Meu Perfil
Um blog de esquerda sobre política, literatura, música e cultura em geral, com algum arquivo sobre futebol. Estamos na rede desde 28/10/2004.



Email:
idelberavelar arroba gmail ponto com

No Twitter No Facebook No Formspring No GoogleReader RSS/Assine o Feed do Blog

O autor
Curriculum Vitae
 Página pessoal em Tulane


Histórico
 setembro 2015
 dezembro 2014
 outubro 2014
 maio 2014
 abril 2014
 maio 2011
 março 2011
 fevereiro 2011
 janeiro 2011
 dezembro 2010
 novembro 2010
 outubro 2010
 setembro 2010
 agosto 2010
 agosto 2009
 julho 2009
 junho 2009
 maio 2009
 abril 2009
 março 2009
 fevereiro 2009
 janeiro 2009
 dezembro 2008
 novembro 2008
 outubro 2008
 setembro 2008
 agosto 2008
 julho 2008
 junho 2008
 maio 2008
 abril 2008
 março 2008
 fevereiro 2008
 janeiro 2008
 dezembro 2007
 novembro 2007
 outubro 2007
 setembro 2007
 agosto 2007
 julho 2007
 junho 2007
 maio 2007
 abril 2007
 março 2007
 fevereiro 2007
 janeiro 2007
 novembro 2006
 outubro 2006
 setembro 2006
 agosto 2006
 julho 2006
 junho 2006
 maio 2006
 abril 2006
 março 2006
 janeiro 2006
 dezembro 2005
 novembro 2005
 outubro 2005
 setembro 2005
 agosto 2005
 julho 2005
 junho 2005
 maio 2005
 abril 2005
 março 2005
 fevereiro 2005
 janeiro 2005
 dezembro 2004
 novembro 2004
 outubro 2004


Assuntos
 A eleição de Dilma
 A eleição de Obama
 Clube de leituras
 Direito e Justiça
 Fenomenologia da Fumaça
 Filosofia
 Futebol e redondezas
 Gênero
 Junho-2013
 Literatura
 Metablogagem
 Música
 New Orleans
 Palestina Ocupada
 Polí­tica
 Primeira Pessoa



Indispensáveis
 Agência Carta Maior
 Ágora com dazibao no meio
 Amálgama
 Amiano Marcelino
 Os amigos do Presidente Lula
 Animot
 Ao mirante, Nelson! (in memoriam)
 Ao mirante, Nelson! Reloaded
 Blog do Favre
 Blog do Planalto
 Blog do Rovai
 Blog do Sakamoto
 Blogueiras feministas
 Brasília, eu vi
 Cloaca News
 Consenso, só no paredão
 Cynthia Semíramis
 Desculpe a Nossa Falha
 Descurvo
 Diálogico
 Diário gauche
 ¡Drops da Fal!
 Futebol política e cachaça
 Guaciara
 Histórias brasileiras
 Impedimento
/  O Ingovernável
 Já matei por menos
 João Villaverde
 Uma Malla pelo mundo
 Marjorie Rodrigues
 Mary W
 Milton Ribeiro
 Mundo-Abrigo
 NaMaria News
 Na prática a teoria é outra
 Opera Mundi
 O palco e o mundo
 Palestina do espetáculo triunfante
 Pedro Alexandre Sanches
 O pensador selvagem
 Pensar enlouquece
 Politika etc.
 Quem o machismo matou hoje?
 Rafael Galvão
 Recordar repetir elaborar
 Rede Brasil Atual
 Rede Castor Photo
 Revista Fórum
 RS urgente
 Sergio Leo
 Sexismo na política
 Sociologia do Absurdo
 Sul 21
 Tiago Dória
 Tijolaço
 Todos os fogos o fogo
 Túlio Vianna
 Urbanamente
 Wikileaks: Natalia Viana



Visito também
 Abobrinhas psicodélicas
 Ademonista
 Alcinéa Cavalcante
 Além do jogo
 Alessandra Alves
 Alfarrábio
 Alguém testou
 Altino Machado
 Amante profissional
 Ambiente e Percepção
 Arlesophia
 Bala perdida
 Balípodo
 Biajoni!
 Bicho Preguiça
 Bidê Brasil
 Blah Blah Blah
 Blog do Alon
 Blog do Juarez
 Blog do Juca
 Blog do Miro
 Blog da Kika Castro
 Blog do Marcio Tavares
 Blog do Mello
 Blog dos Perrusi
 Blog do Protógenes
 Blog do Tsavkko, Angry Brazilian
 Blogafora
 blowg
 Borboletas nos olhos
 Boteco do Edu
 Botequim do Bruno
 Branco Leone
 Bratislava
 Brontossauros em meu jardim
 A bundacanalha
 Cabaret da Juju
 O caderno de Patrick
 Café velho
 Caldos de tipos
 Cão uivador
 Caquis caídos
 O carapuceiro
 Carla Rodrigues
 Carnet de notes
 Carreira solo
 Carta da Itália
 Casa da tolerância
 Casa de paragens
 Catarro Verde
 Catatau
 Cinema e outras artes
 Cintaliga
 Com fé e limão
 Conejillo de Indias
 Contemporânea
 Contra Capa
 Controvérsia
 Controvérsias econômicas
 Conversa de bar
 Cria Minha
 Cris Dias
 Cyn City
 Dançar a vidao
 Daniel Aurélio
 Daniel Lopes
 de-grau
 De olho no fato
 De primeira
 Déborah Rajão
 Desimpensável/b>
 Diário de Bordo
 Diario de trabajo
 Didascália e ..
 Diplomacia bossa nova
 Direito e internet
 Direitos fundamentais
 Disparada
 Dispersões, delírios e divagações
 Dissidência
 Dito assim parece à toa
 Doidivana
 Dossiê Alex Primo
 Um drible nas certezas
 Duas Fridas
 É bom pra quem gosta
 eblog
 Ecologia Digital
 Educar para o mundo
 Efemérides baianas
 O escrevinhador
 Escrúpulos Precários
 Escudinhos
 Estado anarquista
 Eu sei que vivo em louca utopia
 Eu sou a graúna
 Eugenia in the meadow
 Fabricio Carpinejar
 Faca de fogo
 Faça sua parte
 Favoritos
 Ferréz
 Fiapo de jaca
 Foi feito pra isso
 Fósforo
 A flor da pele
 Fogo nas entranhas
 Fotógrafos brasileiros
 Frankamente
 Fundo do poço
 Gabinete dentário
 Galo é amor
'  Garota coca-cola
 O gato pré-cambriano
 Geografias suburbanas
 Groselha news
 Googalayon
 Guerrilheiro do entardecer
 Hargentina
 Hedonismos
 Hipopótamo Zeno
 História em projetos
 Homem do plano
 Horas de confusão
 Idéias mutantes
 Impostor
 Incautos do ontem
 O incrível exército Blogoleone
 Inquietudine
 Inside
 Interney
 Ius communicatio
 jAGauDArTE
 Jean Scharlau
 Jornalismo B
 Kit básico da mulher moderna
 Lady Rasta
 Lembrança eterna de uma mente sem brilho
 A Lenda
 Limpinho e cheiroso
 Limpo no lance
 Língua de Fel
 Linkillo
 Lixomania
 Luz de Luma
 Mac's daily miscellany
 O malfazejo
 Malvados
 Mar de mármore
 Mara Pastor
 Márcia Bechara
 Marconi Leal
 Maria Frô
 Marmota
 Mineiras, uai!
 Modos de fazer mundos
 Mox in the sky with diamonds
 Mundo de K
 Na Transversal do Tempo
 Nación apache
 Nalu
 Nei Lopes
 Neosaldina Chick
 Nóvoa em folha
 Nunca disse que faria sentido
 Onde anda Su?
 Ontem e hoje
 Ou Barbárie
 Outras levezas
 Overmundo
 Pálido ponto branco
 Panóptico
 Para ler sem olhar
 Parede de meia
 Paulodaluzmoreira
 Pecus Bilis
 A pequena Matrioska
 Peneira do rato
 Pictura Pixel
 O pífano e o escaninho
 Pirão sem dono
 políticAética
 Política & políticas
 Política Justiça
 Politicando
 Ponto e contraponto
 Ponto media
 Por um punhado de pixels
 Porão abaixo
 Porco-espinho e as uvas
 Posthegemony
 Prás cabeças
 Professor Hariovaldo
 Prosa caótica
 Quadrado dos Loucos
 Quarentena
 Que cazzo
 Quelque chose
 Quintarola
 Quitanda
 Radioescuta Hi-Fi
 A Realidade, Maria, é Louca
 O Reduto
 Reinventando o Presente
 Reinventando Santa Maria
 Retrato do artista quando tolo
 Roda de ciência
 Samurai no Outono
 Sardas
 Sérgio Telles
 Serbão
 Sergio Amadeu
 Sérgio blog 2.3
 Sete Faces
 Sexismo e Misoginia
 Silenzio, no hay banda
 Síndrome de Estocolmo
 O sinistro
 Sob(re) a pálpebra da página
 Somos andando
 A Sopa no exílio
 Sorriso de medusa
 Sovaco de cobra
 Sub rosa v.2
 SublimeSucubuS
 Superfície reflexiva
 Tá pensando que é bagunça
 Talqualmente
 Taxitramas
 Terapia Zero
 A terceira margem do Sena
 Tiago Pereira
 TupiWire
 Tom Zé
 Tordesilhas
 Torre de marfim
 Trabalho sujo
 Um túnel no fim da luz
 Ultimas de Babel
 Um que toque
 Vanessa Lampert
 Vê de vegano
 Viajando nas palavras
 La vieja bruja
 Viomundo
 Viraminas
 Virunduns
 Vistos e escritos
 Viva mulher
 A volta dos que não foram
 Zema Ribeiro







selinho_idelba.jpg


Movable Type 3.36
« My enemy's enemy.... :: Pag. Principal :: Notícia rapidinha do front »

sábado, 09 de fevereiro 2008

Galo aos sábados: 1926-1929

A equipe atleticana retratada abaixo foi a responsável pela quebra da mais longa seqüência de títulos estaduais da história do futebol brasileiro. Junto com o ABC-RN, o América-MG é o único clube a jamais ter conquistado um decacampeonato. Em Minas, isso aconteceu na época do amadorismo, de 1916 a 1925, logo depois do título pioneiro do Galo em 1915.

Depois disso, o Atlético-MG nunca mais passaria por uma seca igual. A equipe de 1926 colocou o Galo no rumo da hegemonia que o clube jamais voltaria a ceder: o de maior campeão mineiro. O título de 1926 foi surpreendemente fácil, considerando-se o jejum de uma década. Foram 10 jogos; 8 vitórias, 1 empate, 1 derrota. 42 gols pró e 19 contra. O artilheiro foi Mário de Castro, o primeiro grande ídolo atleticano, com 20 gols. Eis aí os bicampeões de 1926-27, com destaque para o sensacional penteado de Neném Aluoto:

campeao-26.jpg
Da esquerda para a direita: Getulinho, Franco, Ruy Lage, Jairo, Getúlio, Neném Aluoto, Calígula, Ivo Melo, Amador, Mário de Castro, Cardoso, Chiquinho e o diretor de futebol Adelino Testi. A foto é do legendário Joanésio Moreira.

O bicampeonato de 1927 também foi conquistado de forma avassaladora: 12 jogos, 10 vitórias, 1 empate, 1 derrota. 58 gols a favor e 18 contra. Mário de Castro de novo foi o artilheiro, desta vez com 27 gols. Naquele ano, dois jogos ficaram imortalizados. No dia 26 de novembro, o Cruzeiro, então Palestra Itália, amargaria mais um momento da freguesia que o coloca hoje 40 vitórias atrás do Atlético em confrontos diretos. Mas naquele dia foi especial: 9 x 2, até hoje a maior goleada da história do clássico. Antes disso, no dia 04 de setembro, o Galo enfrentara o Vila Nova no temido campo de Nova Lima. Saíra para o intervalo do jogo perdendo por 4 x 1. Os palestrinos comemoravam intensamente, pois se tratava da última rodada e mesmo um empate do Vila com o Galo daria o título ao Palestra. Mário de Castro se retirara para o vestiário sob intensas gozações dos vila-novenses. Diz a lenda que voltou possuído. Em 15 minutos, enfiou um, dois, três, quatro gols. Galo 5 x 4 Vila, Atlético bicampeão mineiro de 1927.

30 de maio de 1929 é outra data histórica para o Galo. Belo Horizonte era uma cidade de 40.000 habitantes e mais de 10% da população se reuniu num mesmo lugar. O Glorioso inaugurava o Estádio Presidente Antônio Carlos, para pouco mais de 5.000 pessoas, no quarteirão número 13 da 9a seção urbana, no bairro de Lourdes – hoje área nobre de BH, na época um deserto. O convidado do Galo foi o Corinthians, que saiu vencendo por 1 x 0. Mário de Castro empatou ainda no primeiro tempo. No segundo, Mário de Castro faria mais dois, Said marcaria o seu e o Corinthians diminuiria. Final: Galo 4 x 2, sobre aquele que era considerado por muitos o melhor time do Brasil. O juiz ainda anularia 2 gols do Galo.

O Galo venceu com Osvaldo, Chiquinho e Binga; Cordeiro, Brant e Ivo; Dalmy, Said, Jairo, Mário de Castro e Geraldino. Aí vai uma foto da inauguração, também de Joanésio Moreira:

1929.jpg

Fonte das fotos e informações: Atlético de todos os tempos, de Adelchi Ziller.


PS:
Em breve, no Galo aos sábados: a homenagem a uma grande atleticana que foi a maior de todas na carreira que escolheu.

PS 2: No domingo de manhã, o blog publicará informações e análise sobre os primárias democratas da Louisiana e as assembléias (caucus) de Washington e Nebraska.



  Escrito por Idelber às 01:57 | link para este post | Comentários (22)


Comentários

#1

Mesmo sendo cruzeirense apaixonado, o Galo teve uma grande participação para o futebol mineiro. Pena que quando se lembra de time bom em Minas, se lembra da Raposa. Tô brincando, tiro o chapéu para nosso rival penoso.
Saudações azuis!

Gustavo Brunoro em fevereiro 9, 2008 8:42 AM


#2

Sua série homenageando o Galo está show de bola, Idelber! Deveria virar livro. :)

Abraços.

Ricardo Antunes da Costa em fevereiro 9, 2008 9:04 AM


#3

Caro Idelber,
e pensar que nas décadas de 70 e 80 - o bairro de Lourdes já um local nobre - tínhamos nosso "ex-campo do galo" com várias quadras e espaços de lazer, onde a meninada de diversas classes sociais interagia democraticamente. O epílogo da história você conhece: especulação imobiliária, extinção do espaço livre, construção de shopping elitizado, exclusão.
Abraços!
Até o próximo "sabagalo".

Homo antiquus em fevereiro 9, 2008 10:01 AM


#4

O America na verdade ganhou 9 campeonatos consecutivos, ja que o de 1925 nao teve um vencedor por nao ter acabado.
Veja: http://campeonatomineiro.blogspot.com/2008/01/o-deca-do-amrica-tem-nove-campeonatos.html

galo_2099 em fevereiro 9, 2008 10:44 AM


#5

Idelber, eu sei que você disse que não liga para Prêmios, como o Ibest, mas tomei a liberdade (espero que não me esculache por causa disso...hehe...) de increver o seu blog para concorrer ao Prêmio Ibest na categoria 'Blogs:Variedades'.

Agora, que tal fazer uma divulgação aqui no blog para estimular todos a votarem, hein?

abraço

link para votar:

http://www.premioibest.com.br/ibest/categoria.action?id=31&pager.offset=90

Marcos em fevereiro 9, 2008 11:18 AM


#6

Esperava ler de tudo neste que é o meu blog predileto, menos o nome do meu MAIS QUERIDO ABC.
Que honra!

arimateia alves em fevereiro 9, 2008 11:20 AM


#7

Oi, acho que não entendi... Nem América-MG nem ABC foram decacampeões? e todos os outros times foram? Como assim?

MarcosVP em fevereiro 9, 2008 2:01 PM


#8

Idelber, acho que você deveria é explicar o que são os super-delegados de vez:

http://www.washingtonpost.com/wp-dyn/content/discussion/2008/02/03/DI2008020302985.html

Paul Kane: Sorry Reading, Ohio is not at all where Clinton could wrap things up. We've done a bad job of explaing this, but it is now basically mathematically impossible for either Clinton or Obama to win the nomination through the regular voting process (meaning the super-delegates decide this one, baby!).

Here's the math. There are 3,253 pledged delegates, those doled out based on actual voting in primaries and caucuses. And you need 2,025 to win the nomination.

To date, about 55% of those 3,253 delegates have been pledged in the voting process -- with Clinton and Obamb roughly splitting them at about 900 delegates a piece.

That means there are now only about 1,400 delegates left up for grabs in the remaining states and territories voting.

So, do the math. If they both have about 900 pledged delegates so far, they need to win more than 1,100 of the remaining 1,400 delegates to win the nomination through actual voting.

Ain't gonna happen, barring a stunning scandal or some new crazy revelation. So, they'll keep fighting this thing out, each accumulating their chunk of delegates, one of them holding a slight edge and bothing finishing the voting process with 1,600 or so delegates.

And then the super delegates decide this thing.

That's the math.

André Kenji em fevereiro 9, 2008 2:16 PM


#9

Marcos, cortei o "jamais" que estava causando a ambiguidade. Melhorou?

Idelber em fevereiro 9, 2008 3:04 PM


#10

Gustavo, meu caro, mensagens bem humoradas e cordiais do nobre rival são sempre bem vindas.

Valeu, Ricardo :-)

Homo antiquus, na mosca. Lourdes é o retrato perfeito do resultado da especulação imobiliária. E hoje já há até templo do Edir Macedo por lá...

galo, obrigado pela dica ao que parece ser um excelente blog. Vou dar mais uma conferida nessa história do Campeonato de 1925.

Marcos, obrigado, agradeço mesmo. Quanto a anunciar e pedir votos, não sei, tenho que pensar... Eu tinha jurado não me envolver com esses concursos...

arimateia, que bom. E salve o glorioso alvi-negro de Natal, agora de volta à segundona.

André, se eu for tentar explicar isso para todo mundo que passar aqui, eu fico louco, bicho. Sério, vira emprego em tempo integral.

Mas agradeço :-)

Idelber em fevereiro 9, 2008 3:27 PM


#11

Idelber

É que eu acho que acompanhar os caucuses e primárias é inutil já que serão os superdelegados que decidirão a parada. E considerando a questão de Michigan e Flórida a questão não vai ser nada agradável...

André Kenji em fevereiro 9, 2008 3:47 PM


#12

Fantástica matéria !!! Vc é um craque nesse tipo de matéria e publicação além de ter um grande coração atleticano !!! Me manda uma autorização para eu colocar lá no meu blog tb com sua fonte e referência !!! Um grande abraço !!!

DOLABELA em fevereiro 9, 2008 4:29 PM


#13

É só botar, Dolabela! É uma honra ser linkado no Galo é amor!

E pinte aqui todo sábado, tem Sabagalo até o fim do ano!

Idelber em fevereiro 9, 2008 4:47 PM


#14

Oi Idelber,

A maior atleticana que conheci foi minha falecida avó Maria José, que corria atrás dos netos com o chinelo na mão sempre que a gente gritava zêro só pra irritá-la. Dizia que preferia ver o Cruzeiro perder do que o Atlético ganhar...


Graças ao seu blog acabei ficando menos alienado em relação às eleições do norte. Você deve ter lido as duas matérias do Sergio D'Avila que saíram hoje na Folha, sobre os "obamacanos" (republicanos que apóiam Obama) e a Hillary em New Orleans. Essa dele falar que os filhos foram ver Obama e as mães foram ver Hillary não seria uma simplificação, apesar de hilária? Você não acha que essa história dos obamacanos indica que, apesar das pisadas de bola dos democratas, eles ainda estão com a faca e o queijo na mão, para usar uma expressão bem mineira?

Rumo à Kingston!

Abraço

Leo Vidigal em fevereiro 9, 2008 6:32 PM


#15

tem uma mulher no meio da primeira foto?

Rodrigo em fevereiro 9, 2008 6:50 PM


#16

Rodrigo, é o penteado sensacional do Neném Aluoto!

Leo, pergunta complexa, resposta em breve :-)

Idelber em fevereiro 9, 2008 6:53 PM


#17

Idelber, como anda a receptividade ao Geninho pela torcida d'O Galo? Por aqui o bixo nunca chegou a ser uma unanimidade. Pra mim, fez do limão uma limonada, apesar de ser um pouco retranqueiro (insiste no 3-5-2) e de ter faltado pulso no último jogo do brasileirão, quando perdemos para o Juventude e deixamos escapar a vaga para a Sulamnericana. Conta aí, bro!

Kbção em fevereiro 10, 2008 8:59 AM


#18

Caro Idelber,
Providencial a lembrança daqueles 5x4 sobre o Vila. No sábado em que você publicou mais este capítulo, o Galo subiu a Nova Lima para enfrentar o Leão do Bonfim pela 227a vez.
Não é todo dia que dois times se enfrentam carregando cada um 100 anos de história.
No clássico dos 200, deu Galo 2x0.
(parece incrível, mas o Marques voltou ainda melhor. atenção para a parceria dele como o jovem Bruno).
Saudações Atleticanas
Ricardo Amaral

ricardo amaral em fevereiro 10, 2008 1:57 PM


#19

Eu vi, caro Ricardo. E parece que esse lateral uruguaio é bom, né? O cara fez um golaço!

Kbção, a resistência ao Geninho na Massa foi enorme. Ninguém se esquece de que ele trocou o Galo pelo Corinthians em 2003, num momento em que o time estava prontinho. Foi também responsável por um vexame, os 6 x 2 que o Galo levou do mesmo Corinthians nas quartas-de-final de 2002, em pleno Mineirão, quando o cabra armou o 3-5-2 mais absurdo, com dois laterais e três volantes. Eu não gosto dele, não!

Idelber em fevereiro 10, 2008 4:17 PM


#20

Caro Idelber,

Essa série sobre o Galo é primorosa, de fato. Há controvérsias também sobre o propalado deca do ABC, que teria acontecido de 1932 a 1941.

Levantamentos recentes mostram que os campeonatos de 1936 e 1938 não foram concluídos. O ABC tinha ganho o equivalente ao primeiro turno em 1936, e.g., e, apesar da data do returno marcada, o clube saiu para excursão ao Recife e depois Mossoró. Não aconteceu returno. A Liga não homologou o título mas o ABC se apossou mesmo assim.

Em 1938 aconteceu algo similar; contudo a não realização do returno deveu-se aos treinamentos para o campeonato brasileiro de seleções estaduais. Findou-se o campeonato e não se retomou o estadual de clubes.

ps.: Souza, que esteve nas últimas duas temporadas no seu clube de origem, América-RN, está de volta ao seu Galo... se estiver motivado (e trabalhando com Geninho) ainda joga muita bola, pode anotar.

George Dantas em fevereiro 11, 2008 7:22 AM


#21

Porra, o gorducho tem mania de 3-5-2. Por aqui, grande parte da resistência a ele se dá por causa disto. Não se iluda, ele gosta mesmo de jogar com três volantes...

Kbção em fevereiro 11, 2008 1:35 PM


#22

caro idelber, estou pesquiusando, uma taça em questao.TAÇA VILA RICA.era para ser na melhor de 3.

nao sei quem chegou a levar esta taça.nao tenho dados.

segue.
taça vila rica
Data: 20 de agosto de 1944.
Resultado: VILLA NOVA (MG) 1x0 ATLÉTICO
Data: 16 de setembro de 1944.
Resultado: ATLÉTICO 4x3 VILLA NOVA (MG).

falta um jogo....


eduardo chc em maio 24, 2008 7:55 PM