Meu Perfil
Um blog de esquerda sobre política, literatura, música e cultura em geral, com algum arquivo sobre futebol. Estamos na rede desde 28/10/2004.



Email:
idelberavelar arroba gmail ponto com

No Twitter No Facebook No Formspring No GoogleReader RSS/Assine o Feed do Blog

O autor
Curriculum Vitae
 Página pessoal em Tulane


Histórico
 setembro 2015
 dezembro 2014
 outubro 2014
 maio 2014
 abril 2014
 maio 2011
 março 2011
 fevereiro 2011
 janeiro 2011
 dezembro 2010
 novembro 2010
 outubro 2010
 setembro 2010
 agosto 2010
 agosto 2009
 julho 2009
 junho 2009
 maio 2009
 abril 2009
 março 2009
 fevereiro 2009
 janeiro 2009
 dezembro 2008
 novembro 2008
 outubro 2008
 setembro 2008
 agosto 2008
 julho 2008
 junho 2008
 maio 2008
 abril 2008
 março 2008
 fevereiro 2008
 janeiro 2008
 dezembro 2007
 novembro 2007
 outubro 2007
 setembro 2007
 agosto 2007
 julho 2007
 junho 2007
 maio 2007
 abril 2007
 março 2007
 fevereiro 2007
 janeiro 2007
 novembro 2006
 outubro 2006
 setembro 2006
 agosto 2006
 julho 2006
 junho 2006
 maio 2006
 abril 2006
 março 2006
 janeiro 2006
 dezembro 2005
 novembro 2005
 outubro 2005
 setembro 2005
 agosto 2005
 julho 2005
 junho 2005
 maio 2005
 abril 2005
 março 2005
 fevereiro 2005
 janeiro 2005
 dezembro 2004
 novembro 2004
 outubro 2004


Assuntos
 A eleição de Dilma
 A eleição de Obama
 Clube de leituras
 Direito e Justiça
 Fenomenologia da Fumaça
 Filosofia
 Futebol e redondezas
 Gênero
 Junho-2013
 Literatura
 Metablogagem
 Música
 New Orleans
 Palestina Ocupada
 Polí­tica
 Primeira Pessoa



Indispensáveis
 Agência Carta Maior
 Ágora com dazibao no meio
 Amálgama
 Amiano Marcelino
 Os amigos do Presidente Lula
 Animot
 Ao mirante, Nelson! (in memoriam)
 Ao mirante, Nelson! Reloaded
 Blog do Favre
 Blog do Planalto
 Blog do Rovai
 Blog do Sakamoto
 Blogueiras feministas
 Brasília, eu vi
 Cloaca News
 Consenso, só no paredão
 Cynthia Semíramis
 Desculpe a Nossa Falha
 Descurvo
 Diálogico
 Diário gauche
 ¡Drops da Fal!
 Futebol política e cachaça
 Guaciara
 Histórias brasileiras
 Impedimento
/  O Ingovernável
 Já matei por menos
 João Villaverde
 Uma Malla pelo mundo
 Marjorie Rodrigues
 Mary W
 Milton Ribeiro
 Mundo-Abrigo
 NaMaria News
 Na prática a teoria é outra
 Opera Mundi
 O palco e o mundo
 Palestina do espetáculo triunfante
 Pedro Alexandre Sanches
 O pensador selvagem
 Pensar enlouquece
 Politika etc.
 Quem o machismo matou hoje?
 Rafael Galvão
 Recordar repetir elaborar
 Rede Brasil Atual
 Rede Castor Photo
 Revista Fórum
 RS urgente
 Sergio Leo
 Sexismo na política
 Sociologia do Absurdo
 Sul 21
 Tiago Dória
 Tijolaço
 Todos os fogos o fogo
 Túlio Vianna
 Urbanamente
 Wikileaks: Natalia Viana



Visito também
 Abobrinhas psicodélicas
 Ademonista
 Alcinéa Cavalcante
 Além do jogo
 Alessandra Alves
 Alfarrábio
 Alguém testou
 Altino Machado
 Amante profissional
 Ambiente e Percepção
 Arlesophia
 Bala perdida
 Balípodo
 Biajoni!
 Bicho Preguiça
 Bidê Brasil
 Blah Blah Blah
 Blog do Alon
 Blog do Juarez
 Blog do Juca
 Blog do Miro
 Blog da Kika Castro
 Blog do Marcio Tavares
 Blog do Mello
 Blog dos Perrusi
 Blog do Protógenes
 Blog do Tsavkko, Angry Brazilian
 Blogafora
 blowg
 Borboletas nos olhos
 Boteco do Edu
 Botequim do Bruno
 Branco Leone
 Bratislava
 Brontossauros em meu jardim
 A bundacanalha
 Cabaret da Juju
 O caderno de Patrick
 Café velho
 Caldos de tipos
 Cão uivador
 Caquis caídos
 O carapuceiro
 Carla Rodrigues
 Carnet de notes
 Carreira solo
 Carta da Itália
 Casa da tolerância
 Casa de paragens
 Catarro Verde
 Catatau
 Cinema e outras artes
 Cintaliga
 Com fé e limão
 Conejillo de Indias
 Contemporânea
 Contra Capa
 Controvérsia
 Controvérsias econômicas
 Conversa de bar
 Cria Minha
 Cris Dias
 Cyn City
 Dançar a vidao
 Daniel Aurélio
 Daniel Lopes
 de-grau
 De olho no fato
 De primeira
 Déborah Rajão
 Desimpensável/b>
 Diário de Bordo
 Diario de trabajo
 Didascália e ..
 Diplomacia bossa nova
 Direito e internet
 Direitos fundamentais
 Disparada
 Dispersões, delírios e divagações
 Dissidência
 Dito assim parece à toa
 Doidivana
 Dossiê Alex Primo
 Um drible nas certezas
 Duas Fridas
 É bom pra quem gosta
 eblog
 Ecologia Digital
 Educar para o mundo
 Efemérides baianas
 O escrevinhador
 Escrúpulos Precários
 Escudinhos
 Estado anarquista
 Eu sei que vivo em louca utopia
 Eu sou a graúna
 Eugenia in the meadow
 Fabricio Carpinejar
 Faca de fogo
 Faça sua parte
 Favoritos
 Ferréz
 Fiapo de jaca
 Foi feito pra isso
 Fósforo
 A flor da pele
 Fogo nas entranhas
 Fotógrafos brasileiros
 Frankamente
 Fundo do poço
 Gabinete dentário
 Galo é amor
'  Garota coca-cola
 O gato pré-cambriano
 Geografias suburbanas
 Groselha news
 Googalayon
 Guerrilheiro do entardecer
 Hargentina
 Hedonismos
 Hipopótamo Zeno
 História em projetos
 Homem do plano
 Horas de confusão
 Idéias mutantes
 Impostor
 Incautos do ontem
 O incrível exército Blogoleone
 Inquietudine
 Inside
 Interney
 Ius communicatio
 jAGauDArTE
 Jean Scharlau
 Jornalismo B
 Kit básico da mulher moderna
 Lady Rasta
 Lembrança eterna de uma mente sem brilho
 A Lenda
 Limpinho e cheiroso
 Limpo no lance
 Língua de Fel
 Linkillo
 Lixomania
 Luz de Luma
 Mac's daily miscellany
 O malfazejo
 Malvados
 Mar de mármore
 Mara Pastor
 Márcia Bechara
 Marconi Leal
 Maria Frô
 Marmota
 Mineiras, uai!
 Modos de fazer mundos
 Mox in the sky with diamonds
 Mundo de K
 Na Transversal do Tempo
 Nación apache
 Nalu
 Nei Lopes
 Neosaldina Chick
 Nóvoa em folha
 Nunca disse que faria sentido
 Onde anda Su?
 Ontem e hoje
 Ou Barbárie
 Outras levezas
 Overmundo
 Pálido ponto branco
 Panóptico
 Para ler sem olhar
 Parede de meia
 Paulodaluzmoreira
 Pecus Bilis
 A pequena Matrioska
 Peneira do rato
 Pictura Pixel
 O pífano e o escaninho
 Pirão sem dono
 políticAética
 Política & políticas
 Política Justiça
 Politicando
 Ponto e contraponto
 Ponto media
 Por um punhado de pixels
 Porão abaixo
 Porco-espinho e as uvas
 Posthegemony
 Prás cabeças
 Professor Hariovaldo
 Prosa caótica
 Quadrado dos Loucos
 Quarentena
 Que cazzo
 Quelque chose
 Quintarola
 Quitanda
 Radioescuta Hi-Fi
 A Realidade, Maria, é Louca
 O Reduto
 Reinventando o Presente
 Reinventando Santa Maria
 Retrato do artista quando tolo
 Roda de ciência
 Samurai no Outono
 Sardas
 Sérgio Telles
 Serbão
 Sergio Amadeu
 Sérgio blog 2.3
 Sete Faces
 Sexismo e Misoginia
 Silenzio, no hay banda
 Síndrome de Estocolmo
 O sinistro
 Sob(re) a pálpebra da página
 Somos andando
 A Sopa no exílio
 Sorriso de medusa
 Sovaco de cobra
 Sub rosa v.2
 SublimeSucubuS
 Superfície reflexiva
 Tá pensando que é bagunça
 Talqualmente
 Taxitramas
 Terapia Zero
 A terceira margem do Sena
 Tiago Pereira
 TupiWire
 Tom Zé
 Tordesilhas
 Torre de marfim
 Trabalho sujo
 Um túnel no fim da luz
 Ultimas de Babel
 Um que toque
 Vanessa Lampert
 Vê de vegano
 Viajando nas palavras
 La vieja bruja
 Viomundo
 Viraminas
 Virunduns
 Vistos e escritos
 Viva mulher
 A volta dos que não foram
 Zema Ribeiro







selinho_idelba.jpg


Movable Type 3.36
« Cobertura em tempo real das primárias americanas :: Pag. Principal :: Acredito ter encontrado a fonte do erro da Folha »

quarta-feira, 06 de fevereiro 2008

Balanço da super terça e a guerra do spinning

É mais ou menos como os Campeonatos Brasileiros do final da década de 1970. Um time pode liderar estando atrás. Quem está na frente, ou quem “ganhou” a Super Terça, é uma questão que depende de seu interlocutor. Adotando o ponto de vista de como as coisas estavam há três semanas, não há como negar o enorme salto de Obama. Hillary liderava em praticamente todos os estados da Super Terça, com a exceção de Illinois. E Obama venceu em treze (Alaska, Alabama, Colorado, Connecticut, Delaware, Geórgia, Idaho, Illinois, Kansas, Minnesota, Missouri, North Dakota e Utah), enquanto Clinton venceu em oito (Arizona, Arkansas, Califórnia, Massachusetts, New Jersey, New York, Oklahoma e Tennessee), com o Novo México ainda indefinido às 6:50 de Brasília.

Mas Hillary também tem motivos para declarar vitória. Ela venceu em três dos quatro grandes estados (New York, Califórnia, New Jersey, perdendo só em Illinois) e abocanhou os estados “azuis”, que costumam votar nos democratas nas eleições gerais. Obama pode declarar que ganhou num número maior de estados, venceu nos lugares onde os democratas costumam perder para os republicanos e confirmou sua elegibilidade, vencendo em estados tradicionalmente racistas como o Alabama ou “brancos” como o Utah e o Idaho. Se consideramos “goleada” uma vitória com mais de 60% dos votos, Obama goleou em oito estados, enquanto Hillary goleou só em um (Arkansas). O número que realmente importa, que é o de delegados, está praticamente empatado.

Ainda é cedo para dizer que Obama virou o jogo, mas já não é correto dizer que Hillary é a favorita, como era indubitavelmente o caso até ontem. Isso, por três motivos: 1) o dinheiro. Obama levantou 32 milhões em janeiro, enquanto Hillary levantou 13 milhões. 64% dos doadores de Clinton chegaram ao seu teto legal. No levantamento de verbas para Obama, há um vasto campo de pequenos doadores, mobilizados via internet, que ainda têm muito gás. 2) a tendência geral do voto, que nitidamente favorece Obama, considerando-se que até muito pouco tempo atrás Hillary era a candidata considerada inevitável. 3) o calendário. As próximas primárias são em lugares onde a vantagem é de Obama. No próximo dia 09 de fevereiro, os democratas de Washington State (não a capital, mas o estado, que fica no extremo noroeste do país), Nebraska, Ilhas Virgens e daqui da Louisiana darão o seu pitaco. No dia 12, reúnem-se os democratas de Maryland, que tem a maior população negra do norte do país (28%) e de Virgínia, onde Obama é favorito. Do jeito que vai a coisa, é difícil imaginar que ela se defina antes da convenção.

A campanha de Obama, ancorada principalmente nos jovens -- homens e mulheres -- não cometeu, este ano, o erro cometido pela campanha de Howard Dean em 2004. O entusiasmo dos jovens em torno a Dean em 2004 acabou criando expectativas enormes e projeções irreais. Quando Dean perdeu a primeira primária, a de Iowa, acabou tendo que fazer um discurso exaltado para manter o ânimo dos apoiadores. O discurso pareceu grosseiramente anti-presidencial e a campanha desabou. Ao longo desta semana, as lideranças ligadas a Obama fizeram questão de estabelecer objetivos modestos: se ficarmos até 100 delegados atrás e conquistarmos alguns estados, estaremos em ótimas condições. O resultado é que com os números desta terça, a base sai com a sensação de vitória.

A emocionante contagem dos votos na noite passada registrou mais um gol da blogosfera sobre a grande mídia. Enquanto apoiadores de Clinton e de Obama roíam as unhas na contagem dos votos em Missouri, o site Político e a cadeia de televisão MSNBC declararam vitória para Clinton, já que ela liderava com 3% de vantagem (a prova está aqui, graças ao Gravata). Até o mestre Josh Marshall embarcou nessa. Às 02:59 eu coloquei uma atualização que basicamente dizia: vocês são irresponsáveis; os votos que faltam são todos de Saint Louis e Kansas City, áreas de Obama! Foi dito e feito. Obama virou. Fica aí a lição. Cuidado com as projeções da grande mídia, sempre.

No lado republicano, a grande história foi o carolão. A dúvida geral antes da Super Terça era se John McCain confimaria a indicação ou se o Barbie Mitt Romney conseguiria equilibrar o jogo. Não aconteceu nem uma coisa nem outra. Sem grana e sem mídia, o carola Huckabee, que quer emendar a constituição para que ela se adeque à Bíblia, ganhou em todo o sul do país. A nominação dificilmente escapa de McCain, que ainda lidera com folga, mas quem lhe deu o susto foi o carolão, não o Barbie.

PS: Meu muito obrigado aos leitores que animaram a caixa de comentários nesta noite. Foi muito bom :-)



  Escrito por Idelber às 05:34 | link para este post | Comentários (38)


Comentários

#1

Idelber,
enquanto não aparece ninguém aqui na caixa, deixeu contar que aqui na Batávia a galera está torcendo pela Hillary, principalmente pela tintura maometana do Obama...

Márcia W. em fevereiro 6, 2008 7:47 AM


#2

Vou acompanhar seu site , gostei muito.
Vou postar no meu blog ok?
Obrigada

Izabella em fevereiro 6, 2008 9:01 AM


#3

Idelber, meus parabéns pelas análises. Seu blog é o primeiro que visito quando desejo saber como estão as coisas por aí. Você tem feito uma brilhante e didática reportagem sobre as eleições americanas mais importantes dos últimos tempos. Abraço!

Sidarta Cavalcante em fevereiro 6, 2008 9:25 AM


#4

Idelber,
Gostaria de comentar e, ao mesmo tempo, perguntar duas coisas sobre estas eleições norte-americanas:
1- É exagero meu, ou a forma como é feito o controle das doações de campanha aí na América faz a gente aqui em Pindorama nos sentirmos envergonhados?
2- Não sei se estou falando uma tremenda bobagem a respeito do debate sobre gênero e preconceito que rolou no post anterior, mas acho a figura de Obama, sob um ponto de vista mais amplo do que a mera configuração fisica, mais feminino que a de Hillary. Me explico: Hillary, como vc mesmo atenta, representa um certo conservadorismo, ainda que dentro da linha democrata. Obama, no entanto, aparece com uma proposta mais progressista, com o discurso da mudança e coisa e tal. Ora, quer coisa mais conservadora nos EUA que o domínio do macho anglo-saxão? Não sei se estou me fazendo entender direito, mas a Hillary não representa melhor este conservadorismo (que poderia ser traduzido pelo patriarcalismo anglo-saxão) a que me referi, apesar de ser uma mulher?

jozahfa em fevereiro 6, 2008 9:33 AM


#5

Texto da capa da Folha SP de hoje:
"McCain e Hillary vencem a Superterça, mas nenhum deles garantiu a candidatura; e chances de Obama diminuíram."

Humberto em fevereiro 6, 2008 9:53 AM


#6

Este blog tá demais de bom! Parabéns mesmo, Idelber!

César em fevereiro 6, 2008 10:37 AM


#7

Idelber, acabei de ver, através do site do Josh Marshall, os discursos de Hillary e Obama (feitos, acredito, após os desfechos da Super-Terça). Não entendo muito o inglês, mas percebi duas coisas. Primeiro, Clinton lê seu discurso, num tom mais formal (mais intelectual?). Já Obama não, parece falar direto de seu coração para o coração de quem o escuta. Suas palavras empolgam mais, passam muito mais emoção. É assim em toda a campanha? Numa campanha extremamente midiática, isso parece fazer diferença a favor do senador de Chicago. Se não me engano, foi no blog do seu padrinho onde li que a senadora terá menos dinheiro para gastar a partir de agora, já que a maioria dos seus doadores está bem próxima do limite máximo de doações. Segundo essa análise, ela tenderá a pedir mais debates. Já Obama tem recebido cada vez mais doações pela internet, e com caixa fortalecido pode usar e abusar de spots na TV (seria isso?). De toda forma, seria interessante uma análise de como cada candidato usa a linguagem nessa campanha. Ainda mais hoje que até uma guerra se pode vencer usando a comunicação... Abraço!

Sidarta Cavalcante em fevereiro 6, 2008 10:56 AM


#8

Idelber,
Parabéns pela cobertura.
Você, o Pedro Doria e o Azenha fizeram um belo trabalho.

Hugo Albuquerque em fevereiro 6, 2008 11:46 AM


#9

A Folha de São Paulo ficou louca???

Alguém poderia confirmar essa notícia do Humberto e me enviar o texto da matéria por email?

Estou sem acesso à Folha -- o que, como se vê, não anda me fazendo nenhuma falta.

Hoje vou demorar a responder comentários. Mas respondo, paciência.

Alguém me mande a matéria urgente, please.

Idelber em fevereiro 6, 2008 11:57 AM


#10

Idelber, não é só na folha. Depois de ter acompanhado sua cobertura (excelente por sinal) até 1 da manhã aqui no RJ, e de ter lido o apanhado geral de manhã, abri o site do jornal O Globo. A manchete de capa é idêntica à da Folha, dando vitória para Hillary e McCain, ainda que fazendo a ressalva, quase que com má vontade, de que esse resultado ainda não é definitivo (http://oglobo.globo.com/mundo/mat/2008/02/05/hillary_mccain_saem_vitoriosos_da_superterca_mas_disputa_continua-425477934.asp. Achei interessante que quase não há referência ao Huckabee, toda a polarização é McCain-Romney. E no jornal da Globo News teve uma professora de direito internacional da USP (cujo nome não recordo, sorry) que também sublinhou a vantagem da Hillary a partir de agora, embora com mais moderação. Ela mencionou que haveria uma campanha interna dentro do partido para que se formasse uma chapa conjunta Hillary-Obama e que isso seria a melhor solução para evitar o racha entre os democratas. Confere?

Ana Paula em fevereiro 6, 2008 12:13 PM


#11

Tem uma aberta:
Hillary e McCain vencem Superterça e são favoritos à candidatura
http://www1.folha.uol.com.br/folha/mundo/ult94u370027.shtml

Charley em fevereiro 6, 2008 12:19 PM


#12

Idelber, não é só a Folha -- alguns jornais britânicos também soltaram chamadas parecidas com a da "Rolha de S. Paulo (notadamente o Daily Mail e o Daily Telegraph, que são declaradamente de direita). Se bem que no geral está um clima de "ok, deu empate" na imprensa local. O clima nos jornais daqui é claramente pró-Obama, chega a ser impressionante a torcida...!

No mais, parabéns pela cobertura. Espero que ela continue durante o ano :)

Anna C. em fevereiro 6, 2008 12:23 PM


#13

Pra vocês verem, pessoal, sobre essa história das manchetes de nossos jornais, que, inclusive não parecem acompanhar os jornais americanos. Melhor se informar pela internet, mais especificamente, pelos blogs! E Idelber, já vi seu blog mencionado no Nassif e no Alon, além do seu padrinho Doria! Fico eu pensando uma coisa aqui: o que será do curso de jornalismo?

Sidarta Cavalcante em fevereiro 6, 2008 12:25 PM


#14

Eu acompanhei junto com o maridao aqui de Virginia e loucura foi quem caiu na onda do MSNBC. A CNN, que alias esta fazendo uma cobertura fantastica... mostrou que os votos que faltavam em St Louis eram do Obama. Vai ser uma disputa bonita nas proximas semanas... acho que tudo pode acontecer. Como eu nao acreditava no McCain ha algumas semanas atras... e ele esta la, com mais de o dobro de delegados do Mitt Romney. Pra quem achou que essa Terca feira ia ser de definicao se enganou profundamente... vamos esperar os proximos capitulos. E parabens pelo otimo trabalho... sua cobertura esta melhor que a dos jornais brasileiros... estou linkando seus posts..
E quanto ao comentario acima da Ana Paula, acho muito improvavel uma chapa Obama-Clinton ou vice-versa. Eh como diriamos aqui "too much" pros americanos...

Claudia Beatriz em fevereiro 6, 2008 12:26 PM


#15

No jovem blog acima (não o autor) - dedicado a leituras e análises, fiz uma análise dos sentidos culturais que representam o trajeto da candidatura Obama, nessas prévias americanas.

Parece haver uma enorme necessidade de renovação da cultura americana, e esta começa a se manifestar, de modo inesperado, através do senador. A questão étnica ou de Hillary ser mulher começa a ser secundária. Hillary errou ao não se posicionar também ao lado dessas propostas renovadoras.

Mas o caso é que Obama em parte também já está sendo "apropriado" pela grande inquietação expressa dos americanos.

Luiz Horacio em fevereiro 6, 2008 1:25 PM


#16

Ops, faltou deixar o link e parabenizar seu blog pelo excelente post de ontem.

Horacio Comments

http://horaciocomments.blogspot.com

Luiz Horacio em fevereiro 6, 2008 2:17 PM


#17

Caro Idelber,
fiquei conhecendo seu blog ontem, gostei muito. Aguardamos o resultado do Novo México, né? Vi no NYTimes e no WPost q realmente está super disputado...
Uma pergunta: com todos os resultados de ontem, já da pra saber quantos delegados cada um têm? Pergunto isso pq cada fonte da um resultado a esse respeito...
Abs, e grato, Evandro.

Evandro de Carvalho Lobão em fevereiro 6, 2008 2:34 PM


#18

Diz a matéria da Folha:

A vitória na Califórnia dá certa folga a Hillary na corrida contra Barack Obama.

A razão, segundo eles, é que Hillary obteve 825 delegados contra 732 de Obama.

Considerando que o universo de delegados é maior que 4.000; 2.045 é o número necessário para garantir a indicação; que Obama supera Hillary em dinheiro, mobilização, e presença nos estados restantes, deixo a minha singela pergunta:

O que o pessoal da Folha anda fumando? Eu quero desse também.

Idelber em fevereiro 6, 2008 4:05 PM


#19

Excelentes comentários, Idelber. Também escrevi quase a mesma coisa lá no blog do Azenha, do qual sou um dos mais ativos colaboradores na parte de comentários...hehe... Só quero dizer que Obama mostrou a capacidade que tem de atrair eleitores independentes e de republicanos moderados, o que explica a facilidade com que derrotou Hillary em estados em que os Republicanos sempre vencem as eleições presidenciais. Entendo que Hillary está fazendo uma campanha bem tradicional, conservadora, voltada para conseguir a indicação do Partido Democrata e que apela ao eleitorado tradicional do Partido. Ela está falando para os seus próprios seguidores e é isto que a tem mantido na disputa, creio eu. Já Obama faz um discurso de um alcance muito maior, atraindo muitos eleitores jovens (que, se não fosse por Obama, nem participariam da campanha), independentes e republicanos moderados. A estratégia de Hillary pode dar a candidatura Democrata para ela (o que ainda não está garantido) mas irá criar maiores dificuldades quando ela for enfrentar McCain em Novembro, pois enfrenta uma resistência muito maior deste eleitorado independente e de republicanos moderados. Já Obama não terá dificuldades para atrair este eleitorado e somá-lo ao dos democratas tradicionais (que estarão doidos para retomar o controle da Casa Branca e o apoiarão de forma ostensiva, com certeza). Por isso mesmo é que os próprios republicanos tem muito mais medo de enfrentar Obama do que Hillary, pois o alcance do discurso dele é muito maior do que o de Hillary. Espero que isso seja suficiente para abrir os olhos de lideranças tradicionais dos Democratas e de parte do eleitorado de Hillary e que os mesmos passem a apoiar Obama, consagrando-o candidato. Se isso acontecer eu não tenho a menor dúvida da sua vitória. Ainda mais que o McCain, virtual candidato republicano, terá que fazer inúmeras concessões para os extremistas do seu partido, o que afastará os eleitores independentes e de republicanos moderados da sua candidatura, abrindo caminho para uma retumbante vitória de Obama em Novembro. Go Obama!!!

Marcos em fevereiro 6, 2008 4:07 PM


#20

Cara, só uma pergunta: seu blog está concorrendo ao Prêmio Ibest? Pois é mais do que óbvio que ele é muito melhor do que outros que estão concorrendo.

Marcos em fevereiro 6, 2008 4:10 PM


#21

Marcos, obrigado pela lembrança, mas eu não ligo para esses prêmios, não.

Foi bom ver a virada do Nassif, no entanto :-)

Idelber em fevereiro 6, 2008 4:29 PM


#22

Prazer em conhecer, muito bom o seu trabalho, copiei um trecho do texto sobre o John Edwards no meu blog. Agora, sobre a FSP, sem comentários.Abraço

elizabeth lorenzotti em fevereiro 6, 2008 4:58 PM


#23

Idelber,

Folha e Globo deram vitoria a Hillary pela manha~. Agora ja' parecem estar mais cautelosos. A cobertura dos jornais brasileiros esta' pessima - fiz ate' um post sobre isso hoje pela manha~. Achei irritante ler Hillary vence a super-terca! Nao se trata de irritante por ela, mas sim pela falta de profundidade das materias, a falta de informacao.

Andei postando varios comentarios aqui no Biscoito esses dias que nao estao aparecendo. Recebo uma msg dizendo que os comentarios estao sendo moderados e serao publicados apos aprovacao. O que estaria acontecendo?

Beijos gelados de um dia com chuva de gelo e nevasca!

Leticia.

Leticia em fevereiro 6, 2008 5:17 PM


#24

Também acho uma chapa Obama-Hillary (ou Hillary-Obama) altamente improvável, como bem disse a Claudia aí em cima.

É eleitoralmente inviável.

(Leticia, problema resolvido!).

Idelber em fevereiro 6, 2008 6:23 PM


#25

Ana Paula, obrigado pelo link ao Globo, que também errou feio.

Quanto ao comentário da Professora: não, não há nenhuma campanha visível para que se constitua uma chapa Hillary-Obama ou vice-versa. A disputa é muito acirrada, a base do partido -- que se mobiliza majoritamente no campo de Obama -- é avessa a qualquer composição no momento, e essa chapa não seria a melhor escolha eleitoral para os democratas, que precisam de alguém do sul.

Não descarto que essa campanha pró-composição venha a acontecer, ou mesmo que ela dê certo, mas no momento não há nenhum indício para afirmar isso.

Idelber em fevereiro 6, 2008 7:00 PM


#26

Romney só venceu em dois tipos de lugares: aonde havia mórmons e nas grandes cidades. Desconfio que essa vitória em Minnesota foi puxada por Minneapolis e Saint Paul.

André Kenji em fevereiro 6, 2008 7:03 PM


#27

Jozahfa,

1. Sim, o esquema de doações aqui é muito mais transparente. Não elimina as falcatruas, nem muito menos o poder do dinheiro e do lobby. Mas é, sim, bem mais transparente que o do Brasil.

2. Sobre racismo / sexismo. O problema é complexo. Prometo um post sobre isso para breve. Quanto à sua pergunta mais concreta: sim, é fato que Hillary tem posições mais à direita no espectro do Partido Democrata.

Obrigado, Anna, Sidarta e todos. Vou cuidar dos alunos um tiquinho agora :-)

Idelber em fevereiro 6, 2008 7:06 PM


#28

Meus chutes(altos) para vices:

Obama:

Bill Richardson
Janet Napolitano
Kathleen Sebelius

Hillary

Evan Bayh
Richardson?
Bob Kerrey
Wesley Clark

McCain

Tom Coburn
Fred Thompson
Lindsey Graham

Mitt Romney

Jim DeMint
Bill Frist

Huckabee

Pat Robertson?
Sam Brownback?

André Kenji em fevereiro 6, 2008 7:31 PM


#29

E Edwards, nao toparia ser vice de ninguem nao? De Obama, quero dizer.

Leticia em fevereiro 6, 2008 7:36 PM


#30

Sim, Leticia há uma chance real. Especialmente se o candidato for o Obama.

André, imagine uma chapa Huckabee/Robertson?

Haja Bíblia!

Idelber em fevereiro 6, 2008 7:42 PM


André Kenji em fevereiro 6, 2008 8:40 PM


#32

André, Romney venceu em Minneapolis e St. Paul mas também venceu em quase todo o leste do estado. Dê uma olhadinha lá no mapa do NYT.

O link: hilário! Gracias :-)

Idelber em fevereiro 6, 2008 8:42 PM


#33

Sim, é verdade. Ele venceu inclusive em Duluth. Mas as médias de vitória foram bem maiores nas duas cidades gêmeas, não?

André Kenji em fevereiro 6, 2008 8:55 PM


#34

Idelber, por favor, me diga: afinal, quem está liderando a disputa Democrata em número de delegados? cada fonte diz uma coisa...CNN mostra liderança de Hillary, mas a MSNBC mostra a liderança do Obama.

Quem está certo nesta história, afinal?

abraço

Marcos em fevereiro 8, 2008 8:55 PM


#35

Marcos, os dois estão certos. Eu respondi a pergunta nesse comentário do post acima.

Idelber em fevereiro 8, 2008 11:39 PM


#36

"Barack Obama: 1570

Hillary Clinton : 1465

Estes números indicam que Hillary Clinton recuperou ontem… 5 delegados. Obama venceu o Caucus do Texas, ganhando mais cinco delegados que Hillary neste estado, apesar da derrota nas primárias. Depois das derrotas no Ohio e Rhode Island, Obama continua com uma vantagem confortável sobre Hillary Clinton."
-Blog do Nuno Golveia http://politica2008.wordpress.com/

Izabella em março 5, 2008 10:52 PM


#37

acho "eleições americanas" um tema da maior importância para ser divulgado para o mundo. Tenho o maior ineresse em acompanhar esse acontecimento político dos EEUU, porém está sendo divulgado muito atrazado de 6 de fevereiro de 2008. Pela sua importância deveriam ser mais atuais as notícias.

Paulo de Medeiros Fernandes em março 14, 2008 5:11 AM


#38

"O trauma do furacão Katrina volta a atacar os New Orleans . Três anos depois da trágica tormenta, que inundou praticamente 90% de Nova Orleans, a cidade volta a ser tomada pelo medo, com o surgimento do furacão Gustav.
A expectativa é que o furacão Gustav se aproxime da região de Nova Orleans por volta de terça-feira à noite."Globo.com
Deus proteja à todos.

Izabella em agosto 29, 2008 10:37 PM