Meu Perfil
Um blog de esquerda sobre política, literatura, música e cultura em geral, com algum arquivo sobre futebol. Estamos na rede desde 28/10/2004.



Email:
idelberavelar arroba gmail ponto com

No Twitter No Facebook No Formspring No GoogleReader RSS/Assine o Feed do Blog

O autor
Curriculum Vitae
 Página pessoal em Tulane


Histórico
 setembro 2015
 dezembro 2014
 outubro 2014
 maio 2014
 abril 2014
 maio 2011
 março 2011
 fevereiro 2011
 janeiro 2011
 dezembro 2010
 novembro 2010
 outubro 2010
 setembro 2010
 agosto 2010
 agosto 2009
 julho 2009
 junho 2009
 maio 2009
 abril 2009
 março 2009
 fevereiro 2009
 janeiro 2009
 dezembro 2008
 novembro 2008
 outubro 2008
 setembro 2008
 agosto 2008
 julho 2008
 junho 2008
 maio 2008
 abril 2008
 março 2008
 fevereiro 2008
 janeiro 2008
 dezembro 2007
 novembro 2007
 outubro 2007
 setembro 2007
 agosto 2007
 julho 2007
 junho 2007
 maio 2007
 abril 2007
 março 2007
 fevereiro 2007
 janeiro 2007
 novembro 2006
 outubro 2006
 setembro 2006
 agosto 2006
 julho 2006
 junho 2006
 maio 2006
 abril 2006
 março 2006
 janeiro 2006
 dezembro 2005
 novembro 2005
 outubro 2005
 setembro 2005
 agosto 2005
 julho 2005
 junho 2005
 maio 2005
 abril 2005
 março 2005
 fevereiro 2005
 janeiro 2005
 dezembro 2004
 novembro 2004
 outubro 2004


Assuntos
 A eleição de Dilma
 A eleição de Obama
 Clube de leituras
 Direito e Justiça
 Fenomenologia da Fumaça
 Filosofia
 Futebol e redondezas
 Gênero
 Junho-2013
 Literatura
 Metablogagem
 Música
 New Orleans
 Palestina Ocupada
 Polí­tica
 Primeira Pessoa



Indispensáveis
 Agência Carta Maior
 Ágora com dazibao no meio
 Amálgama
 Amiano Marcelino
 Os amigos do Presidente Lula
 Animot
 Ao mirante, Nelson! (in memoriam)
 Ao mirante, Nelson! Reloaded
 Blog do Favre
 Blog do Planalto
 Blog do Rovai
 Blog do Sakamoto
 Blogueiras feministas
 Brasília, eu vi
 Cloaca News
 Consenso, só no paredão
 Cynthia Semíramis
 Desculpe a Nossa Falha
 Descurvo
 Diálogico
 Diário gauche
 ¡Drops da Fal!
 Futebol política e cachaça
 Guaciara
 Histórias brasileiras
 Impedimento
/  O Ingovernável
 Já matei por menos
 João Villaverde
 Uma Malla pelo mundo
 Marjorie Rodrigues
 Mary W
 Milton Ribeiro
 Mundo-Abrigo
 NaMaria News
 Na prática a teoria é outra
 Opera Mundi
 O palco e o mundo
 Palestina do espetáculo triunfante
 Pedro Alexandre Sanches
 O pensador selvagem
 Pensar enlouquece
 Politika etc.
 Quem o machismo matou hoje?
 Rafael Galvão
 Recordar repetir elaborar
 Rede Brasil Atual
 Rede Castor Photo
 Revista Fórum
 RS urgente
 Sergio Leo
 Sexismo na política
 Sociologia do Absurdo
 Sul 21
 Tiago Dória
 Tijolaço
 Todos os fogos o fogo
 Túlio Vianna
 Urbanamente
 Wikileaks: Natalia Viana



Visito também
 Abobrinhas psicodélicas
 Ademonista
 Alcinéa Cavalcante
 Além do jogo
 Alessandra Alves
 Alfarrábio
 Alguém testou
 Altino Machado
 Amante profissional
 Ambiente e Percepção
 Arlesophia
 Bala perdida
 Balípodo
 Biajoni!
 Bicho Preguiça
 Bidê Brasil
 Blah Blah Blah
 Blog do Alon
 Blog do Juarez
 Blog do Juca
 Blog do Miro
 Blog da Kika Castro
 Blog do Marcio Tavares
 Blog do Mello
 Blog dos Perrusi
 Blog do Protógenes
 Blog do Tsavkko, Angry Brazilian
 Blogafora
 blowg
 Borboletas nos olhos
 Boteco do Edu
 Botequim do Bruno
 Branco Leone
 Bratislava
 Brontossauros em meu jardim
 A bundacanalha
 Cabaret da Juju
 O caderno de Patrick
 Café velho
 Caldos de tipos
 Cão uivador
 Caquis caídos
 O carapuceiro
 Carla Rodrigues
 Carnet de notes
 Carreira solo
 Carta da Itália
 Casa da tolerância
 Casa de paragens
 Catarro Verde
 Catatau
 Cinema e outras artes
 Cintaliga
 Com fé e limão
 Conejillo de Indias
 Contemporânea
 Contra Capa
 Controvérsia
 Controvérsias econômicas
 Conversa de bar
 Cria Minha
 Cris Dias
 Cyn City
 Dançar a vidao
 Daniel Aurélio
 Daniel Lopes
 de-grau
 De olho no fato
 De primeira
 Déborah Rajão
 Desimpensável/b>
 Diário de Bordo
 Diario de trabajo
 Didascália e ..
 Diplomacia bossa nova
 Direito e internet
 Direitos fundamentais
 Disparada
 Dispersões, delírios e divagações
 Dissidência
 Dito assim parece à toa
 Doidivana
 Dossiê Alex Primo
 Um drible nas certezas
 Duas Fridas
 É bom pra quem gosta
 eblog
 Ecologia Digital
 Educar para o mundo
 Efemérides baianas
 O escrevinhador
 Escrúpulos Precários
 Escudinhos
 Estado anarquista
 Eu sei que vivo em louca utopia
 Eu sou a graúna
 Eugenia in the meadow
 Fabricio Carpinejar
 Faca de fogo
 Faça sua parte
 Favoritos
 Ferréz
 Fiapo de jaca
 Foi feito pra isso
 Fósforo
 A flor da pele
 Fogo nas entranhas
 Fotógrafos brasileiros
 Frankamente
 Fundo do poço
 Gabinete dentário
 Galo é amor
'  Garota coca-cola
 O gato pré-cambriano
 Geografias suburbanas
 Groselha news
 Googalayon
 Guerrilheiro do entardecer
 Hargentina
 Hedonismos
 Hipopótamo Zeno
 História em projetos
 Homem do plano
 Horas de confusão
 Idéias mutantes
 Impostor
 Incautos do ontem
 O incrível exército Blogoleone
 Inquietudine
 Inside
 Interney
 Ius communicatio
 jAGauDArTE
 Jean Scharlau
 Jornalismo B
 Kit básico da mulher moderna
 Lady Rasta
 Lembrança eterna de uma mente sem brilho
 A Lenda
 Limpinho e cheiroso
 Limpo no lance
 Língua de Fel
 Linkillo
 Lixomania
 Luz de Luma
 Mac's daily miscellany
 O malfazejo
 Malvados
 Mar de mármore
 Mara Pastor
 Márcia Bechara
 Marconi Leal
 Maria Frô
 Marmota
 Mineiras, uai!
 Modos de fazer mundos
 Mox in the sky with diamonds
 Mundo de K
 Na Transversal do Tempo
 Nación apache
 Nalu
 Nei Lopes
 Neosaldina Chick
 Nóvoa em folha
 Nunca disse que faria sentido
 Onde anda Su?
 Ontem e hoje
 Ou Barbárie
 Outras levezas
 Overmundo
 Pálido ponto branco
 Panóptico
 Para ler sem olhar
 Parede de meia
 Paulodaluzmoreira
 Pecus Bilis
 A pequena Matrioska
 Peneira do rato
 Pictura Pixel
 O pífano e o escaninho
 Pirão sem dono
 políticAética
 Política & políticas
 Política Justiça
 Politicando
 Ponto e contraponto
 Ponto media
 Por um punhado de pixels
 Porão abaixo
 Porco-espinho e as uvas
 Posthegemony
 Prás cabeças
 Professor Hariovaldo
 Prosa caótica
 Quadrado dos Loucos
 Quarentena
 Que cazzo
 Quelque chose
 Quintarola
 Quitanda
 Radioescuta Hi-Fi
 A Realidade, Maria, é Louca
 O Reduto
 Reinventando o Presente
 Reinventando Santa Maria
 Retrato do artista quando tolo
 Roda de ciência
 Samurai no Outono
 Sardas
 Sérgio Telles
 Serbão
 Sergio Amadeu
 Sérgio blog 2.3
 Sete Faces
 Sexismo e Misoginia
 Silenzio, no hay banda
 Síndrome de Estocolmo
 O sinistro
 Sob(re) a pálpebra da página
 Somos andando
 A Sopa no exílio
 Sorriso de medusa
 Sovaco de cobra
 Sub rosa v.2
 SublimeSucubuS
 Superfície reflexiva
 Tá pensando que é bagunça
 Talqualmente
 Taxitramas
 Terapia Zero
 A terceira margem do Sena
 Tiago Pereira
 TupiWire
 Tom Zé
 Tordesilhas
 Torre de marfim
 Trabalho sujo
 Um túnel no fim da luz
 Ultimas de Babel
 Um que toque
 Vanessa Lampert
 Vê de vegano
 Viajando nas palavras
 La vieja bruja
 Viomundo
 Viraminas
 Virunduns
 Vistos e escritos
 Viva mulher
 A volta dos que não foram
 Zema Ribeiro







selinho_idelba.jpg


Movable Type 3.36
« As primárias do Potomac :: Pag. Principal :: Carta aberta aos senadores americanos »

quinta-feira, 14 de fevereiro 2008

Sobre blogs e spam

Pode ser que eu esteja errado, mas acredito que tem chegado a este blog, nos últimos tempos, um tipo diferente de leitor. Trata-se de um leitorado que acompanha blogs hospedados em grandes portais (Globo, Abril, UOL, IG) e que não possui ainda muito traquejo com blogs artesanais, pessoais. São leitores que não estão exatamente inseridos numa conversa entre blogs, mas num Fla x Flu cada vez mais raivoso entre apoiadores e detratores do atual governo brasileiro ou, o que infelizmente dá na mesma, apoiadores e detratores do governo passado. Aos que chegam, um aviso: este blog não é parte desse Fla x Flu.

O Biscoito denunciou o mensalão no primeiro dia, criticou a delubianização do PT e, meses depois, apoiou a campanha da reeleição do presidente Lula. Ridicularizou a xenofobia do deputado Aldo Rebelo e apoiou a série de denúncias que o jornalista Luis Nassif vem arrolando contra a Revista Veja. Morre de rir de blogs que não conseguem enxergar neoliberalismo na América Latina, mas continua lendo-os (e linkando-os) com gosto e proveito. Criticou o oportunismo de José Serra mas, no episódio dos cartões corporativos, concorda integralmente com um colega blogueiro que declarou voto em Serra. As razões para estas posturas estão amplamente explicadas nos arquivos. Se alguém vê nelas uma “contradição”, paciência.

Posso estar errado de novo, mas acho que o caracteriza esse leitorado que vem dos grandes portais e do interior desse Fla x Flu é uma certa sensação de direito adquirido, o que chamamos em inglês sense of entitlement. Explico, então, pela milésima vez o que qualquer blogueiro sabe: num blog pessoal, não existe “censura”. Se eu lhe impedisse de abrir o seu próprio blog, isso sim, configuraria censura. Este blog não é uma democracia. É um espaço editado. Procuro, em geral, responder os comentários, mas também me dou o direito de ignorar o que acho que deve ser ignorado e apagar o que acho que deve ser apagado. A tolerância com comentários discordantes aqui é bem ampla, como podem atestar vários leitores que estão à direita de Médici e que continuam lendo e comentando neste blog inequivocamente esquerdista.

Mas se, por exemplo, num post sobre o Atlético-MG, você ofender a Massa, terá seu comentário apagado. Se, num post sobre a decadência da Fox, você me fizer uma pergunta agressiva que pressupõe incompreensão do que está escrito no post e que parte da incrível premissa de que as cadeias de TV americanas são de “esquerda”, não adianta ficar bravinho por ter seu comentário ignorado. Este aviso vai para uma parte ínfima do público que chega. A todos os demais, boas vindas. Se você chegou via blogs de jornalistas dos grandes portais, ou via alguma menção ao Biscoito num veículo de grande porte, reitero: bem vindo mas, por favor, entenda que este blog tem mais de três anos de história, é parte de uma conversa que se gesta há tempos entre uma rede de blogs e não se pauta pela premissa de que eu tenha a obrigação de responder perguntas agressivamente colocadas, como se o idelberavelar.com fosse uma espécie de cadeia de TV paga com dinheiro público.

Nos últimos dias, comecei a receber spams de uma geringonça chamada “Credibilidade e Ética”. Trata-se de uma colagem de textos os mais estapafúrdios, como por exemplo um inacreditável delírio que acusa FHC de ter recebido, em 1969, dinheiro da CIA via Fundação Ford. Sinceramente, quem confunde a Fundação Ford com a CIA deveria estar se informando melhor, não mandando spams. Esta recomendação vem de alguém que é insuspeito de ter qualquer simpatia por FHC.

Jornalistas de peso não deveriam incentivar seus leitores a mandar spam. Não há nada que irrite mais quem trabalha com a internet do que correspondências massivas e não solicitadas enviadas indiscriminadamente. Isso só corrói a credibilidade de quem manda. É importante que os jornalistas que chegam à internet oriundos dos grandes veículos entendam isso. Este blog está à esquerda de Miguel Rossetto, mas nem por isso vou deixar de denunciar a prática do spam só porque seus autores são pessoas que concordam comigo sobre a Reforma Agrária e as privatizações de FHC.

PS 1: Recentemente, dei uma atualizada no blogroll, incluindo vários blogs novos e eliminando links a blogs que estão fora do ar ou inativos (entendendo-se “inativo” como um blog não atualizado há mais de dois meses). É possível que algum link tenha sido perdido no processo. Se havia um link para o seu blog aqui no Biscoito durante a passagem do ano e esse link sumiu, me avise. A idéia não era deslinkar ninguém, mas manter o blogroll atualizado. As deslinkagens por incompatibilidade, digamos, ética, já foram feitas há muito tempo. Se o seu blog estava inativo e você voltou a blogar, avise também. O blig do Tão, por exemplo, tem cadeira cativa no meu blogroll no minuto em que ele voltar a blogar (por onde andas, Tão?)

PS 2:
A Gabriela Zago continua fazendo um trabalho que já a coloca, na minha opinião, entre os melhores blogs do Brasil.

PS 3: Confirmo que no domingo à noite coloco aqui um texto sobre Ariano Suassuna para preparar a discussão do Clube de Leituras sobre A Pedra do Reino, a se realizar na segunda-feira.

PS 4: Poxa, sai um artigo meu n'O Globo e ninguém me avisa? Alguém aí teria, por favor, um exemplar do jornal de sábado passado que pudesse me enviar? Eu pago, claro, as despesas com o correio. Quem me deu o toque foi a gentilíssima Chris Nóvoa, que anda com o blog temporariamente fora do ar.



  Escrito por Idelber às 07:09 | link para este post | Comentários (50)


Comentários

#1

Oi Idelber, legal esse seu texto sobre os blogs. Também acho que esse tipo de cobertura que prima pelo denuncismo vazio só dificulta o debate de quem quer estimular políticas mais progressivas no Brasil.

Sem querer botar pressão (mas já fazendo isso), estou esperando o texto sobre as eleições no senado americano, quando sai? Abs.

Lauro Mesquita em fevereiro 14, 2008 7:59 AM


#2

Quando escrevi progressivas, eu quis dizer progressistas, desculpe-me. Não quero nenhuma política baseada em músicas do Emerson, Lake and Palmer ou do Yes. Abraços.

Lauro Mesquita em fevereiro 14, 2008 8:01 AM


#3

Sai nesta madrugada, caro Lauro. Abraço!

Idelber em fevereiro 14, 2008 8:09 AM


#4

Muito bons argumentos. Em caso do "Fla x Flu", nada mais chato. Na realidade há aspectos muito mais sérios e pouco abordados nos spams, seria pedir demais, porém. Por exemplo: eleitores do PSDB que nele votavam por serem parlamentaristas, por exemplo, ficaram órfãos. Não fala-se mais em parlamentarismo. Quem votava no PT esperando uma virada monumental na economia, por exemplo, também está órfão. Hoje há uma continuidade das receitas econômicas anteriores. Em suma, milhões de cidadãos eleitores não encontram guarida nas ações dos partidos de sua preferência e muito menos em suas aspirações. Deve ser por isso que os spams, continuam florescendo, com estapafúrdias denúncias sem sentido.

Dawran Numida em fevereiro 14, 2008 9:05 AM


#5

E agregue-se, caro Dawran, que o PSOL e o PSTU têm sido extremamente incompetentes em arrebanhar essa parcela do PT que ficou órfã.

Por exemplo, por que alguém de extrema esquerda se juntaria a um partido cuja candidata a presidente se recusa a defender o direito ao aborto, a descriminalização das drogas leves, e insiste que a solução para a criminalidade é "construir mais prisões"?

Melhor continuar a briga no interior do PT mesmo. Abraço!

Idelber em fevereiro 14, 2008 9:09 AM


#6

Maniqueísmos, gritaria e grosserias costumam andar acompanhados net afora, não é? Além disso, são tão comuns as leituras apressadas, onde as pessoas "travam" em alguma frase ou palavra e não conseguem pensá-la no contexto do que se está dizendo... (Tempos atrás escrevi um rascunho sobre a "obesidade neuronal" grassando nos tempos atuais.)

Esse "bushismo empobrecido" — desculpe pelo palavrão e pelo pleonasmo — onde "quem não estiver comigo está contra mim" infelizmente não é apenas enfadonho, porque às vezes chega a ser perigoso!

Abraços

Ricardo Cabral em fevereiro 14, 2008 9:37 AM


#7

"Por exemplo, por que alguém de extrema esquerda se juntaria a um partido cuja candidata a presidente se recusa a defender o direito ao aborto, a descriminalização das drogas leves, e insiste que a solução para a criminalidade é "construir mais prisões"?"

Seria porque nem todo mundo de "extrema esquerda" é favorável ao direito do aborto ou à descriminalização das drogas? Ou será que isso é pré-requisito para ser "de esquerda"?

Bem, se for é bom saber, porque no caso eu passei minha vida inteira votando errado.

Ricardo Antunes da Costa em fevereiro 14, 2008 9:47 AM


#8

Se não me falha a memória, a palavra "neoliberalismo" começou a ser abandonada pelos seus defensores quando começou a ser vista amplamente em sentido negativo. Quase como mudar nome de certos partidos. O que também é um tanto quanto... engraçado, rssssss

Catatau em fevereiro 14, 2008 9:51 AM


#9

Catatau, isso lembra um pouco o que ocorreu com a tal da reengenharia, que de tantos problemas que gerava freqüentemente exigia uma "re-reengenharia", onde boa parte do que fora descartado era novamente valorizado...

Ricardo Cabral em fevereiro 14, 2008 9:58 AM


#10

Só para registrar que eu discordo de um grupo razoável de coisas que estão escritas aqui. Por exemplo a história do neoliberalismo daria pano para manga.

Mas... O Idelber está quase me convencendo que o Obama é uma melhor alternativa do que a Hillary, o que é bom. E, em média, os debates daqui são muito mais inteligentes do que por aí afora.

Quanto ao futebol, como corinthiano no exílio... Não consigo dar a mínima.

Abraços.

Rafael M em fevereiro 14, 2008 10:01 AM


#11

Solta o pano dessa manga aí sobre o neoliberalismo, Rafael!

(depois respondo os outros com calma - há uma boa ponderação do Ricardo Antunes que quero comentar com mais vagar).

Idelber em fevereiro 14, 2008 10:03 AM


#12

Será que leitores assíduos do Biscoito, que não aparecem com essas letrinhas verdes, o meu caso, serão rejeitados no blog do professor?

arimateia alves em fevereiro 14, 2008 10:25 AM


#13

Já foi rejeitado alguma vez, arimateia? Larga de chororô.

Idelber em fevereiro 14, 2008 10:27 AM


#14

A eleição do Lula em 2002 pegou no contra-pé a turma que defendia e ainda defende no Brasil o "fim da história" de Fukuyama. Achavam que ficariam mil anos no poder. Daí, com a vitória do PT, foi a senha para soltar todos os demônios reprimidos.
Uma coisa é o PT mandar brasa, como nos tempos do FH. A mídia dava lá seu espaço aos petistas, afinal é preciso simular um pouquinho de pluralidade. Outra coisa é a turma derrotada (PSDB e PFL) soltando os cachorros. Aí vira uma loucura, porque os perdedores de 2002 são os donos da voz, das letras, das imagens, do dinheiro no Brasil.
Até a revista "Playboy" entrou nessa onda. Na edição de fevereiro, há uma matéria com o perfil altamente simpático da "nova direita bossa nova". São perfis ligeiros de cinco deputados federais.
O engraçado é que todos são oligarcas, subiram na política às custas da herança de pais e avós políticos. Algo mui muderno! Um deles tem até uma fazenda que foi multada por trabalho degradante. Mas a revista diz que o caso já foi resolvido e tal.
A "Playboy" abriu suas páginas no ano passado até para Olavo de Carvalho, o cavaleiro da trevas, o homem que defende literalmente o retorno do mundo ao pensamento do século XVII.
A revista de fevereiro ainda traz um incrível ranking das primeiras-damas mais belas do mundo. Colocaram até Nestor Kirchner no campeonato que elegeu, é óbvio, a Carla Bruni. Ou seja, mais um espaço para mostar como o Sarkozy é demais.
Quando até uma "Playboy" começa a tocar o tambor de lata, a coisa começa a ficar feia. Ainda bem que a maioria do eleitorado deixou claro em 2006 que não dá a importância ao Fla X Flu.

enio em fevereiro 14, 2008 10:32 AM


#15

Século XVII nada, enio. Pode tirar o V que fica de bom tamanho.

O cara quer voltar é ao século XII mesmo :-)

Idelber em fevereiro 14, 2008 10:35 AM


#16

Grande post, Idelber, e necessário -- já que seu blog está mesmo virando uma referência para além do círculo de leitores habituais.

Marcus em fevereiro 14, 2008 10:36 AM


#17

nossa. acabei de escrever um post dizendo q nao sei como alguem q vem do blog do professor pode escrever comments tao idiotas. um lance assim. vou ter q reescrever.

mary w em fevereiro 14, 2008 10:55 AM


#18

mary, são incríveis essas sintonias e coincidências que andam acontecendo com a gente. Eu já ia te escrever um email dizendo o óbvio: que eu reprovava e não tinha, claro, nada a ver com aquelas agressões a você com citações a mim.

A gente anda com transmimento de pensação :-)

Idelber em fevereiro 14, 2008 10:58 AM


#19

À medida que o blog atrai mais navegantes, não me surpreenderia que aparecesse mais spam e flaming. Aliás, vi com tristeza vários fóruns de discussão morrerem por conta de flame-wars repetidas (às vezes alguém chegava e começava exatamente a mesma discussão sem sentido. Brasnet!). Assim, considero perfeitamente legítima sua "censura" e espero que isto não abale seu excelente blog.

Samuel em fevereiro 14, 2008 11:15 AM


#20

Pois é, Samuel. Pouquíssimos blogs com tráfego comparável a este prescindem da moderação de comentários. Eu me resisto a instalá-la, exatamente para preservar minha liberdade de vir ao blog só quando posso e quero. Espero realmente não ter que mudar de idéia.

Catatau, acho que você foi na mosca no que diz respeito à palavra "neoliberalismo".

Marcus, bom tê-lo de volta na ativa. Estou ainda procurando um link para comentar o seu post sobre o Joy Division, uma das minhas bandas favoritas.

Ricardo C., gostei do post. O desafio é esse mesmo. O fluxo de frenético de informação é inevitável. O que há que se fazer é encontrar nele formas de intervir com tranquilidade, recusando o automatismo quando for necessário.

Ricardo A., aceito seu puxão de orelhas. É verdade que é perfeitamente possível ser de esquerda e não defender o direito ao aborto e ao consumo legal de drogas leves. O sentido do meu comentário não era excluir da esquerda quem não compartilha de minhas posições sobre esses temas -- eu conheço sua posição sobre o direito ao aborto. O meu comentário era mais no sentido demográfico, mesmo. Não há como negar que a grande maioria das pessoas que se definem como de "esquerda" defendem as duas coisas. Eu só constatava que Heloísa Helena, por exemplo, perde um universo enorme de possíveis apoiadores com suas declarações sobre esses temas. Mas é claro que é possível ser de esquerda e ser contra o direito ao aborto e ao consumo de drogas leves -- nisso você tem toda a razão.

Idelber em fevereiro 14, 2008 11:31 AM


#21

Idelber, eu tenho defendido algo que chamo, por falta de nome melhor, de independência de pensamento (poderia também chamar de desalinhamento a priori ou desdefault ideológico). Acho que é por isso que gosto de passear por aqui.

jayme em fevereiro 14, 2008 11:44 AM


#22

Por isso que gosto cada vez mais de blogs. São tão democráticos que o próprio autor pode democraticamente ter o direito de decidir os comentários que aceita ou não :)

Não conhecia teu blog, cheguei aqui através da Gabi (concordo com o que dizes do blog dela), e só pela tua sinceridade nesse post ganhará um espaço nos meus feed.

Vejamos do que é capaz :)

Gilberto Consoni em fevereiro 14, 2008 11:55 AM


#23

Além dos jornalistas não obrigarem seus leitores a enviar spam, os leitores também não deveriam se deixar manipular por eles. O que eles ganham com isso? Um "Muito bem, Flipper!" e um peixinho? :-).
A sua matéria saiu no Prosa e Verso? Ainda tenho O Globo de sábado guardado pra ler, por isso eu não vi. Se ainda precisar do exemplar, me avise que combinamos o envio.

Te em fevereiro 14, 2008 12:04 PM


#24

Idelber

Sou leitor fiel do seu blog porque senti desde o início sua postura naturalmente democrata e republicana.

Há muita gente (geralmente aqueles que após concordarem com teses progressistas lançam uma conjunção adversativa), tem que fazer muita força para ser democratas.

Esse seu post confirma minha impressão e indica o caminho das luzes para os "torcedores fundamentalistas".

Na minha opinião a simpática Heloísa Helena não é de extrema esquerda nem de esquerda. Me parce que é apenas moralista.

A frustação de algumas expectativas depositadas no governo Lula não serve de justificativa para que se mude de lado (pode-se até sair do PT, mas jamais passar a votar em partidos conservadores).

A crítica da direita ao governo Lula não passa de hipocrisia. Não é razoável que o PSDB, criador do "valerioduto", critique o PT por utilizar esse expediente de financiamento de campanha.

Por outro lado, o PSDB e o PFL (e a mídia) estão de pleno acordo com o governo Lula quando este mantém índices de produtividade defasados há trinta anos, para aferição de produtividade de propriedades rurais.

É claro que Lula vacila na questão da reforma agrária e em outras do interesse da maioria da população e os verdadeiros democratas devem protestar.

Enio,

Entâo você "lê" a "Playboy"? Não tenho a autoridade do Mílton Ribeiro (que apesar de colorado às vezes acerta), mas não erro ao afirmar que as "figurinhas" da revista são bem mais interessantes que os textos.

Saudações democráticas.

democratae

Ricardo Petrucci Souto em fevereiro 14, 2008 12:08 PM


#25

Idelber,

acho que a imagem da política no Brasil como flá-flú acabou sendo realmente muito feliz. Porque é assim que, em larga escala, se encara política no Brasil: com a mesma profundidade e a mesma paixão que se encaram times de futebol.

Eu lembro de um texto seu, de uns tempos atrás, sobre expressões perigosas que caíram na boca dos yanks e que revelariam a forma como eles entendem, aboram a política dos estados unidos. Imagino agora uma linha de raciocínio par a esta, com respeito à política no Brasil.

Seria decorrência de observar que no Brasil, quase nunca se discutem opiniões individuais e pessoais, preferindo-se o "qual é o seu partido", primo não muito distante do "em que time você torce" --- se uma conversa já não começa assim, logo alguém atalha para isso.

Daí pra frente, são piadas; piadas por vez grosseiras no conteúdo mas em geral amigáveis, do tipo "você sabe que petista que é petista não toma banho" ou "já pensou em fazer algo pelos pobres?" (Nota bene: dois exemplos verdadeiros do clássico flá-flu entre PT e PSDB).

Olhando pro conteúdo das piadas, você vê que não é que elas tenham o mínimo de crítica. Tá bom, "já pensou em fazer algo pelos pobres" tem o mínimo de critica, mas só, também: não traça panorama, não oferece proposta, se apresenta alguma possibilidade de crítica construtiva, essa possibilidade entra em autocombustão em prol do xingamento sem sentido.

Então o que sobra? Se não se discutem valores, e só se trocam farpas idiotas como um corinthiano e um palmeirense em véspera de jogo? Sobra nada! Torcida, torcida e paixonite, como se política fosse jogo de futebol. Não é de se surpreender que apareçam tantos "hooligans da política" por tudo quanto é poro da blogsfera, o clima de anonimato só potencializa a idiotice em massa.

Enquanto isso, no planalto central, os grandes partidos --- faço questão de explicitar: PSDB, PT ---, tomando ciência disso (porque, convenhamos, não precisa de uma PriceWaterhouseCoopers pra te dizer que o "mercado brasileiro" encara política como futebol: isso é análise mercadológica de boteco), faz o possível pra potencializar essa redução semântica, porque é muito mais fácil liderar e lidar com massas de torcedores que com massas de pessoas com o mínimo de tato para a política.

Haja vista a incapacidade do politicamente engajado brasileiro de se autocriticar. Admitir que o FHC devia ter aceitado as CPIs, ou que o presidente Lula está atolado em lama, não são questões que passam por embates éticos na cabeça do brazuca comum. Passam, antes, por dilema moral do tipo "aceitar um gol contra". Ou é justificado porque todo o mundo erra, ou milagrosamente vira culpa do juiz ladrão.

Tá, parei de reclamar por hoje.

bruno ( ) em fevereiro 14, 2008 12:19 PM


#26

Pois é, Ricardo, a revistaria do Pão de Açúcar, ao lado de casa, virou um show de horrores. Dá para saber tudo que rola nas telenovelas e na Veja, enquanto se espera na fila do caixa.
Não deu para resistir a uma chamada da direita bossa nova da "Playboy".
Entre as cinco figuras da "Playboy", tem um da família potiguar Maia que namora a Adriane Galisteu. Olha o nível do cara! Está lá o ACM Neto, que reclama menos interferência do Estado na economia, mas a família dele não devolve de jeito nenhum a concessão pública deles da tevê na Bahia. Olha só que integridade!
O Rodrigo Maia nem pode chamar o Lula de analfabeto porque ele tampouco possui curso superior (pois é, o presidente do DEM só tem segundo grau ou ensino médio). Ainda aparece na foto principal como a direita que sabe jogar bola.
O Paulo Bornhausen está tranquilo em casa em Floripa porque o Unibanco (do qual a família Bornhausen é uma das principais acionistas) não paga mais CPMF. A família também não abre mão de suas velhas "parcerias" nos free-shops de aeroportos brasileiros. Nem dos conselhos de administração de multinacionais.
Leonardo Piciani tem uma fazenda onde a polícia encontrou o uso de "trabalho degradante". No passado, isso tinha o nome de trabalho escravo. Olha só o nível do pessoal mostrado como gente simpática e moderna!
É essa turma que inspira e estimula o Fla x Flu com a idéia de que vivemos uma crise moral, que o Brasil vai virar Venezuela, que estão roubando com cartão corporativo.

enio em fevereiro 14, 2008 12:50 PM


#27

Bacana, Idelber.
Descobri seu blog a pouco tempo através do Pedro Doria e achei muito legal.
O problema do debate político no Brasil de hoje é mesmo esse FLA x FLU ideológico pueril e anacrônico, que não se materializa na nossa sociedade (felizmente), ficando restrito a uma parcela do grupo mais informado da nossa sociedade, porém não necessariamente o mais sábio.
É aquele pensamento de que o debate tem de ser travado usando o fígado e não o cerébro.

Hugo Albuquerque em fevereiro 14, 2008 1:05 PM


#28

Idelber, conheci seu blog há uns 15 dias através de meu irmão. É a primeira vez que comento aqui. Essa história do FHC e dinheiro da CIA(que sempre ouvi) foi contada pelo jornalista Sebastião Nery, na Tribuna da Imprensa no sábado passado, dia 9. Ele se baseou nos livros "FHC, o Brasil do possível", da francesa Brigitte Hersant e "Quem pagou a conta?A CIA na Guerra Fria", da pesquisadora inglesa Frances S.Saunders, lançado há pouco no Brasil.

Carlos J. Jansen em fevereiro 14, 2008 1:07 PM


#29

Eu, que já deveria ter tido novecentos e quinze comentários excluídos por pura estupidez, não reclamo da vida. Não sei porque alguém acha que entrar num blog pessoal é ter direito de falar o que quiser. Mande-os enviar suas diatribes toscas à edição da Veja ou Carta Capital, dependendo do posicionamento político. Vai que conseguem seus onze segundos de fama...

Bruno em fevereiro 14, 2008 1:29 PM


#30

Idelber, espero que a turma do Fla-Flu se toque depois deste post. eu gosto de ler o Pedro Doria, mas nem dá pra opinar lá, por causa exatamente deste tipo de comentaristas. e o FlaXFlu, por mais bizarro que pareça, tá instalado até na caixa de comentários do excelente Tutty Vasques.
o que me chama a atenção é que este tipo de comentarista tem noções rudimentares de História.é cada bobagem que leio!
e a cada 30 comentários, a Lei de Godwin é evocada - aquela que diz que se uma discussão se alongar na Internet, será inevitável que alguém cite Hitler e o Nazismo.

Serbão em fevereiro 14, 2008 3:02 PM


#31

É curioso como a história FHC-Cebrap-CIA foi parar no Sebastião Nery. Este já não é levado muito sério há anos. Mas fica lá soltando os seus torpedos na "Tribuna da Imprensa", que é uma espécie de blog de papel dos anos 1950.
(A "Tribuna da Imprensa" de hoje é o que restou do antigo jornal de Carlos Lacerda, que, se fossem contemporêneos, faria chorar o Reinaldo Azevedo numa polêmica).
Quem primeiro bombardeou essa história de FH-Cebrap-CIA foi Glauber Rocha, nos idos dos anos 1970. Ele dizia que o Cebrap era o braço armado do Pentágono. Era porque FHC insistia que havia um regime autoritário com desenvolvimento econômico. Glauber falou que era o entreguismo do sociólogo e o apelidou de "príncipe".
Tempo se passa, e FH aplica a receita liberal ao govenar Eldorado nos anos 1990. Bingo: um amigo de Glauber, o sociólogo Gilberto Felisberto Vasconcellos, escreve o livro "O príncipe da moeda", em 1997, e diz que a profecia glauberina se confirma. Portanto, segundo ele, o Cebrap era mesmo o braço intelectual dos Estados Unidos no Brasil.
Semanas atrás, já em 2008, sai a resenha desse livro contando a parceria da CIA com fundações culturais.
Bingo de novo: Sebastião Nery junta os cacos do e escreve um texto ao seu estilo "blog pancadão dos anos 50". Vem o Paulo Henrique Amorim e espalha essa junção de cacos para a galera do "fra-fru" no seu "blog século XXI".

enio em fevereiro 14, 2008 3:25 PM


#32

E um leitor do Utah! Descobri o biscoito faz pouco tempo e já me viciei. Obrigado pela indicação sobre o blog da Gabriela.

Max em fevereiro 14, 2008 3:38 PM


#33

Uau, salve, Provo, Utah!

Eita, internets :-)

Idelber em fevereiro 14, 2008 3:59 PM


#34

Sobre o ps.
Quase ninguém mais lê O Globo, meu caro ;)

Kelly em fevereiro 14, 2008 4:18 PM


#35

Idelber,

Você pode comprar on-line a reportagem de sabado.

http://arquivoglobo.globo.com/ie_index.htm

se não conseguir me avise, eu tento falar com um amigo que quebra este galhos.

Luanna em fevereiro 14, 2008 4:35 PM


#36

Exageros à parte, agradeço a menção :)

Os blogs ganhariam muito como espaços de conversação (mais opiniões diversas, mais aberturas para de debate) se não houvesse leitores que não entendem a diferença entre um blog pessoal e um Fla X Flu descontrolado (muito boa a analogia!), entre discordar de um fato, estimular um debate, contrapor opiniões educadamente, de um lado, e romper completamente a barreira do bom senso, partindo para ataques pessoais, argumentações no vácuo e flamewars, de outro.

Gabriela em fevereiro 14, 2008 4:49 PM


#37

Caro Idelber
Muito boas as suas palavras. E tenho certeza que você sabe muito bem que este tal "escândalo" dos cartões corporativos É FABRICADO! Pois como nós AQUI sabemos, o buzilis são estas quebras de contrato na área das empresas telefônicas e as futuras fusões. Aliás, o teu blog pode ser artesanal nas outras áreas, em relação a Futebol ele é PROFISSIONAL! VIDA QUE SEGUE.

Paulo em fevereiro 14, 2008 5:06 PM


#38

escreveu o enio:

"Mas [o Sebastiao Nery] fica lá soltando os seus torpedos na "Tribuna da Imprensa", que é uma espécie de blog de papel dos anos 1950."

como colunista da tribuna há 5 anos (porra, o tempo passa rápido) deixa eu comentar o seguinte:

hhahahhahahahha, perfeito! simplesmente perfeito!

(mas deixa eu dizer que o Helio Fernandes é sempre divertido de ler)

e qual foi esse seu artigo que saiu no Globo?

alex castro em fevereiro 14, 2008 5:11 PM


#39

Para os que ainda vêem e enxergam.

Para os que sabem que como ficou não serve.

Para os que têm brasa na cinza de suas rebeldias.

Para os que mesmo de dentro da amargura não perderam a lucidez.

Para os que não transformaram o desencanto em desistência.
Para estes, a luta continua, os demias podem ficar a exaltar sua própria imparcialidade e seu julgamento de todos.....
Como dizia o Comandante Che
"Se nao há café para todos, não há para ninguém" Todo o resto são desculpas fantasiadas de intelectualidade....

miguel grazziotin em fevereiro 14, 2008 6:02 PM


#40

completamente de acordo. ha que assumir claramente as regras de um espaço que é seu, evidentemente.

eu ja fiz o mesmo, alguns deixaram de comentar e eu nem aí.... expliquei também que aguento qualquer coisa mas não admito qualquer coisa, que é substancialmente diferente!

cristina em fevereiro 14, 2008 6:37 PM


#41

Olá...teve coisa antes então....e vc disse quem manda no blog e como quer mandar...eu acho que está correto...tudo certo...leia o que quiseres e onde quiseres e é isso...mas não escreve qualquer cousa aqui não que eu apago...eu também apagaria e talvez seria menos leal ainda apagaria até contrariedades mal argumentadas....mas vc deixa ali...a letra mal colocada e tal...

bem eu também penso neste fla-flu mas eu achoq ue até o fal-flui dá para debater....porque perna de pau é perna de pau em qualquer lugar mesmo....e eu ia ficar muitoi feliz se o povo votasse só uma vez no perna de pau...bem claro que a comparação então entre o Lula e o FHC num vale para mim não. E não preciso dizer porque para quem entende minimamente de futebol e não vai ter problemas em reconhecer quando time adversário joga melhor ou quando ele tem um craque que resolve o jogo sempre ou quase sempre.

Foi legal este tema porque eu discordo profundamente daquele papinho de que futebol, política e religião não se discute. Não se discute se não se aceita mudar de opinião ou aprender algo que não sabia ou perceber ago que não tinha visto não sobre este ou aquele aspecto. E concordo que alguns aspectos são mais importantes sim.

Eu concordo ipsis literis com o comentário da Heloisa Helena a qual me fascinava no PT e tinha um carisma interessante...fora a história de perseguição política dela - nem sei se é lenda ou não. Eu concordo que ela é uma moralista sim. Eu já confundi ranço, raiva e ódio com seriedade e seriedade na postura com seriedade real. mas quando vc só faz o que lhe convém....muitas vezes vc não faz o que deve. Quero dizer com isto que muitas vezes para fazer o que se deve temos que ser mais radicais que os radicais mesmo. O problema aí é a velha disputa entre os fins mais imediatos e os fins mais remotos.

Por outro lado, acho que tem muito cara-pálida que não entende a indiada não. Eu já li muita coisa do CEBRAP e num tenho medo não da Fundação Ford ou outras coisas. Tenho aversão mesmo é por quem não sabe a verdade e não busca a verdade e se contenta com meia sola para ganhar a vida. Eu não sou intelectual, mas também não sou bobo não. Farsa é farsa em qualquer lugar do mundo e eu não li nada deste tipo em certos lugares suspeitos não.

O fanatismo sobrevive porque o povo gosta de humorismo prá burro meu.

Eu não vou dar o exemplo ou apontar o dedão, mas dou um resumo.

Aquele cara cheio de envergadura moral - que tenta derrubar ministros - bater no presidente - fazer uns rolos com astúcia e muita malandragem - que joga extremamente sujo e posa de santo - que usa recurso mal versado ou benefícios e privilégios um atras do outro para se perpetuar no poder - sinceramente - eu acho que nós tinhamos que ter o ostracismo mesmo - ou um efeito tilt ( de fliperama mesmo) se o cara bater na máquina - se jogar sujo tá fora. É insuportável ter que esperar os caras morrerem ou apodrecerem para ver eles fora do cenário. E o espaço que os caras tem na midia é uma vergonha. Eles dizem as maiores bobagens sem nenhuma classe.

Mas eu só vejo um antidoto para isto: muita educação e muita educação política mesmo. Parar com e sta baboseira de que num deve discutir política na escola. Deve sim. O que eu mais gosto nas prévias americanas são os caucus. Lembro-me dos conselhos populares, dos conselhos de fábricas e também do Orçamento Participativo. Jogou sujo: cartão vermelho véio. O coletivo resolve bem a má conduta flagrante do indivíduo.

Por fim para este longo blá-blá-blá eu aposto também nos blogs...tem caras que se soubessem tudo que a gente já disse e sabe sobre eles já teriam se retirado e se escondido. Pô que vergonha meu! Claro que isso só vai acontecer quando massa crítica conseguir virar massa popular. Ou seja quando o que realmente importa começar a ter sabor para topos...com o perdão do elitismo popular.

Ponto....

Daniel Boeira em fevereiro 14, 2008 8:40 PM


#42

Idelber, esqueci de avisar...Outro dia em uma coluna sobre politica no jornal de Fortaleza chamado O POVO, o colunista fez menção à campanha eleitoral americana e falou do seu blog.

Mani em fevereiro 14, 2008 9:51 PM


#43

A questão da descriminalização do aborto e das drogas é um tópico PROGRESSISTA. E os progressitas, via de regra, são associados à esquerda.

Mas há progressitas (ainda que em casos específico), que são da direita (como Dick Cheney, que é pró-gays - muito em função da filha, né?).

No Brasil, há mesmo uma grande parcela da "esquerda" que é conservadoríssima. Isso tem a ver com a mistureba de igreja católica com socialismo, essa jabuticaba ideológico/religiosa que so dá no Brasil.

E assim vamos. Ou não vamos.

Porque os conservadores, de direita (maioria) ou esquerda (minoria), não querem que a gente vá.

Gravatai Merengue em fevereiro 15, 2008 12:36 AM


#44

idelber

nao dah bola pros comentarios raivosos. quem tah acostumado a ler soh os sites dos "jornaloes" perdeu a capacidade de interpretaçao dos textos mais simples, ai ficam bravos com qualquer texto mais elaborado, tudo por falta de capacidade de interpretaçao!!! comigo aconteceu o contrario, nao consigo ler os jornaloes sem perceber a ideia por tras do texto. posso agradecer a blogs como o teu, o do azenha e outros tantos.

abraço

fabiana em fevereiro 15, 2008 4:28 AM


#45

jayme, também é a razão pela qual gosto de passear no Dito assim. A independência traz mais uma vantagem: a imprevisibilidade. O Fla x Flu é muito previsível. Li uma tonelada de coisas sobre o caso dos cartões corporativos, mas foi no seu blog que encontrei a expressão do que eu também penso sobre o caso. Abração.

Gilberto, bem vindo, meu caro. Qualquer um que chegue via Gabi tem privilégios especiais por aqui :-)

Te e Luanna, super obrigado. O Leandro, da Odisséia Literária, gentilmente se ofereceu para me enviar o jornal. Valeu :-)

Ricardo, também compartilho sua percepção da HH. Respeito a biografia dela, mas também me incomoda a constante redefinição da política com categorias morais. Saudações.

Reclame à vontade, Bruno. Eu mesmo reconheço que, no calor da campanha de 2006, entrei, por vezes, no Fla x Flu, porque realmente achei que a abordagem da mídia foi por demais tendenciosa. Mas orgulho-me de nunca ter usado o argumento FHC fez, então o PT pode fazer também...

Carlos, vou conferir as fontes. O livro da Hersant eu já tive em mãos, não me lembro de menção a essa história. O relato que conheço é esse que o enio resumiu tão bem. Em todo caso, a idéia da Ford como correia de transmissão da CIA não bate com fato nenhum. Eu já tive duas bolsas da Ford, garanto-lhe que nunca prestei contas à CIA...

Pois é, Hugo, melhor deixar o fígado para atividades mais nobres, não é ? Abraços.

Brunão, meu caro, você nunca chegou nem perto de dizer nada fora do limite aqui. Aliás, amigos do peito têm privilégios especiais. Podem até fazer gozação futebolística...

Serbão, eu dei 10 minutos de risadas lendo a respeito dessa tal lei de Godwin no seu blog, meu caro. É vero -- acontece mesmo.

Kelly, mas eles têm lá ainda sua tiragem de algumas centenas de milhares de exemplares, né? Não dá para ignorar não...

Exato, Gabriela. E quanto a isso eu não posso me queixar. Tenho leitores fantásticos. Os flames aqui são raríssimos. Mas senti que era a hora de "segurar as rédeas" um pouquinho.

Paulo, meu caro, muito obrigado. E pensar que você chegou aqui duvidando da minha futebolice, hein? Só porque eu não defendia a inviolabilidade jurídica das quatro linhas... Bendito caso Grafite, que o trouxe ao blog.

alex, é uma resenha de um livro de homenagem ao Roberto Schwarz, com 30 e tantos textos dedicados à obra dele.

miguel, meu caro, que haja café para todos. Mas que não sejamos todos obrigados a tomá-lo na mesma mesa, ou servido pela mesma pessoa.

Daniel, bacana! Também não comungo dessa idéia de que há assuntos que não se possa discutir. Eu discuto tudo!

Mani, obrigado pelo toque. Estão começando a pintar com mais frequência, essas menções. Fico feliz, não deixa de ser um reconhecimento importante. Não sou anti-imprensa, não. Abraço fraterno para vocês aí nessa linda Fortaleza.

Gravata, meu caro, Dick Cheney, que eu saiba, nunca fez nenhuma declaração pró-gay, não. A história da filha é correta, mas ele não deixou de lucrar em 2004 disseminando ódio aos gays...

Eu não ligo não, fabiana. Sou super zen :-)

Idelber em fevereiro 15, 2008 5:54 AM


#46

Parabéns pela postura , sinceridade, algum tempo que te acompanho, mas esporadicamente, mas depois que vi seu nome em blogs do Alon e de comentários de peso dentro do blog do Nassif, isso prova sua credibilidade e postura como pensador. No mais, acho que é uma boa referência para acompanhar as eleições americanas.

daniel miyagi em fevereiro 15, 2008 7:22 AM


#47

Por nada Idelber! Um Off Topic: saiu no jornal O Dia do RJ que a Ana Virgínia Sardinha está sendo julgada em Portugal:
http://odia.terra.com.br/mundo/htm/baiana_forcada_a_confessar_151129.asp
Por sinal é o único jornal do Rio que falou da sua história.

Te em fevereiro 15, 2008 8:15 AM


#48

Botafogo, Botafogo
Campeão desde 1910
És herói em cada jogo
Botafogo,
Por isso que tu és
E hás de ser
Nosso imenso prazer
Tradições,
Aos milhões tens também.
Tu és o glorioso
Não podes perder,
Perder para ninguém
Em outros esportes
Tua vida está presente,
Honrando as cores
Do Brasil e da nossa gente
Na estrada dos louros,
Um facho de luz,
Tua estrela solitária
Te conduz

Salve!, salve!, Lamartine Babo...

Kbção em fevereiro 15, 2008 10:04 AM


#49

Idelber, quando sai uma carta aberta aos senadores brasileiros? Eles estão merecendo!

Ou você já perdeu as esperanças? Não o critico, eu mesmo já perdi as minhas... :)

In the meantime, as they say in 'Nawlins, let the good times roll!

Marcelo Camanho em fevereiro 15, 2008 12:15 PM


#50

Idelber, Elise me apresentou o seu blog, e eu realmente gostei da sua maneira de comentar sobre os assuntos que ocorrem diariamente e os que ja passaram, mais ainda estam na memória das pessoas.
Eu acho importante que quando nós nao podemos fazer nada diretamente em relação as problemas mundias, que pelo menos expressamos nossa indgnação.
Vc escrever vários assuntos que são muito importante para que as pessoas estejam informadas sobre eles, legal mesmo.
O comentário sobre Cassia Eller foi bom, também gostava muito dela, ainda mais porque era atléticana fanática, e o mais importante, excelente cantora.
Mais enfim, eu acho que vc me deu a idéia de fazer meu próprio blog, assim posso expressar minhas opniões.
Valeu mesmo, ver se continui escrevendo coisas que possa fazer a diferença.
Um abraço.

Marcos Jorge em março 2, 2008 3:37 PM