Meu Perfil
Um blog de esquerda sobre política, literatura, música e cultura em geral, com algum arquivo sobre futebol. Estamos na rede desde 28/10/2004.



Email:
idelberavelar arroba gmail ponto com

No Twitter No Facebook No Formspring No GoogleReader RSS/Assine o Feed do Blog

O autor
Curriculum Vitae
 Página pessoal em Tulane


Histórico
 setembro 2015
 dezembro 2014
 outubro 2014
 maio 2014
 abril 2014
 maio 2011
 março 2011
 fevereiro 2011
 janeiro 2011
 dezembro 2010
 novembro 2010
 outubro 2010
 setembro 2010
 agosto 2010
 agosto 2009
 julho 2009
 junho 2009
 maio 2009
 abril 2009
 março 2009
 fevereiro 2009
 janeiro 2009
 dezembro 2008
 novembro 2008
 outubro 2008
 setembro 2008
 agosto 2008
 julho 2008
 junho 2008
 maio 2008
 abril 2008
 março 2008
 fevereiro 2008
 janeiro 2008
 dezembro 2007
 novembro 2007
 outubro 2007
 setembro 2007
 agosto 2007
 julho 2007
 junho 2007
 maio 2007
 abril 2007
 março 2007
 fevereiro 2007
 janeiro 2007
 novembro 2006
 outubro 2006
 setembro 2006
 agosto 2006
 julho 2006
 junho 2006
 maio 2006
 abril 2006
 março 2006
 janeiro 2006
 dezembro 2005
 novembro 2005
 outubro 2005
 setembro 2005
 agosto 2005
 julho 2005
 junho 2005
 maio 2005
 abril 2005
 março 2005
 fevereiro 2005
 janeiro 2005
 dezembro 2004
 novembro 2004
 outubro 2004


Assuntos
 A eleição de Dilma
 A eleição de Obama
 Clube de leituras
 Direito e Justiça
 Fenomenologia da Fumaça
 Filosofia
 Futebol e redondezas
 Gênero
 Junho-2013
 Literatura
 Metablogagem
 Música
 New Orleans
 Palestina Ocupada
 Polí­tica
 Primeira Pessoa



Indispensáveis
 Agência Carta Maior
 Ágora com dazibao no meio
 Amálgama
 Amiano Marcelino
 Os amigos do Presidente Lula
 Animot
 Ao mirante, Nelson! (in memoriam)
 Ao mirante, Nelson! Reloaded
 Blog do Favre
 Blog do Planalto
 Blog do Rovai
 Blog do Sakamoto
 Blogueiras feministas
 Brasília, eu vi
 Cloaca News
 Consenso, só no paredão
 Cynthia Semíramis
 Desculpe a Nossa Falha
 Descurvo
 Diálogico
 Diário gauche
 ¡Drops da Fal!
 Futebol política e cachaça
 Guaciara
 Histórias brasileiras
 Impedimento
/  O Ingovernável
 Já matei por menos
 João Villaverde
 Uma Malla pelo mundo
 Marjorie Rodrigues
 Mary W
 Milton Ribeiro
 Mundo-Abrigo
 NaMaria News
 Na prática a teoria é outra
 Opera Mundi
 O palco e o mundo
 Palestina do espetáculo triunfante
 Pedro Alexandre Sanches
 O pensador selvagem
 Pensar enlouquece
 Politika etc.
 Quem o machismo matou hoje?
 Rafael Galvão
 Recordar repetir elaborar
 Rede Brasil Atual
 Rede Castor Photo
 Revista Fórum
 RS urgente
 Sergio Leo
 Sexismo na política
 Sociologia do Absurdo
 Sul 21
 Tiago Dória
 Tijolaço
 Todos os fogos o fogo
 Túlio Vianna
 Urbanamente
 Wikileaks: Natalia Viana



Visito também
 Abobrinhas psicodélicas
 Ademonista
 Alcinéa Cavalcante
 Além do jogo
 Alessandra Alves
 Alfarrábio
 Alguém testou
 Altino Machado
 Amante profissional
 Ambiente e Percepção
 Arlesophia
 Bala perdida
 Balípodo
 Biajoni!
 Bicho Preguiça
 Bidê Brasil
 Blah Blah Blah
 Blog do Alon
 Blog do Juarez
 Blog do Juca
 Blog do Miro
 Blog da Kika Castro
 Blog do Marcio Tavares
 Blog do Mello
 Blog dos Perrusi
 Blog do Protógenes
 Blog do Tsavkko, Angry Brazilian
 Blogafora
 blowg
 Borboletas nos olhos
 Boteco do Edu
 Botequim do Bruno
 Branco Leone
 Bratislava
 Brontossauros em meu jardim
 A bundacanalha
 Cabaret da Juju
 O caderno de Patrick
 Café velho
 Caldos de tipos
 Cão uivador
 Caquis caídos
 O carapuceiro
 Carla Rodrigues
 Carnet de notes
 Carreira solo
 Carta da Itália
 Casa da tolerância
 Casa de paragens
 Catarro Verde
 Catatau
 Cinema e outras artes
 Cintaliga
 Com fé e limão
 Conejillo de Indias
 Contemporânea
 Contra Capa
 Controvérsia
 Controvérsias econômicas
 Conversa de bar
 Cria Minha
 Cris Dias
 Cyn City
 Dançar a vidao
 Daniel Aurélio
 Daniel Lopes
 de-grau
 De olho no fato
 De primeira
 Déborah Rajão
 Desimpensável/b>
 Diário de Bordo
 Diario de trabajo
 Didascália e ..
 Diplomacia bossa nova
 Direito e internet
 Direitos fundamentais
 Disparada
 Dispersões, delírios e divagações
 Dissidência
 Dito assim parece à toa
 Doidivana
 Dossiê Alex Primo
 Um drible nas certezas
 Duas Fridas
 É bom pra quem gosta
 eblog
 Ecologia Digital
 Educar para o mundo
 Efemérides baianas
 O escrevinhador
 Escrúpulos Precários
 Escudinhos
 Estado anarquista
 Eu sei que vivo em louca utopia
 Eu sou a graúna
 Eugenia in the meadow
 Fabricio Carpinejar
 Faca de fogo
 Faça sua parte
 Favoritos
 Ferréz
 Fiapo de jaca
 Foi feito pra isso
 Fósforo
 A flor da pele
 Fogo nas entranhas
 Fotógrafos brasileiros
 Frankamente
 Fundo do poço
 Gabinete dentário
 Galo é amor
'  Garota coca-cola
 O gato pré-cambriano
 Geografias suburbanas
 Groselha news
 Googalayon
 Guerrilheiro do entardecer
 Hargentina
 Hedonismos
 Hipopótamo Zeno
 História em projetos
 Homem do plano
 Horas de confusão
 Idéias mutantes
 Impostor
 Incautos do ontem
 O incrível exército Blogoleone
 Inquietudine
 Inside
 Interney
 Ius communicatio
 jAGauDArTE
 Jean Scharlau
 Jornalismo B
 Kit básico da mulher moderna
 Lady Rasta
 Lembrança eterna de uma mente sem brilho
 A Lenda
 Limpinho e cheiroso
 Limpo no lance
 Língua de Fel
 Linkillo
 Lixomania
 Luz de Luma
 Mac's daily miscellany
 O malfazejo
 Malvados
 Mar de mármore
 Mara Pastor
 Márcia Bechara
 Marconi Leal
 Maria Frô
 Marmota
 Mineiras, uai!
 Modos de fazer mundos
 Mox in the sky with diamonds
 Mundo de K
 Na Transversal do Tempo
 Nación apache
 Nalu
 Nei Lopes
 Neosaldina Chick
 Nóvoa em folha
 Nunca disse que faria sentido
 Onde anda Su?
 Ontem e hoje
 Ou Barbárie
 Outras levezas
 Overmundo
 Pálido ponto branco
 Panóptico
 Para ler sem olhar
 Parede de meia
 Paulodaluzmoreira
 Pecus Bilis
 A pequena Matrioska
 Peneira do rato
 Pictura Pixel
 O pífano e o escaninho
 Pirão sem dono
 políticAética
 Política & políticas
 Política Justiça
 Politicando
 Ponto e contraponto
 Ponto media
 Por um punhado de pixels
 Porão abaixo
 Porco-espinho e as uvas
 Posthegemony
 Prás cabeças
 Professor Hariovaldo
 Prosa caótica
 Quadrado dos Loucos
 Quarentena
 Que cazzo
 Quelque chose
 Quintarola
 Quitanda
 Radioescuta Hi-Fi
 A Realidade, Maria, é Louca
 O Reduto
 Reinventando o Presente
 Reinventando Santa Maria
 Retrato do artista quando tolo
 Roda de ciência
 Samurai no Outono
 Sardas
 Sérgio Telles
 Serbão
 Sergio Amadeu
 Sérgio blog 2.3
 Sete Faces
 Sexismo e Misoginia
 Silenzio, no hay banda
 Síndrome de Estocolmo
 O sinistro
 Sob(re) a pálpebra da página
 Somos andando
 A Sopa no exílio
 Sorriso de medusa
 Sovaco de cobra
 Sub rosa v.2
 SublimeSucubuS
 Superfície reflexiva
 Tá pensando que é bagunça
 Talqualmente
 Taxitramas
 Terapia Zero
 A terceira margem do Sena
 Tiago Pereira
 TupiWire
 Tom Zé
 Tordesilhas
 Torre de marfim
 Trabalho sujo
 Um túnel no fim da luz
 Ultimas de Babel
 Um que toque
 Vanessa Lampert
 Vê de vegano
 Viajando nas palavras
 La vieja bruja
 Viomundo
 Viraminas
 Virunduns
 Vistos e escritos
 Viva mulher
 A volta dos que não foram
 Zema Ribeiro







selinho_idelba.jpg


Movable Type 3.36
« Drops :: Pag. Principal :: Convites e jabás »

quinta-feira, 28 de fevereiro 2008

As primárias democratas no Texas

No próximo dia 04, terça-feira, o Partido Democrata realiza primárias em Vermont, Rhode Island, Ohio e Texas. A sorte da candidatura de Hillary Clinton se joga nestes dois últimos, grandes e ricos em delegados. O próprio Bill Clinton declarou em comício na semana passada que, sem vencer em Ohio e no Texas, Hillary não emplaca a indicação. Os números das quatro últimas pesquisas realizadas no Texas são: Rassmussen, Clinton 46 x 45 Obama; Survey USA, Obama 49 x 45 Clinton; Public Strategies, Clinton 46 x 43 Obama; Insider Advantage, Obama 47 x 46 Clinton. Apesar dos números apertados, o Biscoito está pronto para fazer uma previsão: Obama deverá conquistar a maioria dos delegados do Texas. O primeiro motivo é a curva:

08TXPresDems.jpg


As regras para as primárias do Texas fazem Wittgenstein parecer história em quadrinhos. Vou explicar a parte que entendo. Tem café aí? Está sentado? Vamos lá. 193 delegados estarão em jogo no Texas na terça-feira. Trata-se de um sistema híbrido, de primárias e assembléias (caucus). 126 delegados são alocados pela votação em urna, durante o dia. Os outros 67 serão disputados à noite, no sistema de assembléias. O mesmo eleitor pode votar durante o dia e ir depois às assembléias. Aqui começa a vantagem de Obama. No sistema de assembléias, onde vale a mobilização da base, a diferença em favor de Obama é enorme e não se reflete necessariamente nas pesquisas. Podem esperar uma vantagem dele no universo desses 67 delegados disputados à noite nas assembléias. As primárias do Texas permitem o voto antecipado. Até segunda-feira, já haviam votado 419.404 eleitores. São simplesmente 347.216 mais do que havia sido o caso até este momento em 2004. As primárias do Texas são abertas, ou seja, você não precisa ser um democrata registrado para votar. É outra vantagem para Obama, que goleia com folga entre os eleitores independentes. Os delegados são distribuídos pelos distritos do Senado Estadual:

TXPrimary2.jpg

Desses 31 distritos, os 4 maiores em termos de números de delegados são:

Distrito 14, Austin (8 delegados): linda, boêmia, musical, Austin é a casa da Universidade do Texas, uma das principais universidades públicas do país. É o único lugar do Texas em que eu aceitaria morar. Com enorme população universitária, deverá votar em peso em Obama. A campanha de Hillary despachou Bill Clinton para lá hoje, tentando estancar o sangue. Bill é muito querido na cidade. Os garotos escutaram e deram risadas com o Big Dog. Na terça, votarão em Obama.

Distrito 13, Houston (7 delegados): em Houston se localiza uma das maiores concentrações afro-americanas do estado. Todas as fontes de lá confirmam diferença grande em favor de Obama.

Distrito 23, Dallas (6 delegados): entre os 280.000 negros da cidade Obama leva grande vantagem. Ao contrário do que aconteceu na Califórnia, onde Clinton goleou entre os latinos, os 270.000 votos hispânicos de Dallas devem ser disputados pau a pau. Aliás, entenda-se: a população latina do Texas tem pouco a ver com a da Califórnia. 50% dos latinos da Califórnia são imigrantes. No Texas, este número é 18%. Junto com Nova York e Flórida, a Califórnia tem população latina em sua maioria hispano-falante. No Texas, Arizona, Colorado e Novo México, domina, entre os latinos, a língua inglesa.

Distrito 25, San Antonio (6 delegados): este distrito contém algumas áreas rurais além da urbe, San Antonio. Vantagem de Obama na cidade, vantagem de Clinton nas áreas rurais.

De onde saem, então, os votos de Hillary no Texas? Do sul, na fronteira com o México, e do leste do estado. Nessas regiões, Clinton vem goleando por margem considerável nas pesquisas. O problema para ela é que são distritos pequenos, cuja representatividade é prejudicada pelo sistema de alocação de delegados: vários desses distritos – 16, para ser exato -- têm direito a 4 delegados. Para abocanhar 3 dos 4 delegados, um candidato tem que ter 62.5% dos votos. Se vencer por 60 x 40 num distrito de 4 delegados, a alocação fica 2 x 2. Coisas da democracia texana.

O Texas, assim como a Flórida, tem longa história de falcatruas eleitorais. A mais conhecida delas foi o inacreditável processo pelo qual se redesenharam as zonas eleitorais em 2003, com o objetivo de criar distritos que, às vezes, vão se retorcendo como cobras no mapa -- é o chamado gerrymandering, que enclausurou os eleitores negros em bantustões com cada vez menos representatividade. Na eleição de 2006, centenas de eleitores negros denunciaram terem sido impedidos de votar. Desta vez, pelo menos a garotada não quis ter surpresas. Mais de 2.000 alunos da Prairie View A & M, histórica universidade negra, andaram a pé 7,3 milhas até Hampstead para votar no último dia 19. Digam se não é bonito:


march-to-vote.jpg
(fonte da foto)

O que mais complica as coisas para Hillary é a campanha incrivelmente desastrada que ela vem fazendo. Em primeiro lugar, há os efeitos negativos do constante discurso “tudo- é- muito- difícil- inspiração- e- esperança- não- resolvem”. Esses garotos que marcharam 7 milhas para votar não querem escutar de um candidato que eles estão se iludindo e que a esperança não resolve. Depois, repercutiu muito mal a declaração de que eu adoraria ganhar no Texas, mas ele em geral não entra no cálculo eleitoral de um democrata, frase no típico estilo Mark Penn. Ninguém gosta de escutar que seu voto não interessa – especialmente no Texas, onde os democratas já sofrem o suficiente. Todos os grandes jornais do Texas endossaram a candidatura de Obama: Austin Chronicle, Dallas Morning News, El Paso Times, Houston Chronicle, San Antonio's Express News e Fort Worth Star Telegram.

PS: Para saber tudo sobre as primárias do Texas, confira o excelente blog Burnt Orange Report, que é a fonte de boa parte das informações compiladas aqui. Veja também o Texans for Obama e o Texans for Hillary.

PS 2:
Como eu já disse aqui, uma das baixas desta campanha eleitoral é o Left Coaster, que era um excelente blog. A última explicação para o sucesso de Obama: Ah, ele tem mais dinheiro. Esqueceram de explicar por que mais de um milhão de pessoas já se sentiram inspiradas a doar para a campanha, com contribuições em média inferiores a 110 dólares por pessoa. O Left Coaster parou de postar do planeta Terra, simplesmente. Há que se entender as diferenças: Digby, um blog pró-Hillary, continua com a lucidez de sempre.

PS 3: Na terça-feira à noite, o Biscoito fará a cobertura em tempo real das primárias do Texas, Ohio, Vermont e Rhode Island, a partir das 20 horas de Brasília.



  Escrito por Idelber às 04:15 | link para este post | Comentários (33)


Comentários

#1

Caro Idelber, depois de mais uma aula de informação sobre as eleições norte-americanas (desta vez no TEXAS), gostaria de dizer que torço para que Obama ganhe estas eleições e que finalmente sejam aposentados os tais fatores "demográficos" como decisivos e importantes de serem estudados. Os EUA ganhariam como nação.

Paulo em fevereiro 28, 2008 7:07 AM


#2

As imagens da caminhada são de emocionar.

Gilson em fevereiro 28, 2008 8:42 AM


#3

OK, que jovens tenham que marchar por direito ao voto em 2008 (e ainda por cima nos EUA) é de lascar o cano - mas, sim, sim, é de emocionar.

PS - já estou na fila para a cobertura em tempo real cá no Biscoito. Tem que comprar ingresso? Pode fazer piquenique durante a apuração? ;)

Anna C. em fevereiro 28, 2008 8:55 AM


#4

"Para abocanhar 3 dos 4 delegados, um candidato tem que ter 62.5% dos votos. Se vencer por 60 x 40 num distrito de 4 delegados, a alocação fica 2 x 2. Coisas da democracia texana."

Em termos matemáticos isto não é uma loucura:
4 delegados divididos proporcionalmente,
signifca que a cada 25%= 1 delegado:

60% = 25%x2 delegados, restando 10%
40% = 25%x1 delegado, restando 15%
Quem tem o maior resto leva o último delegado.

Eugenio Hansen em fevereiro 28, 2008 8:55 AM


#5

Oi Idelber
Na California, o early voting beneficiou a HRC. Será que no Texas isso também não vai acontecer?
Parabéns mais 1 vez pela cobertura.

lucia em fevereiro 28, 2008 9:31 AM


#6

Adorei o texto. Muito informativo, muito suculento. Parabéns, Idelber.

César em fevereiro 28, 2008 9:42 AM


#7

Oba, eu também vou chegar cedo pra garantir bom lugar aqui no Biscoito 3a. feira!

Ana Paula em fevereiro 28, 2008 9:49 AM


#8

Mais uma aula sobre eleições americanas. Obrigada. Achei essa foto superemocionante!

Ju Sampaio em fevereiro 28, 2008 10:02 AM


#9

Idelber, vc pode mudar o endereço do meu blog? Não tenho como direcioná-lo. Um beijo!

www.marinaw.com.br

marina w. em fevereiro 28, 2008 11:08 AM


#10

Cobertura em tempo real no Biscoito? Separa meu ingresso aí, hehe

Charley em fevereiro 28, 2008 11:16 AM


#11

Thanks geral :-)

lucia, a votação antecipada não deve favorecer Hillary como na Califórnia, não. Aquela foi uma circunstância especial, já que: 1) as cédulas haviam sido enviadas logo depois da sua vitória em New Hampshire; 2) o nome de Edwards ainda estava na cédula, o que obviamente a favorecia, já que os eleitores de Edwards migraram em massa para Obama.

Claro, claro, pode pipoca, piquenique, pode tudo. 8 da noite, na terça :-)

Idelber em fevereiro 28, 2008 12:21 PM


#12

Oba. Vai ter festa em tempo real de novo. Virei fa do biscoito quando cai por aqui na super-terca, foi muito legal. Li que em algumas partes do Texas o pessoal tem medo de se declarar democrata, que tem afro-americanos que contornam 50 kilometros de estrada pra nao passar de carro nessas areas brabas. Mas que nestas eleicoes, pelo efeito Obama, comecaram a aparecer adesivos nos carros sem medo de ter o carro incendiado, que alguns democratas estao descobrindo que tinham vizinhos democratas que eles nao sabiam, eles pensavam que eram os unicos do bairro. E essa historia de "redistritar" para favorecer o partido nas eleicoes hein?? uma democracia estranha essa dos americanos. Parece que nas eleicoes gerais pra presidente um candidato pode ser o mais votado na contagem geral do pais e mesmo assim perder!! ainda nao entendi bem com e esse esquema. A campanha da Hillary dizia que os estados "vermelhos" onde ganham os republicanos nao importam para os democratas, entao sera que nas eleicoes gerais pra presidente o vencedor em um estado leva tudo tipo "winner-take-all" ??

julio em fevereiro 28, 2008 1:51 PM


#13

exato, julio. É, para todos os efeitos, uma eleição indireta. Cada estado elege delegados para um colégio eleitoral (o número de delegados é mais ou menos proporcional à população) e quem vence um estado leva todos os delegados do dito cujo.

Ou seja, se você está num estado onde já se sabe qual será o resultado -- como o meu, a Louisiana -- o seu voto não vale, literalmente, nada.

Idelber em fevereiro 28, 2008 2:15 PM


#14

Idelber: Parabens. Aprendi muito com sua análise. Você devia ser comentarista da televisão!

Chris em fevereiro 28, 2008 4:57 PM


#15

Gracias, Chris; mas a vida de professor universitário é mais divertida :-)

Idelber em fevereiro 28, 2008 5:18 PM


#16

Ele há coisas engraçadas:sendo eu um transeunte diário da Rua da Judiaria foi por mero acaso que espreitei o seu blog,e, de imediato, me apercebi que era ouro sobre azul;hoje,o biscoito é de leitura diária obrigatória, quase tanto, como o são os meus Códigos de Direito.

Josué

JBP em fevereiro 28, 2008 6:11 PM


#17

Oi Ildeber,
Apesar de já conhecer seu blog faz algumas semanas, é a primeira vez que eu participo com comentários. Parabéns, seu blog é bastante informativo e meu interesse pessoal no momento é com relação ao resultado das eleições nos EUA. Dos três candidatos que restaram, o republicano e a dupla democrata, qual deles teria uma política favorável aos imigrantes? Sei que o McCain trabalhou junto com o Kennedy naquele projeto que foi barrado no final do ano passado. Mas e os dois democratas? Quais são as posições deles com relação aos imigrantes ilegais?
Saudações Atleticanas

Guilherme em fevereiro 28, 2008 10:52 PM


#18

Obama não me convence.
Deve ser mesmo o candidato democrata mas no final,em novembro,perde pra Mc Cain.
Obama é o Collor deles,um engodo.

sergio em fevereiro 28, 2008 11:01 PM


#19

Obama é o Collor? McCain é o Aureliano Chaves?

Gravatai Merengue em fevereiro 29, 2008 2:23 AM


#20

Caro Idelber
Eu tenho a impressão que teremos que entender cada vez mais das práticas da política norte-americana, já que a democracia brasileira está indo pelo ralo. Veja os acontecimentos dos últimos dias!
E o mais grave é que parece que quanto mais elevado é o cargo ocupado, mais irresponsáveis são as declarações emitidas.

Paulo em fevereiro 29, 2008 3:22 AM


#21

Guilherme, meu caro, a questão da política externa dos candidatos americanos foi tratada aqui no blog, no post do dia 22. Dê uma olhadinha aí nos arquivos. Saudações alvi-negras.

Paulo, meu caro, a democracia brasileira vai bem! Podemos melhorar, claro. Mas não há gente tendo que fazer passeata aos milhares para garantir seu direito de votar, não é? Passando o frenesi das primárias democratas, este blog voltará a tratar mais de política brasileira. Voltei a ler os jornais.

sergio, Spinoza dizia: a analogia é a forma de pobre de pensamento :-)

Idelber em fevereiro 29, 2008 5:47 AM


#22

Josué: só posso agradecer aos amigos da Rua da Judiaria. Volte sempre :-)

Idelber em fevereiro 29, 2008 5:48 AM


#23

Eugenio: foi muito interessante visitar seu blog. Estarei no Rio Grande do Sul a partir da semana que vem, e o seu blog já entrou no radar :-)

Gravata, contamos contigo na terça-feira à noite para animar a festa aqui.

Idelber em fevereiro 29, 2008 5:51 AM


#24

Eu acho q essa eleição será uma barbada para o McCain.

Bender em fevereiro 29, 2008 7:54 AM


#25

"Paulo, meu caro, a democracia brasileira vai bem! Podemos melhorar, claro. Mas não há gente tendo que fazer passeata aos milhares para garantir seu direito de votar, não é?"

Só temos regiões inteiras sem representação no Congresso(Como TODA a faixa de subúrbios pobres ao norte da Grande SP, com exceção de Guarulhos), ausência de plebiscitos e referendos em nível local, ausência de negros(Vicentinho é o único negro na delegação paulista em Brasilia) e bem, o voto obrigatório. Isso sem contar as fartas denúncias de compra de votos e um Supremo Tribunal Eleitoral parcial.

André Kenji em fevereiro 29, 2008 3:12 PM


#26

Ai ai. Preguiça de rebater isso.

Quando o governo federal começar a grampear seu telefone no Brasil, me avise. Até lá, guarde sua queixa sobre a ausência de plebiscitos para uma caixa onde ela seja relevante.

Idelber em março 1, 2008 5:09 AM


#27

Idelber

Você acha que ser grampeado é pior que ser morto pela polícia, estatísticas em que o Brasil é bem pior que os EUA? Ou que ser grampeado é pior que ter tiragens inteiras de livros apreendidas?

Não me leve a mal. Eu acho péssimo diversas coisas do sistema político americano, inclusive a diferença de poder entre quem mora em Wyoming e quem mora na Califórnia ou ainda que uma penca de senadores eleitos no meio do nada possa bloquear qualquer votação.

Mas também acho insensibilidade dizer que isso é pior que o sistema brasileiro.

André Kenji em março 1, 2008 7:44 AM


#28

Acho que há uma confusão aqui, André. Eu não disse isso. A ausência de negros no Congresso e a violência policial dizem respeito a uma estrutura social excludente, que evidentemente é horrível no Brasil.

Eu me referia ao aparato político formal da democracia. Se é que dá para entender a diferença. Não, aqui não se retiram edições inteiras de circulação.

Mas no dia em que, no Brasil, o Procurador Geral da União inventar acusações e mandar para a prisão um governador de estado por motivos políticos, aí eu levo sua comparação a sério.

Idelber em março 1, 2008 1:36 PM


#29

Professor, graças a v. estou acompanhando mais de perto as eleições aí. Na minha opinião, o Obama é aquele sujeito que não foi convidado p/ o baile mas deu um jeito de entrar e virou o centro das atenções. Os donos da festa, que são os chefes do partido democrata, estão olhando de soslaio, pensando:"não era bem isso que queríamos..."

Carlos Jardim em março 1, 2008 1:48 PM


#30

Na mosca, Carlos.

Idelber em março 1, 2008 2:04 PM


#31

Idelber

Mas meu ponto é que você, que passa a maior parte do tempo fora do Brasil está tomando uma posição que possa parecer insensível para quem mora aqui.

Em tempo: país que a polícia mata milhares de pessoas por ano pode ser qualquer coisa, menos democracia.

E o ponto não é só exclusão social: a forma que os deputados e vereadores são escolhidos é atroz em especial com os moradores das periferias.

André Kenji em março 1, 2008 10:31 PM


#32

A sua definição de democracia não bate com a dos dicionários. Dê uma conferida.

E a minha "insensibilidade" não parece estar incomodando nenhum dos outros milhares de leitores, a não ser você, grande especialista no país em que eu moro há vinte anos e que você nunca nem sequer visitou.

Você já reparou que todas as interações nos posts sobre política americana cessam mais ou menos no momento em que você entra e começa a bater boca? Já teve sensibilidade para perceber isso?

Acho complicado que alguém venha falar da minha "sensibilidade" dentro da minha casa, depois dar abundantes amostras de não ter sensibilidade suficiente para perceber que sua trolagem não é bem vinda por aqui.

Idelber em março 1, 2008 10:58 PM


#33

Caramba, post excelente. Vou linkar.

Na Prática a Teoria é Outra em março 3, 2008 1:49 PM