da mulher moderna
 Lady Rasta
 Lembrança eterna de uma mente sem brilho
 A Lenda
 Limpinho e cheiroso
 Limpo no lance
 Língua de Fel
 Linkillo
 Lixomania
 Luz de Luma
 Mac's daily miscellany
 O malfazejo
 Malvados
 Mar de mármore
 Mara Pastor
 Márcia Bechara
 Marconi Leal
 Maria Frô
 Marmota
 Mineiras, uai!
 Modos de fazer mundos
 Mox in the sky with diamonds
 Mundo de K
 Na Transversal do Tempo
 Nación apache
 Nalu
 Nei Lopes
 Neosaldina Chick
 Nóvoa em folha
 Nunca disse que faria sentido
 Onde anda Su?
 Ontem e hoje
 Ou Barbárie
 Outras levezas
 Overmundo
 Pálido ponto branco
 Panóptico
 Para ler sem olhar
 Parede de meia
 Paulodaluzmoreira
 Pecus Bilis
 A pequena Matrioska
 Peneira do rato
 Pictura Pixel
 O pífano e o escaninho
 Pirão sem dono
 políticAética
 Política & políticas
 Política Justiça
 Politicando
 Ponto e contraponto
 Ponto media
 Por um punhado de pixels
 Porão abaixo
 Porco-espinho e as uvas
 Posthegemony
 Prás cabeças
 Professor Hariovaldo
 Prosa caótica
 Quadrado dos Loucos
 Quarentena
 Que cazzo
 Quelque chose
 Quintarola
 Quitanda
 Radioescuta Hi-Fi
 A Realidade, Maria, é Louca
 O Reduto
 Reinventando o Presente
 Reinventando Santa Maria
 Retrato do artista quando tolo
 Roda de ciência
 Samurai no Outono
 Sardas
 Sérgio Telles
 Serbão
 Sergio Amadeu
 Sérgio blog 2.3
 Sete Faces
 Sexismo e Misoginia
 Silenzio, no hay banda
 Síndrome de Estocolmo
 O sinistro
 Sob(re) a pálpebra da página
 Somos andando
 A Sopa no exílio
 Sorriso de medusa
 Sovaco de cobra
 Sub rosa v.2
 SublimeSucubuS
 Superfície reflexiva
 Tá pensando que é bagunça
 Talqualmente
 Taxitramas
 Terapia Zero
 A terceira margem do Sena
 Tiago Pereira
 TupiWire
 Tom Zé
 Tordesilhas
 Torre de marfim
 Trabalho sujo
 Um túnel no fim da luz
 Ultimas de Babel
 Um que toque
 Vanessa Lampert
 Vê de vegano
 Viajando nas palavras
 La vieja bruja
 Viomundo
 Viraminas
 Virunduns
 Vistos e escritos
 Viva mulher
 A volta dos que não foram
 Zema Ribeiro







selinho_idelba.jpg


Movable Type 3.36
« "Motherns indicadas para o Prêmio Nobel" :: Pag. Principal :: A brilhante proposta de Bárbara Gancia »

quarta-feira, 16 de agosto 2006

Blogs e Literatura

No sábado, dia 19 de agosto, às 17:00, como parte da programação da Primavera dos Livros aqui em São Paulo, acontece uma mesa-redonda sobre o tema "Blog e Literatura, Blog é Literatura?", com a participação de Ivana Arruda Leite, Bruna Surfistinha, Indigo e Rosana Hermann (dica via Pensar Enlouquece). Aproveitando o ensejo, deixo abaixo o texto que escrevi sobre o assunto para o Salão do Livro de BH deste ano; ele surrupia dois parágrafos de outro texto, lá apresentado ano passado. O resto é novo. Foi escrito para um público que não necessariamente conhece blogs, então relevem as obviedades.

BLOGS E LITERATURA

Se você se interessa por literatura e não tem a menor idéia do que é um blog, ou ainda acredita que blog é coisa de adolescente relatando suas festinhas e namoros, esta é a hora de dirigir o olhar para uma quase silenciosa, mas ineludível experiência literária que vem se gestando na internet. Boa parte da melhor literatura que se escreve hoje no Brasil tem sido produzida ou circulada através da chamada “blogosfera”.

Os blogs são sites pessoais com entradas organizadas em ordem cronologicamente inversa, de forma que, ao abrir a página, o primeiro que se vê é a última entrada publicada pelo autor. Estas entradas são chamadas “posts” e podem ser um texto, uma imagem, um vídeo ou simplesmente uma frase com um link a outro site na internet. Com freqüência os blogs incluem, ao final de cada post, uma caixa de comentários aberta a contribuições dos leitores – tal interatividade é, de fato, uma das marcas registradas da blogosfera. Já há alguns anos protagonistas de uma revolução na internet brasileira (e em países como Estados Unidos, França, China, Irã), os blogs podem ser de vários tipos: jornalístico, esportivo, confessional, político, literário. Limitamo-nos aqui a falar destes últimos.

São numerosos os escritores de poesia e ficção, inéditos ou veteranos, que aderiram a esse formato e abriram blogs. Aqui haveria que se fazer uma diferenciação. Há, por um lado, escritores que se utilizaram do formato blog para disseminar uma produção que já possuíam anteriormente. Chamemos estes de escritores-blogueiros. Por outro lado, há escritores que já se formaram na blogosfera, ou seja, que não tinham uma obra anterior e que foram levados, pelo blog, a publicar livros. Chamemos estes últimos de blogueiros-escritores.

Há diferenças importantes entre os escritores-blogueiros e os blogueiros-escritores, mas em nenhum dos dois casos o blog é um mero veículo que distribui um produto que permanece independente do formato através do qual é disseminado. Pelo contrário, a natureza da forma altera o conteúdo: é próprio dos blogs que a escrita seja dinâmica, rápida, interativa e sujeita a críticas permanentes. Isso acaba gerando uma literatura de caráter distinto, afeita ao aforismo, à blague, à interpelação a quem lê; propensa a antecipar qual será a reação do leitor; acostumada à revisão e à correção públicas; dotada de um constante impulso metalingüístico, de reflexão sobre si própria; e, fundamentalmente, vinculada de maneira orgânica com a experiência. Não é raro que um blog interrompa o fluxo de posts sobre seus temas principais para fazer uma observação sobre a vida particular: um comentário sobre um desengano amoroso, um lamento por uma tragédia pessoal, a convocação de uma festa. Pouco a pouco, vai se tecendo ali um personagem de ficção, que os leitores acompanham mais ou menos como acompanhamos uma telenovela, com as diferenças importantes de que o enredo traz uma relação direta com a experiência daquele que escreve e de que o final da história nunca está determinado de antemão.

Recentemente, a editora independente Gênese (que é de propriedade de uma blogueira, Alê Felix) lançou uma coletânea de contos de vários autores reunidos no coletivo Blog de papel, onde se pode comprovar a variedade e qualidade da ficção produzida nos blogs. A produção literária tanto dos blogueiros-escritores como dos escritores-blogueiros já é vasta: entre estes, destacam-se o poeta e cronista Fabrício Carpinejar, o ficcionista Marcelino Freire, o romancista Santiago Nazarián, as prosadoras Ivana Arruda Leite e Cintia Moscovich. Entre aqueles, podem ser citados Ana Maria Gonçalves que, através de seu blog, publicou um primeiro romance, Ao lado e à margem do que sentes por mim, em edição de autor, para logo receber um contrato da Editora Record para seu segundo livro, Um defeito de cor; Daniela Abade, que publicou seu primeiro romance, Depois que acabou, pela editora Gênese e em seguida lançou o segundo, Crônicos, pela Ediouro; Daniel Pellizzari que, além de escritor, é fundador da editora Livros do Mal; Daniel Galera, autor de obras que antecederam seu atual sucesso na Companhia das Letras, Mãos de cavalo. Há inúmeros outros exemplos que poderiam ser citados, mas com os links fornecidos acima já dá para começar. Acredite, você vai se viciar e nunca mais vai crer que só se produz literatura com papel, capas e lombadas.



  Escrito por Idelber às 14:09 | link para este post | Comentários (34)


Comentários

#1

Ótimos comentários nesse site como um todo.

Valew,
literatura

blog em agosto 16, 2006 3:08 PM


#2

Ô, guri!

Já tinha lido este texto. Blog pode ser literatura, sim.

Mas estou inteiramente mobilizado para o jogo de hoje à noite. Estou pronto para ir para o estádio. Chove e faz um frio do diabo, mas, como diria Lênin, o que fazer? Vou, né?

Abraço.

(Ontem vi Atl-MG 2 x 1 Coritiba, valeu pelos 3 pontos.)

Milton Ribeiro em agosto 16, 2006 3:18 PM


#3

Idelber,

Adoro ler blogs (inclusive o seu), mas Bruna Surfistinha... Bruna Surfistinha e literatura... Fala sério!

Um beijo,

Clarice

Clarice em agosto 16, 2006 3:20 PM


#4

Oi, Milton, este texto é novo - surrupia dois parágrafos de um texto anterior - mas o resto é novo.

Também assisti Galo 2 x 1 Coritiba aqui no hotel em SP. O time é fraco mas a massa continua dando show (tentarei assistir o jogo hoje, vamos ver).

Oi, Clarice, obrigado pela presença e elogio; para lhe dizer sinceramente, acho ótimo que tenham chamado Bruna Surfistinha. Acho mesmo. É uma vertente - nem tão diferente assim de "relatos de vida" que depois passaram a ser parte do cânone literário - que tem seu nicho de mercado. Qual o problema de ouvir o que a moça tem a dizer?

Abraços,

Idelber em agosto 16, 2006 3:36 PM


#5

eu adoro o santiago, li o primeiro livro dele e gostei muito. agora, a bruna surfistinha eu tô passando adiante. sem preconceito; questão de gosto, apenas. bj

cris em agosto 16, 2006 4:08 PM


#6

bom, foi uma matéria com a rosana hermann sobre blogs há 4 anos e meio que me trouxe a esse universo. na época a maioria era adolescentes. hoje em dia que jornalistas, professores, escritores que começaram a entrar no circuito, gostei de achar um blog de literatura. o meu não é específico sobre o tema, porque falo da minha vida cultural, então literatura entra sempre que termino de ler um livro. beijos, pedrita

pedrita em agosto 16, 2006 4:14 PM


#7

Oi Cris, o segundo do Nazarián, Feriado de mim mesmo é muito bom :-) Também gosto muito dele. Abração.

Idelber em agosto 16, 2006 4:15 PM


#8

Idelber,
sobre blog e literatura recomendo também a caligrafia sensualmente barroca de xico sá no www.carapuceiro.zip.net

Bom, como Milton já abriu o precedente, vai um off-topic.
Agora há pouco, falando sobre os novos jogadores da seleção que estão na Rússia e Ucrânia, Galvão Bueno, com o perdão da má palavra, largou a seguinte: "Antigamente, o estado controlava tudo. Agora, com dinheiro novo os craques podem ir para os países do leste".
Em seguida repetiu e louvou novamente a história do "dinheiro novo", como se esta verba não pertencesse a gente do tipo do mafioso Boris Berezovski.

Franciel em agosto 16, 2006 5:56 PM


#9

ah se estivesse em São Paulo, não perderia por nada....tem blogs excelentes e pra todos os gostos, foi através do Querido Leitor que passei a me interessar por eles e depois de conhecer e fazer amizade com alguns blogueiros(as), resolvi criar um blog, simplinho é verdade, mas foi o ponto de partida pra ir conhecendo os demais...
abraços

Lila em agosto 16, 2006 6:29 PM


#10

Estarei em Sampa neste findi. Estarei na palestra. É uma ameaça. :)
gd ab

Julio Cesar Corrêa em agosto 16, 2006 7:04 PM


#11

Grande Idelber.

Também vi o jogo ontem, obviamente. Parabéns pela vitória. A Massa realmente deu um show.

Mas a torcida do Coxa também está fazendo bonito no Couto Pereira, então vai ter volta no returno, pode esperar :-).

Grande Abraço.

Ricardo Antunes da Costa em agosto 16, 2006 7:29 PM


#12

Caramba, aprendi uma palavra nova...."blague"...Juro que não sabia. Bom, pelo tamanho do nosso vocabulário eu também não precisaria jurar, mas é legal pq combina com blog... tem uma sonoridade bem peculiar...

Blague
Logue no blog
E blogue a blague

Kkkkkkkkk aiai só penso besteira...


Roberto em agosto 17, 2006 2:00 AM


#13

Gostei, gostei :-)

Idelber em agosto 17, 2006 8:55 AM


#14

Ricardo, a notícia que chega é que os Coxas também andam dando show; se for ao Couto Pereira no jogo contra o Galo, mande fotos, ok? Abraço,

Julio, ameaça aceita com agrado :-)

Franciel, não vi o jogo da seleção, mas se o Galvão Bueno falou que "antigamente o estado controlava tudo", mais uma vez disse bobagem. O êxodo de jogadores brasileiros não tem a ver com a queda de um "controle estatal" supostamente existente antes, não é mesmo?

Pedrita, Lila, valeram as visitas, gostei de passear pelos respectivos blogs :-) . É isso aí. Manhã de trabalho em Sampa.

Idelber em agosto 17, 2006 12:13 PM


#15

nossa que eu gostaria muito de estar em são paulo para poder assistir...enfim, eu tenho um blog. e foi uma das melhores coisas q fiz por mim. estou me descobrindo e descobrindo pessoas. dividindo. aprendendo. multiplicando. e é, realmente surpreendente o número de gente boa, criativa, produtiva q se encontra por aqui...eu blogo pra não pirar!!! um abração!!! ;)

albinha em agosto 17, 2006 12:49 PM


#16

Idelber.

Alguns comentários bem intencionados:

1. Teu blog está demorando muito para entrar, mas há poucas imagens nele. Penso que não era para ser tão pesado.

2. Quando a gente comenta nele, uma nova janela é aberta e ficamos com dois Idelber. Acho este clone teu desnecessário. Antes não era assim, correto?

Grande abraço de um campeão da América inexperiente.

Milton Ribeiro em agosto 17, 2006 2:15 PM


#17

A Bruna Surfistinha já está armando o segundo. Chick-lit clássica.

pecus em agosto 17, 2006 2:26 PM


#18

Idelber, foi no FILE?

Charley em agosto 17, 2006 2:27 PM


#19

vou nesta mesa-redonda sim. Ainda mais agora que as outras mesas-redondas só vão falar do colorado. abraços tricolores já digeridos

gugala em agosto 17, 2006 2:32 PM


#20


O texto é pra novos blogueiros? Felicidade deles começar com ótimas indicações. Quanto à palestra; tudo que for para promover a blogsofera, dou o maior apoio. Uma pergunta: Qual é a pauta da Surfistinha na palestra?
Idelber, ainda bem que foi o Milton que comentou e vou atrás. Não tenho conseguido acessar direito a sua página, muitas vezes chega a travar tudo por aqui.
Beijus

Luma em agosto 17, 2006 3:43 PM


#21

tudo é literatura??????
o meu blog não é literatura eu acho.
é blog-tura. eheheh

Nathalia Grün em agosto 17, 2006 3:56 PM


#22

então. vamos ver se rola de estarmos no debate, 17h.
aí vamos lá para o canto da madalena, por volta de 19h30.
e tomamos um choppinho, com o famoso bolinho de aipim com carne seca do bar.
e damos um "pedala robinho" no alex castro.
que talz?

aqui, como chegar no canto.
aqui, o alex dando a dica.

Biajoni em agosto 17, 2006 6:05 PM


#23

Bia, confirmadíssimo. Valeu a dica do site do Canto:-)

Milton e Luma, não sei o que pode estar travando a página.... Não será um problema por aí? Tanto em BH como no Rio como em SP tenho acessado a página sem problemas. Milton, os links "pululantes" foram pedido de algumas leitoras, mas você tem razão: vou providenciar a volta ao formato antigo.

pecus, também acho que a Bruna vai ser nossa chick-lit clássica :-)

Charley, não sei o que é FILE....

Abraços,

Idelber em agosto 17, 2006 7:42 PM


#24

mas claro que eu vou. aliás, já tou aqui em sao paulo, idelber. e não posso perder a ivana e a indigo do lado da bruna. hehehe. adoro essas duas. até lá!

lucia carvalho em agosto 17, 2006 9:52 PM


#25

Oba! Está reservado seu assento lá no Canto também :-)

Idelber em agosto 17, 2006 10:10 PM


#26

Festival Internacional de Linguagem Eletrônica, de 14 a 3 de setembro na galeria do SESI em sampa.

Charley em agosto 18, 2006 9:54 AM


#27

Idelber e amigos,

estarei lá (toc-toc-toc)!

Olha, eu nem fui mas também concordo que é bem legal estar lá a Bruna Surfistinha. Quem tem uma origem mais acadêmica e sofisticada tende a desprezar obras desse tipo, mas acho que não se pode ser reducionista e preconceituoso. É um relato, revela uma faceta da vida que a maioria das pessoas desconhece, sim, mas enxergo um outro benefício em lançamentos desse tipo. Se o livro da moça foi capaz de atrair um público novo, que antes não era afeito à leitura, já tem mérito. Quantos de nós não nos deixamos envolver pela literatura a partir de obras "menores", de autores desprezados pela crítica? Quanta gente não entrou em uma livraria pela primeira vez para comprar um Agatha Christie ou um Sidney Sheldon ou um Danielle Steel e depois enveredou por outras opções?

A gente se vê lá!

Alessandra Alves em agosto 18, 2006 9:59 AM


#28

Tem tb o Emoção Art.ificial 3.0, este no Itaú Cultural. Doidimais

Charley em agosto 18, 2006 10:00 AM


#29

Valeu o link, Charley :-)

Oi, Alessandra, sabe que eu acho que no caso da Bruna Surfistinha o desprezo vem de outro lado? Não vem de pessoas com "origem acadêmica" não. Em todo o escarcéu sobre o livro dela, entre as opiniões "horrorizadas" não havia a de nenhum acadêmico. O preconceito vinha, via de regra, de um certo "jornalismo cultural" formado por profissionais que - talvez inseguros da sua própria erudição, com necessidade de consolidar capital cultural, etc. - fizeram questão de demonstrar desprezo por algo que não leram. Desta vez a culpa não foi da universidade, onde, por sinal, esse tipo de material tem sido cada vez mais estudado. Foi blá-blá-blá de aprendiz de "jornalista cultural" por aí.

Idelber em agosto 18, 2006 3:23 PM


#30

Uma resposta a Alessandra Alves, já que este blog gera discussão e debate. Minha opinião sobre a Bruna Surfistinha não é desprezo de crítica, não. Por curiosidade, já que não queria comprar o livro, entrei no tal blog da moça. Sinceramente, ela nem sabe escrever. Não há concordância de qualquer tipo, num verdadeiro massacre à nossa língua. Não dá para levar a sério alguém que escreve/fala “sussu” e outras coisas do gênero. Fazer blog-literatura não é deixar a inteligência de lado e descuidar da escrita. Mas aprecio, sim, os diversos blogueiros/escritores de qualidade (e poderia citar muitos) que estão revolucionando o conceito de literatura.
Beijos a todos, Clarice.

Clarice em agosto 18, 2006 10:10 PM


#31

um dos maiores escritores e dramaturgos canadenses (québequenses) escreve « chus » em vez de « je suis » e aí por diante. Provavelmente os "erros" da surfistinha não sejam intencionais, mas nada que um bom corretor não resolva. O que interessa às pessoas no que ela escreve, é o fato que ela seja uma testemunha, ela escreve sobre o vivido, não sobre o que contaram pra ela, ou sobre o que ela leu ou ouviu falar. Em tempos de internet, tv a cabo, experiências em tempo real, o que ela escreve no blog, cronologicamente como num diário, remete a essa experiência, faz com que o leitor se sinta participando da vida dela, é um outro tipo de literatura, que tem suas próprias características e que pelos tempos que vivemos interessa às pessoas. Tem mulheres escrevendo sobre suas experiências como mãe e só agora tão ganhando espaço, porque a maior parte do "público" prefere a literatura-blogal escrita por um quarentão, pseudo-intelectual, que não toma sol, não gosta de pobre e mora com a mãe..., já ela escreve a dela como ex-prostituta, o que não deixa de ser original e corajoso. Até bem pouco tempo atrás tanta coisa não era considerada literatura (relatos de viagem, etc) ou arte (fotografia, ilustração). Enfim....

Ana Lucia em agosto 19, 2006 10:56 AM


#32

Valeu pelos links! Não sabia que o Daniel Galera tinha um blog. Sempre tive vontade de ler um livro desse cara, mas os preços dos livros são uma tragédia. Talvez um dia consiga uma tradução russa de um livro dele por um preço razoável.

Daniel Lopes em agosto 20, 2006 2:32 PM


#33

Básico, básico ...
Uma introdução ao assunto de primeira qualidade.

Belon em agosto 20, 2006 9:10 PM


#34

Desculpe-me, Ana Lucia, mas esta sua visão é um pouco simplista. Literatura não é pura mímesis. Aliás, um dos mais interessantes aspectos da literatura é a quebra do mimético (está aí o nosso genial Machado de Assis que não nos deixa mentir). E se for somente para escrever sobre nossas experiências vividas, que lugar teria o brilhante Faulkner na literatura mundial (principalmente se consideramos o atormentado e enigmático Joe Christmas de LIGHT IN AUGUST)?

Ademais, se falar sobre experiências com a prostituição é corajoso e inovador (em pleno o século XXI), o que podemos dizer de cortesãs italianas e francesas da Renascença escrevendo sobre o sexo e o amor (como por exemplo a talentosa italiana Veronica Franco)?

Finalmente, se é para conhecer “a realidade vivida,” aconselho a todos a lerem Carolina Maria de Jesus (QUARTO DE DESPEJO, DIÁRIO DE BITITA) e seus lindos escritos memoriais de indiscutível força humana e lírica.

Abraços, Clarice

Clarice em agosto 23, 2006 6:35 PM