Meu Perfil
Um blog de esquerda sobre política, literatura, música e cultura em geral, com algum arquivo sobre futebol. Estamos na rede desde 28/10/2004.



Email:
idelberavelar arroba gmail ponto com

No Twitter No Facebook No Formspring No GoogleReader RSS/Assine o Feed do Blog

O autor
Curriculum Vitae
 Página pessoal em Tulane


Histórico
 setembro 2015
 dezembro 2014
 outubro 2014
 maio 2014
 abril 2014
 maio 2011
 março 2011
 fevereiro 2011
 janeiro 2011
 dezembro 2010
 novembro 2010
 outubro 2010
 setembro 2010
 agosto 2010
 agosto 2009
 julho 2009
 junho 2009
 maio 2009
 abril 2009
 março 2009
 fevereiro 2009
 janeiro 2009
 dezembro 2008
 novembro 2008
 outubro 2008
 setembro 2008
 agosto 2008
 julho 2008
 junho 2008
 maio 2008
 abril 2008
 março 2008
 fevereiro 2008
 janeiro 2008
 dezembro 2007
 novembro 2007
 outubro 2007
 setembro 2007
 agosto 2007
 julho 2007
 junho 2007
 maio 2007
 abril 2007
 março 2007
 fevereiro 2007
 janeiro 2007
 novembro 2006
 outubro 2006
 setembro 2006
 agosto 2006
 julho 2006
 junho 2006
 maio 2006
 abril 2006
 março 2006
 janeiro 2006
 dezembro 2005
 novembro 2005
 outubro 2005
 setembro 2005
 agosto 2005
 julho 2005
 junho 2005
 maio 2005
 abril 2005
 março 2005
 fevereiro 2005
 janeiro 2005
 dezembro 2004
 novembro 2004
 outubro 2004


Assuntos
 A eleição de Dilma
 A eleição de Obama
 Clube de leituras
 Direito e Justiça
 Fenomenologia da Fumaça
 Filosofia
 Futebol e redondezas
 Gênero
 Junho-2013
 Literatura
 Metablogagem
 Música
 New Orleans
 Palestina Ocupada
 Polí­tica
 Primeira Pessoa



Indispensáveis
 Agência Carta Maior
 Ágora com dazibao no meio
 Amálgama
 Amiano Marcelino
 Os amigos do Presidente Lula
 Animot
 Ao mirante, Nelson! (in memoriam)
 Ao mirante, Nelson! Reloaded
 Blog do Favre
 Blog do Planalto
 Blog do Rovai
 Blog do Sakamoto
 Blogueiras feministas
 Brasília, eu vi
 Cloaca News
 Consenso, só no paredão
 Cynthia Semíramis
 Desculpe a Nossa Falha
 Descurvo
 Diálogico
 Diário gauche
 ¡Drops da Fal!
 Futebol política e cachaça
 Guaciara
 Histórias brasileiras
 Impedimento
/  O Ingovernável
 Já matei por menos
 João Villaverde
 Uma Malla pelo mundo
 Marjorie Rodrigues
 Mary W
 Milton Ribeiro
 Mundo-Abrigo
 NaMaria News
 Na prática a teoria é outra
 Opera Mundi
 O palco e o mundo
 Palestina do espetáculo triunfante
 Pedro Alexandre Sanches
 O pensador selvagem
 Pensar enlouquece
 Politika etc.
 Quem o machismo matou hoje?
 Rafael Galvão
 Recordar repetir elaborar
 Rede Brasil Atual
 Rede Castor Photo
 Revista Fórum
 RS urgente
 Sergio Leo
 Sexismo na política
 Sociologia do Absurdo
 Sul 21
 Tiago Dória
 Tijolaço
 Todos os fogos o fogo
 Túlio Vianna
 Urbanamente
 Wikileaks: Natalia Viana



Visito também
 Abobrinhas psicodélicas
 Ademonista
 Alcinéa Cavalcante
 Além do jogo
 Alessandra Alves
 Alfarrábio
 Alguém testou
 Altino Machado
 Amante profissional
 Ambiente e Percepção
 Arlesophia
 Bala perdida
 Balípodo
 Biajoni!
 Bicho Preguiça
 Bidê Brasil
 Blah Blah Blah
 Blog do Alon
 Blog do Juarez
 Blog do Juca
 Blog do Miro
 Blog da Kika Castro
 Blog do Marcio Tavares
 Blog do Mello
 Blog dos Perrusi
 Blog do Protógenes
 Blog do Tsavkko, Angry Brazilian
 Blogafora
 blowg
 Borboletas nos olhos
 Boteco do Edu
 Botequim do Bruno
 Branco Leone
 Bratislava
 Brontossauros em meu jardim
 A bundacanalha
 Cabaret da Juju
 O caderno de Patrick
 Café velho
 Caldos de tipos
 Cão uivador
 Caquis caídos
 O carapuceiro
 Carla Rodrigues
 Carnet de notes
 Carreira solo
 Carta da Itália
 Casa da tolerância
 Casa de paragens
 Catarro Verde
 Catatau
 Cinema e outras artes
 Cintaliga
 Com fé e limão
 Conejillo de Indias
 Contemporânea
 Contra Capa
 Controvérsia
 Controvérsias econômicas
 Conversa de bar
 Cria Minha
 Cris Dias
 Cyn City
 Dançar a vidao
 Daniel Aurélio
 Daniel Lopes
 de-grau
 De olho no fato
 De primeira
 Déborah Rajão
 Desimpensável/b>
 Diário de Bordo
 Diario de trabajo
 Didascália e ..
 Diplomacia bossa nova
 Direito e internet
 Direitos fundamentais
 Disparada
 Dispersões, delírios e divagações
 Dissidência
 Dito assim parece à toa
 Doidivana
 Dossiê Alex Primo
 Um drible nas certezas
 Duas Fridas
 É bom pra quem gosta
 eblog
 Ecologia Digital
 Educar para o mundo
 Efemérides baianas
 O escrevinhador
 Escrúpulos Precários
 Escudinhos
 Estado anarquista
 Eu sei que vivo em louca utopia
 Eu sou a graúna
 Eugenia in the meadow
 Fabricio Carpinejar
 Faca de fogo
 Faça sua parte
 Favoritos
 Ferréz
 Fiapo de jaca
 Foi feito pra isso
 Fósforo
 A flor da pele
 Fogo nas entranhas
 Fotógrafos brasileiros
 Frankamente
 Fundo do poço
 Gabinete dentário
 Galo é amor
'  Garota coca-cola
 O gato pré-cambriano
 Geografias suburbanas
 Groselha news
 Googalayon
 Guerrilheiro do entardecer
 Hargentina
 Hedonismos
 Hipopótamo Zeno
 História em projetos
 Homem do plano
 Horas de confusão
 Idéias mutantes
 Impostor
 Incautos do ontem
 O incrível exército Blogoleone
 Inquietudine
 Inside
 Interney
 Ius communicatio
 jAGauDArTE
 Jean Scharlau
 Jornalismo B
 Kit básico da mulher moderna
 Lady Rasta
 Lembrança eterna de uma mente sem brilho
 A Lenda
 Limpinho e cheiroso
 Limpo no lance
 Língua de Fel
 Linkillo
 Lixomania
 Luz de Luma
 Mac's daily miscellany
 O malfazejo
 Malvados
 Mar de mármore
 Mara Pastor
 Márcia Bechara
 Marconi Leal
 Maria Frô
 Marmota
 Mineiras, uai!
 Modos de fazer mundos
 Mox in the sky with diamonds
 Mundo de K
 Na Transversal do Tempo
 Nación apache
 Nalu
 Nei Lopes
 Neosaldina Chick
 Nóvoa em folha
 Nunca disse que faria sentido
 Onde anda Su?
 Ontem e hoje
 Ou Barbárie
 Outras levezas
 Overmundo
 Pálido ponto branco
 Panóptico
 Para ler sem olhar
 Parede de meia
 Paulodaluzmoreira
 Pecus Bilis
 A pequena Matrioska
 Peneira do rato
 Pictura Pixel
 O pífano e o escaninho
 Pirão sem dono
 políticAética
 Política & políticas
 Política Justiça
 Politicando
 Ponto e contraponto
 Ponto media
 Por um punhado de pixels
 Porão abaixo
 Porco-espinho e as uvas
 Posthegemony
 Prás cabeças
 Professor Hariovaldo
 Prosa caótica
 Quadrado dos Loucos
 Quarentena
 Que cazzo
 Quelque chose
 Quintarola
 Quitanda
 Radioescuta Hi-Fi
 A Realidade, Maria, é Louca
 O Reduto
 Reinventando o Presente
 Reinventando Santa Maria
 Retrato do artista quando tolo
 Roda de ciência
 Samurai no Outono
 Sardas
 Sérgio Telles
 Serbão
 Sergio Amadeu
 Sérgio blog 2.3
 Sete Faces
 Sexismo e Misoginia
 Silenzio, no hay banda
 Síndrome de Estocolmo
 O sinistro
 Sob(re) a pálpebra da página
 Somos andando
 A Sopa no exílio
 Sorriso de medusa
 Sovaco de cobra
 Sub rosa v.2
 SublimeSucubuS
 Superfície reflexiva
 Tá pensando que é bagunça
 Talqualmente
 Taxitramas
 Terapia Zero
 A terceira margem do Sena
 Tiago Pereira
 TupiWire
 Tom Zé
 Tordesilhas
 Torre de marfim
 Trabalho sujo
 Um túnel no fim da luz
 Ultimas de Babel
 Um que toque
 Vanessa Lampert
 Vê de vegano
 Viajando nas palavras
 La vieja bruja
 Viomundo
 Viraminas
 Virunduns
 Vistos e escritos
 Viva mulher
 A volta dos que não foram
 Zema Ribeiro







selinho_idelba.jpg


Movable Type 3.36
« Drops de metal :: Pag. Principal :: Gilmar Mendes perde a compostura: Balanço do Roda Viva »

segunda-feira, 15 de dezembro 2008

Gilmar Mendes entrevistado na TV Dantas

Como já sabem a torcida do Corinthians e os leitores do Mello, do Luiz Nassif e do Paulo Henrique Amorim, o Roda Viva, da TV Cultura, vai ao ar nesta segunda com uma entrevista a Gilmar Dantas Mendes, o presidente do Supremo Tribunal Federal. Até mesmo para os padrões do horrendo jornalismo que se pratica no Brasil, é vergonhosa a operação realizada pela TV Cultura com o Roda Viva desta segunda. Os escalados para entrevistar Gilmar Mendes são Eliane “vacinem-se contra a febre amarela!” Cantanhêde, Reinaldo Azevedo, cuja ignorância, truculência e hidrofobia dispensam comentários, Carlos Marchi, do Estadão e Márcio Chaer, editor do site Consultor Jurídico, de conhecidas ligações com Gilmar Dantas Mendes.

O Roda Viva escalou quatro levantadores de fazer inveja a Ricardinho. A TV Cultura realizaria algo mais próximo do jornalismo se escalasse como entrevistadores quatro capangas ou funcionários de Mendes. A obviedade da manobra terminou, pelo que parece, saindo pela culatra. Uma enxurrada de protestos chegou ao site da TV Cultura.

Mas a coisa ainda piora. O ombudsman – cargo que Houaiss define como jornalista que, de maneira independente, critica o material publicado e responde às queixas dos leitores – resolveu tecer suas próprias teorias sobre a avalanche de protestos que lhe chegaram. Num texto em que abdica completamente da função para a qual foi contratado, Ernesto Rodrigues afirma, sobre os emails, que em todos eles, exatas 10380 palavras, independentemente se eram de remetentes simpáticos ou não à bancada escolhida de entrevistadores, não houve uma única linha com sugestões de perguntas, cobranças ou acusações específicas a serem feitas ao ministro Gilmar Mendes na entrevista. O que só reforça a sensação de que esses telespectadores remetentes, em especial, não pareciam muito interessados no conteúdo da entrevista. Parece brincadeira, mas essas são as palavras de um ombudsman -- um sujeito que é pago para te representar, leitor.

Tendo acompanhado a reação na internet, fica difícil acreditar que nem um único email contivesse sugestões de perguntas a serem feitas a Gilmar Dantas Mendes. No espírito, então, de colaborar com o ombudsman da TV Cultura, enviei-lhe o seguinte email:

Prezado Jornalista Ernesto Rodrigues:

No texto em que Sr. comenta a indignação que tomou conta dos telespectadores da TV Cultura ante a escalação da bancada que entrevistará Gilmar Mendes nesta segunda-feira no Roda Viva, o Sr. afirma que nem um único email continha sugestões de perguntas a serem feitas ao entrevistado. Confesso que não entendi a frase acerca dos emails conterem 10380 palavras, talvez por deficiência minha na decifração de anacolutos. Confio que este email não repetirá o cabalístico número.

No espírito de corrigir o que certamente terá sido uma indesculpável desatenção dos missivistas, incluo aqui 25 perguntas que eu – e, tenho certeza, muita gente mais – gostaria que fossem feitas ao Presidente Gilmar Mendes.

1.O sr. sabe algo sobre o assassinato de Andréa Paula Pedroso Wonsoski, jornalista que denunciou o seu irmão, Chico Mendes, por compra de votos em Diamantino, no Mato Grosso?

2.Qual a natureza da sua participação na campanha eleitoral de Chico Mendes em 2000, quando o sr. era advogado-geral da União?

3.Qual a natureza da sua participação na campanha eleitoral de Chico Mendes em 2004, quando o sr. já era presidente ministro do Supremo Tribunal Federal?

4.Quantas vezes o sr. acompanhou ministros de Fernando Henrique Cardoso a Diamantino, para inauguração de obras?

5.O sr. tem relações com o Grupo Bertin, condenado em novembro de 2007 por formação de cartel? Qual a natureza dessa relação?

6.Quantos contratos sem licitação recebeu o Instituto Brasiliense de Direito Público, do qual o sr. é acionista, durante o governo de Fernando Henrique Cardoso?

7.O sr. considera ética a sanção, em primeiro de abril de 2002, de lei que autorizava a prefeitura de Diamantino a reverter o dinheiro pago em tributos pela Faculdade de Ciências Sociais e Aplicadas de Diamantino, da qual o sr. é um dos donos, em descontos para os alunos?

8.O sr. tem alguma idéia do porquê das mais de 30 ações impetradas contra o seu irmão ao longo dos anos jamais terem chegado sequer à primeira instância?

9.O sr. tem algo a dizer acerca da afirmação de Daniel Dantas, de que só o preocupavam as primeiras instâncias da justiça, já que no STF ele teria “facilidades”?

10.O segundo habeas corpus que o sr. concedeu a Daniel Dantas foi posterior à apresentação de um vídeo que documentava uma tentativa de suborno a um policial federal. O sr. não considera uma ação continuada de flagrante de suborno uma obstrução de justiça que requer prisão preventiva?

11.Sendo negativa a resposta, para que serve o artigo 312 do Código de Processo Penal segundo a opinião do sr.?

12.Por que o sr. se empenhou no afastamento do Dr. Paulo Lacerda da ABIN?

13.Por que o sr. acusou a ABIN de grampeá-lo e até hoje não apresentou uma única prova? A presunção de inocência só vale em certos casos?

14.Qual a resposta do sr. à objeção de que o seu tratamento do caso Dantas contraria claramente a súmula 691 do próprio STF?

15.O sr. conhece alguma democracia no mundo em que a Suprema Corte legisle sobre o uso de algemas?

16.O sr. conhece alguma Suprema Corte do planeta que haja concedido à mesma pessoa dois habeas corpus em menos de 48 horas?

17.Por que o sr. disse que o deputado Raul Jungmann foi acusado “escandalosamente” antes de que qualquer documentação fosse apresentada?

18.O sr. afirmou que iria chamar Lula “às falas”. O sr. acredita que essa é uma forma adequada de se dirigir ao Presidente da República? O sr. conhece alguma democracia onde o Presidente da Suprema Corte chame o Presidente da República “às falas”?

19.O sr. tem alguma idéia de por que a Desembargadora Suzana Camargo, depois de fazer uma acusação gravíssima – e sem provas – ao Juiz Fausto de Sanctis, pediu que a "esquecessem"?

20.É verdade que o sr., quando era Advogado-Geral da União, depois de derrotado no Judiciário na questão da demarcação das terras indígenas, recomendou aos órgãos da administração que não cumprissem as decisões judiciais?

21.Quais são as suas relações com o site Consultor Jurídico? O sr. tem ciência das relações entre a empresa de consultoria Dublê, de propriedade de Márcio Chaer, com a BrT?

22.É correta a informação publicada pela Revista Época no dia 22/04/2002, na página 40, de que a chefia da então Advocacia Geral da União, ou seja, o sr., pagou R$ 32.400 ao Instituto Brasiliense de Direito Público - do qual o sr. mesmo é um dos proprietários - para que seus subordinados lá fizessem cursos? O sr. considera isso ético?

23.O sr. mantém a afirmação de que o sistema judiciário brasileiro é um “manicômio”?

24.Por que o sr. se opôs à investigação das contas de Paulo Maluf no exterior?

25.Já apareceu alguma prova do grampo que o sr. e o Senador Demóstenes denunciaram? Não há nenhum áudio, nada?

Se pelo menos duas ou três dessas perguntas forem feitas ao entrevistado nesta segunda-feira, caro jornalista, eu me juntarei a V. Sra. na avaliação de que a revolta que se viu na internet não é representativa do pensamento da maioria dos telespectadores do Roda Viva.

Atenciosamente, me despeço, desejando boa sorte à sua credibilidade,

Idelber Avelar


PS. Escreva para o ombudsman você também. Faz diferença. Vai lá.

PS 2: O Palestino foi escandalosamente roubado, e mesmo assim arrancou um heróico 1 x 1 na primeira partida da decisão do Clausura chileno contra o Colo-Colo, o time chapa-branca de Pinochet. Recuerdo / cuando Pinocho / te compró un estadio entero / con la plata que a mi pueblo le robó é um conhecido cântico chileno.

PS 3: Cardoso Czarnobai, pioneiro da internet brasileira, fez bacaníssima referência a este blog. Mil gracias.



  Escrito por Idelber às 03:50 | link para este post | Comentários (145)


Comentários

#1

Alguém, com mais conhecimentos de informática do que eu, tinha de criar um site para divulgar a agenda do Gilmar Mendes e assim toda vez que houvesse uma aparição pública deste "juiz" haver alguém para gritar:
- Fala protedor do Dantas!

Dino em dezembro 15, 2008 6:14 AM


#2

Brilhante!
Vou espalhar pelo mundo essas 25 perguntas.

Vlado em dezembro 15, 2008 7:47 AM


#3

Idelber, saudações ATLETICANAS,faço minhas suas palavras e endosso suas perguntas, confesso que só a presença na telinha deste(juiz) me causa náuzea, mas tamparei o nariz e tomarei um sal de frutas para obter explicações à algumas de suas perguntas.
um forte abraço
Roberto M. Almeida São José dos Campos SP

Roberto M. Almeida em dezembro 15, 2008 7:48 AM


#4

Eu sou um dos que enviaram mensagens de protesto contra a farsa que o "jornalista" paulo markun está promovendo, especialmente, a de hoje à noite. Nao fiz nenhuma pergunta porque eles não a leriam, pois o clima de safadeza está tomado. Não assistirei a esse programa, mas - certamente - teremos notícias dos papelões ridículos

PS: Ontem na TEV Band já houve uma preliminar: ridículo, nenhuma pergunta, aliás, o próprio gm se referiu a vazmentos de informações e nenhuma dqueles ditos "jornalistas esperientes e veteranos" perguntou sobre as matérias da carta capital. é por isso que gm e sua turma deita e rola

Dalvo em dezembro 15, 2008 7:51 AM


#5

Outra pergunta ao GM,no roda viva: Como o senhor explica o fato de sua esposa ocupar um cargo no TSE equivalente ao cargo de Diretor-Geral daquele órgão?

bojson em dezembro 15, 2008 7:54 AM


#6

Idelber

É mais fácil
qualquer um acertar 15 vezes seguidas na sena do que estes sujeitos fazerem UMA ÚNICA destas perguntas àquele tipo que se apresenta como juiz

Luis Armidoro em dezembro 15, 2008 7:57 AM


#7

Idelber.
Em 2004 o Mendes era Ministro do STF e não presidente, como vc afirma numa das perguntas.
A presidência começou em 2008.

sergio em dezembro 15, 2008 7:57 AM


#8

Perfeita a correção, Sergio, muito obrigado. Já retoquei o post. Foi um lapso causado pela sensação de que o homem já é presidente há uma eternidade.

Idelber em dezembro 15, 2008 8:00 AM


#9


caro amigo idelber.
assim me refiro à vc porque apesar desta ser a primeira vez que leio seu blog, já me sinto em casa e temos muitas coisas em comum.
tambem sou mineiro, de esquerda, morei nos eua por 6 anos e atleticano.
moro no interior de sp, tupã a 20 anos, sou médico veterinário(UFMG-BH)e médio produtor de leite.
descobrí o seu blog atravez do nasif hoje.continua

raul em dezembro 15, 2008 8:33 AM


#10

Caro Idelber, fique tranquilo. O programa Roda Viva não tem muita audiência e o importante é a repercussão nos dias seguintes, e como em S.Paulo só se fala do Ronaldinho e no Rio de Janeiro só se comenta como se sobrevive na cidade perigosa, a repercussão (por ser esta época do ano) será quase nenhuma. A fusão Oi+BrT (que vai monopolizar a telefonia fixa no país) vem quase certamente antes do fim do ano e o técnico Leão deverá dirigir o Atlético MG no próximo ano.

Paulo Z em dezembro 15, 2008 8:35 AM


#11

Caro Idelber,
Você é o cara.
abs

Leandro Fortes em dezembro 15, 2008 8:36 AM


#12

...
concordo com vc nesta matéria e tbem vou enviar protestos à tv cultura.
mas o que me chamou a atenção, foi quando viajando por outros textos seu encontrei um em que criticava o próprio nassif, no caso da reporter janaína, não entro no mérito desta polémica pois pouco sei à respeito.
o que importa é que já tinha detectado este tipo
de atitude neste jornalista; se lembra sobre a notícia que Dilma e Tarso tinham feito um acordo com arevista veja, fonte não revelada?protestei bastante contra esta atitude dele.
continuarei a ler o seu blog e parabens pela clareza de ideias.

raul em dezembro 15, 2008 8:44 AM


#13

Ótimas perguntas, Idelber. Duvido que os fãs, digo, sabatinadores do Gilmar Dantas, digo, Mendes sequer toquem em qualquer um destes temas.

De qualquer forma, peço a vocês que têm estômago para assistir estas coisas indigestas para depois nos contarem como foi.

Abraço !

César em dezembro 15, 2008 8:46 AM


#14

Bom!!

Roberto Carvalho em dezembro 15, 2008 8:49 AM


#15

Parece que o ombusman da Cultura nem sua funções conhece. Ora, receber críticas e representar o telespectador não é sua função? As perguntas e sugestões ao Roda Viva não devem ser enviadas ao endereço do programa? Ele tem mesmo é que receber as críticas, mas não se comporta como ombusdman parece mais advogado-geral da Cultura.

Heitor em dezembro 15, 2008 8:59 AM


#16

Parabéns por este post!

Já coloquei uma referência no meu próprio blog:

http://capitao-obvio.blogspot.com/2008/12/mais-sobre-entrevista-de-gilmar-mendes.html

Se o Roda Viva fosse um programa sério, estas 25 perguntas serviriam para ir a fundo nessa entrevista com o Ministro Gilmar Mendes. Infelizmente, os entrevistadores foram selecionados para levantar a bola do Ministro, que já andava um tanto murcha.

Vergonha, TV Cultura!

Vergonha, imprensa do Brasil!

PS: Não entendi a expressão "hidrofobia" para se referir ao jornalista Reinaldo "Gilmar Mendes é o cara!" Azevedo.

Capitão Óbvio em dezembro 15, 2008 9:02 AM


#17

Esperando pela catástrofe...

Pablito Barros em dezembro 15, 2008 9:07 AM


#18

- Ministro Gilmar Mendes, o que tem a dizer sobre o prefeito eleito de sua cidade natal, Diamantino, que afirma que seu irmão o ameaçou de morte?
É uma boa pergunta para o Roda Viva de hoje. Mas, será feita? A denúncia foi publicada na Carta Capital. Está no meio de uma entrevista com o prefeito eleito de Diamantino, Erival Capistrano (PDT), que derrotou o candidato da família Mendes por pouco mais de 400 votos, nas últimas eleições. Nela, além da denúncia de que um dos irmãos de Gilmar, Moacir, o ameaçou de morte (o que ele registrou em boletim na delegacia), há suspeitas de desvios de verbas da prefeitura da cidade, nos últimos anos.
Detalhe: o atual prefeito (no poder há oito anos) é outro irmão de Gilmar Mendes, Francisco Mendes, conhecido como Chico Mendes.

Antônio Mello em dezembro 15, 2008 9:07 AM


#19

Caro Idelber,
Não o conhecia, vim ao seu blog através de link do Luis Nassif. Você tem toda a razão do mundo, o comportamento de Gilmar Mendes, como membro e presidente do STF é sinistro. Mas de tudo que falaram dele, não tocaram o dedo na ferida: qual a moralidade em se indicar para o STF um funcionário da copa e cozinha de FHC, que poderia (e pode) vir a julgar seus atos e seus relacionamentos, Dantas "y compris"

Alvaro em dezembro 15, 2008 9:13 AM


#20

Vocês são as mesmas pessoas que quando alguém do PT é entrevistado querem pautar, dizendo que não pode perguntar de mensalão e outros assutnos sensíveis.

Eu estou 100% com vocês na cobrança por perguntas mais pesadas pro Gilmar. Só que eu tenho essa postura com qualquer entrevistado. Já vocês, quando envolve alguém do governo, não pode perguntar nada mais pesado que já gritam "golpe". Um mínimo de coerência não mata ninguém.

Rodrigo Leme em dezembro 15, 2008 9:21 AM


#21

idelber:
o dadá maravilha diria que você veio com a
solucionática.
romério

romério rômulo em dezembro 15, 2008 9:26 AM


#22

Rodrigo, a quem você se refere com "vocês"? Poderia ser mais específico?

Idelber em dezembro 15, 2008 9:42 AM


#23

Caro Raul, são mesmo muitas afinidades. Mantenhamos o contato, amigo.

Leandro, este post não teria sido possível sem o seu trabalho, você sabe disso. Muito obrigado mesmo por romper o silêncio da mídia sobre Gilmar Mendes com aquela bela matéria.

Idelber em dezembro 15, 2008 9:44 AM


#24

O Rodrigo Leme está equivocado: está claro que um pouco de coerência seria veneno mortal pra todos vocês.
E vocês que dominam uns 96% do aparato da comunicação pública, devem estar doentes por não terem conseguido chegar aos 100%.
De qualquer modo você está prestando um desserviço a sua causa, porque está divulgando um programa que quase ninguém veria.

Andre Lessa em dezembro 15, 2008 9:49 AM


#25

Prezado Idelber. Parabéns pela absoluta relevância das perguntas que você elencou. Nada mais oportuno em relação a este Roda Viva (ou Roda Morta) de hoje.
O que vai acontecer? Eles vão passar batido por essa manifestação da internet ou vão dar uma engambelada para simplesmente não dizerem que nem tocaram no assunto.
O Roda Viva de hoje não vai ser um programa para se adquirir cultura jornalística e informações relevantes de cidadania, senão para assistir de camarote a confraria dos amigos de Dantas. E ver também os gagejos do Reinaldo Azevedo.

Mauro Nogueira em dezembro 15, 2008 10:03 AM


#26

Caro Avelar, aproveito para acrescentar uma pergunta: o que fazia o sr. Cirillo, com ligações com um braço forte do sr. DD, DENTRO do STF, conforme afirmadoo na decisão do juiz De Sanctis, e esmiuçado na revista Carta Capital?

Sidnei Gertel em dezembro 15, 2008 10:03 AM


#27

Minha pergunta:

De acordo com o art. 36, inciso, III, da Lei Orgânica da Magistratura, é vedado ao magistrado “manifestar, por qualquer meio de comunicação, opinião sobre processo pendente de julgamento, seu ou de outrem, ou juízo depreciativo sobre despachos, votos ou sentenças, de órgãos judiciais,...”. Pergunta: na opinião do entrevistado, essa vedação não se aplicaria a ministros do STF e a seu presidente?

Heitor em dezembro 15, 2008 10:12 AM


#28

Além daquelas brilhantemente elencadas acima, poderia-se acrescentar:

1) porque na quarta-feira, véspera da decisão sobre a cassação do mandato do Governador Cassio Cunha Lima, do PSDB, o senhor se reuniu com lideranças desse Partido, e na quinta-feira a decisão foi revertida?
2) O que o senhor acha das algemas utilizadas no Julgamento do Jogador americano J. O. Simpsom nos EUA? Deveria ser anulada a sentença?
3) É normal um Juiz, e neste caso , Ministro do STF manifestar-se tanto publicamente, na mídia e fora dos autos?
4) Eram realmente seus assessores que jantaram com os advogados de Dantas num restaurante japonés em Brasilia, como foi noticiado pela Isto É e sob investigação da Procuradoria Geral?
5) O senhor não acha um exagero a recorrência sistemática aos pedidos de vista de ministros do STF, que levam a aumentar morosidade dos processos, assim como a frequência com que se licenciam por motivos de saúde ou viagens em votações polêmicas, caso do ministro Barbosa no mérito do HC do DD ou do Ministro Pelluzo na decisão sobre Cassio Cunha Lima?
6) Que dados concretos, baseados em provas e não suspeições, o levaram a afirmar que vivemos num "Estado policialesco"?

Obrigado pelas suas respostas.

Tony Soprano em dezembro 15, 2008 10:19 AM


#29

Algo de muito ruim está acontecendo neste país, e este Roda-Viva espelha agora a desgraça consumada... e escancarada.

Macabro em dezembro 15, 2008 10:21 AM


#30

tá lá no Ombudsman:
Caro ombudsman, gostaria de aderir à "onda de emails" contra a presença do presidente do STF no Roda Viva. Este espaço, que já foi plural e democrático, está se consolidando cada vez mais como um palco de defesa de interesses muitas vezes escusos e, neste caso específico, abjetos. Não há justificativa para isso. Gostaria também de fazer minhas as perguntas colocadas aqui por Idelber Avelar. Estamos aceitando seu desafio e propondo perguntas. Proponho outra: será que vocês terão a decência de fazer pelo menos uma delas?

Renata L em dezembro 15, 2008 10:23 AM


#31

Excelentes perguntas...nada a acrescentar. Só queria saber se ele respondeu ao seu e-mail, que, por sinal, tem exatas 791 palavras, seja lá o que isso signifique kkkkkkkkk

aiaiai em dezembro 15, 2008 10:24 AM


#32

perfeito, perfeito.. eu acrescentaria: porque o sr. arquivou duas ações de reparação de danos contra ex-ministros, seus colegas na gestão de FHC? Pq o sr. não se considerou suspeito? e, ora, nem coube o ressarcimento ao erário?
http://blogdofred.folha.blog.uol.com.br/arch2008-04-27_2008-05-03.html#2008_04-28_20_43_28-126390611-0

yeda em dezembro 15, 2008 10:37 AM


#33

Excelentes perguntas. Também postei minha indignação. Não tenho sinal da Cultura há um ano, por motivos alheios à minha vontade. Mas a verdade é que o Roda Viva há tempos deixou de ser um programa decente. É preciso se dizer que ele é chapa branca para quase todos os lados. Me lembro do MV Bill chegar a tirar um sarro da bancada, se afirmando surpreso por ninguém pressioná-lo e deixá-lo falar o que quisesse. Foi realmente de rir. O problema agora é que a questão é infinitamente mais importante. Enfim, patético...

João Paulo Rodrigues em dezembro 15, 2008 10:40 AM


#34

Idelber, sorte do Brasil ter um cidadão como você, ainda que morando longe. Cada dia tenho mais orgulho de ser sua amiga. Agora vou lá na página do ombudsman me juntar ao coro dos que querem ver suas perguntas feitas.

Juliana Sampaio em dezembro 15, 2008 10:40 AM


#35

A grande verdade é que dos tres poderes da Republica o judiciario é o mais ineficaz, corporativista, uma verdadeira casa de mãe Joana. A sociedade responde a esta realidade demostrando que o GRAU DE CONFIANÇA NESTA INSTITUIÇÃO É ZERO, e aparentemente não podemos fazer nada, uma vez que os cargos são vitalícios e quando há motivo para algum dos seus integrantes perderem a "boquinha" os outros os protejem. Aí eles matam, roubam, fazem negociatas, E NADA. INFELIZMENTE

Samuel em dezembro 15, 2008 10:40 AM


#36

Idelber, acabei de postar suas perguntas no Consultor Jurídico na matéria cujo título é

"Cruzada de Direito: Gilmar Mendes recebe comenda por sua postura no STF".

Diante dessas 25 perguntas será que o Skaf não está arrependido por ter entregue tal comenda ao GM?

Mauro Nogueira em dezembro 15, 2008 10:43 AM


#37

Idelber, bela pancada. O cara quer "debater" a TV Cultura como se fosse um veículo qualquer, isento e com critérios puramente jornalísticos e ainda joga a culpa no caríssimo telespectador que "não mandou perguntas". Piada.

Aliás, por falar em piada, o "blog" do ombudsman não tem caixa de comentários. Precisa dizer mais alguma coisa?

Abração

Corazza em dezembro 15, 2008 10:56 AM


#38

Nota 1000 para este post!
São as perguntas que não querem calar!
Coroné Mendes será entrevistado por seus próprios capangas...

Roberto Locatelli em dezembro 15, 2008 10:57 AM


#39

Lamentável! É grotesco que o Roda Viva, com toda aquela estampa de programa de TV sério e independente, tenha se curvado assim vergonhosamente sob o poder do coronelzão GM. Fica claro agora que a bela estampa sempre foi só isso mesmo..

Acho improvável que os idealizadores do espetáculo grotesco que se anuncia para esta noite tenham se esquecido de cortar do script o espaço para as perguntas dos telespectadores. Mas caso o nível com que subestiman a capacidade crítica do público brasileiro tenha chegado a estas alturas, sugiro que, por telefone, encaminhemos ao ilustre entrevistado as perguntas sugeridas neste blog.


Mariana em dezembro 15, 2008 11:06 AM


#40

Idelber, beleza?
Seguinte. Quanto aos outros entrevistadores, não sei, mas Carlos Marchi, do Estadão, pode ser acusado de tudo - menos de não ser um excelente profeta.
Nas eleições de 2006 ele publicou um antológico artigo em Noblar, com o seguinte título:

20 razões para prever a derrota de Lula.

P.S. 1 Como não consegui abrir o linque específico de Noblat com a impecável análise de Marchi, vai este aí abaixo, ó

http://www.rafaelguerra.com.br/site/?o=verBlog&id=21


P.S.2 Se o seu Galo tem uma torcida metaleira, a do brioso Rubro-Negro baiano é a mais punk rock do planeta. Confira aqui, ó

WWW.INGRESIA.OPENSADORSELVAGEM.ORG

Franciel em dezembro 15, 2008 11:22 AM


#41

Idelber
Excelentes as perguntas elaboradas por você. Desconfio qu o Roda Viva não incluirá nenhuma no programa de hoje. Fiz e-mail ao RV-tv Cultura dizendo do meu descrédito em relação ao programa e pedindo que perguntas fossem feitas entre aquelas elaboradas por você.
Vamos aguardar.

antonio em dezembro 15, 2008 11:32 AM


#42

Parabéns, Idelber.

Excelentes perguntas. Depois disso tudo é triste saber que o Serra é favoritissimo para ganhar as eleições em 2010 (já está com 10% dos votos espontaneos. É muito). Duvido que a democracia brasileira possa melhorar com um cara que tem Reinaldo Azevedo e companhia como aliados.

Bruno em dezembro 15, 2008 11:32 AM


#43

As perguntas que a esmagadora maioria das pessoas mandarão ficará presa em um filtro semelhante ao da revista veja, no qual as críticas ficam presas e nunca são publicadas, o jornalismo brasileiro mainstream, me deixa cada dia mais envergonhado de ser brasileiro, a sorte é que existe um certo delegado que é desafeto número um do presidente do supremo, assim como um outro juiz, acho que faltou chamar um Mino Carta, ou Luiz Carlos Azenha, um Paulo Henrique Amorim, ou mesmo Protógenes Queiroz e o juiz Fausto de Sanctis, queria ver o GM virando para o Protógenes e dizendo que se recusaria a responder a pergunta dele, por que funcionários públicos não podem ser políticos, infelizmente veremos pessoas dando tampinhas nas costas, e com certeza todos eles elogiando o ótimo serviço prestado pelo grande ministro GM

João Vicente em dezembro 15, 2008 11:33 AM


#44

Bom dia
além de toda a questão discutida aqui,chamaram-me a atenção na "resposta" do ombudsman da Cultura dois pontos: 1.a visão arcaica da internet,ao afirmar ser um jornalista formado e funcionário de uma instituição tradicional de imprensa, o bem.

rabbit em dezembro 15, 2008 11:37 AM


#45

Bom dia
além de toda a questão discutida aqui,chamaram-me a atenção na "resposta" do ombudsman da Cultura dois pontos: 1.a visão arcaica da internet, considerada um mal, uma ameaça ao correto fluxo de informações e 2.ao afirmar ser um jornalista formado e funcionário de uma instituição tradicional de imprensa, o bem, a fonte confiável de notícias.


rabbit em dezembro 15, 2008 11:39 AM


#46

Idelber, nem me dei ao trabalho de reclamar mais depois da resposta dada pelo ombudsman. Infelizmente o programa vai ser chapa-branca pra valer e o jogo de cumadres prevalecerá. Com ampla cobertura da grande imprensa nacional no dia seguinte (aliás, algum grande veículo de comunicação do país tem falado dos protestos pela entrevista de GM na Cultura?)
Até a The Economist tá melhor do que os grandes veículos da imprensa nacional. Na edição da semana passada cobriu decentemente a sentença desfavorável contra Dantas e deu o sugestivo título de "Fall of an opportunist"...
Outra coisa: no CQC da semana passada, os caras estavam cobrindo a festa de um ano da TV Brasil (do governo federal). Perguntaram então pro presidente da Fundação Padre Anchieta se ele sabia a diferença entre TV pública e TV estatal. O cara tentou explicar mas acabou se enrolando todo e, no fim das contas, disse que é tudo a mesma coisa...

Abraços,

André em dezembro 15, 2008 12:32 PM


#47

Fiquei muito chocada com tudo que li no texto de Leandro Fortes no blog do Mino, mas o assassinato da garota é assustador. Pobre Andréa, pobre família. =/

Idelber, sem querer ser chata mas já sendo - meu perfeccionismo é incontrolável, chega a ser TOC - mas não é decifração, sem 's'?

carol em dezembro 15, 2008 12:55 PM


#48

Idelber,

Encaminhei uma perguntinha singela, bobinha mesmo: "Dr. Gilmar, fala-se muito dos possíveis excessos no relatório sobre Daniel Dantas e do uso de algemas pela polícia. Quase nada dos crimes eventualmente cometidos. O senhor acha correta essa inversão?".
Voce percebeu como o espaço para perguntas é pequeno?

Cláudio Freire em dezembro 15, 2008 1:13 PM


#49

Excelente. Isso é mais do que suficiente para uma CPI ou "impichá-lo". E o congresso covarde, não faz nada?

Calixto em dezembro 15, 2008 1:32 PM


#50

Idelber,
Brilhante esse seu post a respeito da entrevista do ministro Gilmar Mendes hoje no Roda Viva. Fico imaginando que em pleno século 21, ainda exista esse tipo de jornalismo(?).

Um abraço e saudações atleticanas.
Reynaldo
Ps.: Cê viu? O nosso Galo contratou o Leão. Agora vai!

Reynaldo Cruz em dezembro 15, 2008 1:43 PM


#51

Mais uma:
O que o senhor acha sobre o fato de o piloto Hélio Castro Neves, nos EUA, ter chegado ao tribunal ALGEMADO E ACORRENTADO, e ter pago DEZ MILHÕES DE DÓLARES de fiança, após ser preso?
O senhor considera os EUA um Estado policial?
Caso, positivo, o senhor entende que a Justiça brasileira está a anos luz da americana, ainda tribal?

Heitor em dezembro 15, 2008 2:08 PM


#52

Um jornalismo onde está ausente o pluralismo de idéias e concepções não merece esse nome.

Heitor em dezembro 15, 2008 2:12 PM


#53

Idelber

Post sensacional! Quando eu soube por meio do Blog do Nassif que essa barbaridade iria acontecer fiquei chocado - e confesso que estou até agora.

Há de se ponderar, no entanto, que não é fácil fazer uma entrevista com o referido Ministro nesse atual momento. Seria como trazer Collor ao Roda Viva quando já haviam sido divulgadas as primeiras notícias sobre a corrupção em seu governo e alguns ainda insistiam em defendê-lo enquanto outros já marcavam uma posição firme em favor seu impedimento.

Um Roda Viva com Collor naquela época seria, já na simples apresentação do time de entrevistadores, uma mostra de qual lado aquela TV tomou em relação a tudo aquilo.

No caso GM é o mesmo. Mas o que está para acontecer hoje é escandaloso demais, é tosco demais, evidente demais e infantil demais; Paulo Markun, que vem destruindo sua biografia desde que chegou à presidência da Fundação Padre Anchieta, já descaracterizou o jornalismo da Cultura, o próprio Roda Viva - que virou uma tosquice desde que Lilian Wite Fibe se tornou a âncora do programa -, agora achou que poderia usar compactuar com interesses maiores, invisíveis e ao mesmo tempo evidentes no processo de limpar a barra de Gilmar. No entanto, é impossível tapar o Sol com a peneira e isso foi um tiro no credibilidade do programa, na TV que o veicula e no peito dele próprio, Markun.

Agora, indago o seguinte: Qual é o estado da Federação ao qual pertence a estatal TV Cultura? Quem está no poder nele? Quem esteve envolvido no escândalo Dantas? Por isso eu peço que juntem as pecinhas, nesse exato momento o quebra-cabeças está quase montado.

Hugo Albuquerque em dezembro 15, 2008 2:13 PM


#54

Mandei as sugestões de eprguntas. Será que farão??

Paulo José em dezembro 15, 2008 2:30 PM


#55

O Márcio Chaer é assessor de imprensa do Gilmar Mendes e dos advogados do Dantas. Tudo às claras. No Brasil é assim. Todo mundo sabe das falcatruas e azar de quem não participar delas.

UMA VERGONHA!

Aline em dezembro 15, 2008 2:35 PM


#56

Excelente! É lamentável que isto esteja ocorrendo com o Roda Viva, uma das poucas coisas que ainda se valia a pena assistir nos canais abertos...

Vou reproduzir seu texto no meu blog, o link está aí. Abraços e parabéns!

Juliana em dezembro 15, 2008 2:40 PM


#57

Francamente, esse mundo está perdido mesmo. Afinal de contas esse Ernesto Rodrigues é um ombudsman ou um ombudsmouse?

Cláudia em dezembro 15, 2008 2:58 PM


#58

Essa entrevista vai ser enquadrada nos seguintes ditados populares: Juntando a fome com a vontade de comer; Cagando e limpando com angú; O bagaço empurrando o cisco; Ficamos assim, nem você me telefona nem eu lhe procuro; O burro carregado de açucar até o rabo é doce; etc...etc...etc...

Luiz Carlos em dezembro 15, 2008 3:05 PM


#59

GUERRILHEIROS VIRTU@IS divulgando as "25 perguntas que não querem calar" www.guerrilheirosvirtuais.blogspot.com
Atenciosamente
Suzana & Saroba

Luiz Settineri em dezembro 15, 2008 3:23 PM


#60

O Cardoso Czarnobai falou verdades bem ditas.

Pax em dezembro 15, 2008 3:26 PM


#61

Ótimas perguntas! E esse ombudsman é muito cara-de-pau. Lá no site tem vários e-mails. Dentre eles, um é para o ombudsman e um outro é o e-mail para perguntas. Ele deve é receber as críticas dos telespectadores e refletir. Essa é a saída dele? Achei fraca...

Marcelo BH em dezembro 15, 2008 3:27 PM


#62

Enviei a seguinte pergunta para simpático e prestativo Sr. Ernesto,

Gostaria de que fosse encaminhada para a bancada do Roda Programa Roda Viva a seguinte pergunta ao Presidente do Supremo Tribunal, Gilmar Mendes:

O poder Judiciário tem assumido papel de outros poderes, como do legislativo sem que tenha poder constitucional para isso. Também tivemos casos interferência no executivo quando se chama a atenção de forma pública do chefe desse poder. Como o poder judiciário pode contribuir para a melhoria das leis e códigos sem que assuma ações que não são de sua alçada? Como o Poder Judiciário pode de fato contribuir para a melhoria do processo democrático dos pais sem intervir em outros poderes?

Observação: Essa foi uma questão da prova discursiva do concurso do IPEA realizado pelo CESPE/UNB em14/12/2008.

Luciano em dezembro 15, 2008 3:37 PM


#63

È a primeira vez que leio tanta indiginação em um só blog.

Antonio Lyra Filho em dezembro 15, 2008 3:39 PM


#64

HABEAS PORCUS: SAPATA(DA) NELE!

Mirando-me no bom exemplo do jornalista iraquiano, que atirou um sapato em Bush, e por ter uma ótima memória histórica, ao contrário da maioria do povo brasileiro, eu adoraria, para concluir o ano com a consciência do dever cívico cumprido, como gesto de expressão da indignação de nosso povo diante da (in)Justiça brasileira, atirar não um sapato, mas uma sapatona, do porte de Ângela Rô Rô, em cima de Gilmar Mendes, presidente do STF, o qual não tem concorrentes, nesse ano, para alvo de sapatadas no Brasil, pois "aboliu" o Estado de Direito, reconquistado a duras penas, com suas ações pouco ortodoxas, digamos assim.

Inspirado nele, escrevi os textos abaixo:

PLUTOCRATAS DE FINO TATO

Se a Justiça fosse cega,
o dólar seria impresso em Braille.

VALOR SUPREMO

A Lei, ora, a Lei...
A Justiça, ora, a Justiça...
O dinheiro, OBA! Dinheiro!

Ivaldo Souza em dezembro 15, 2008 3:45 PM


#65

Acrescentaria uma pergunta de ordem subjetiva e psicanalítica: V. Excia. quando se olha no espelho, sente vontade de chorar ou cai na gargalhada? Qual a frequência dessa reação?

Armando em dezembro 15, 2008 4:20 PM


#66

Idelber, fui um dos convidados para *cobrir* a entrevista via Twitter -- tive que avisar a proudção da TV Cultura de que não poderia comparecer/participar, devido a motivos profissionais (a cobertura seria presencial, direto dos estúdios).
Não sei até onde poderia, e se poderia, intervir com perguntas, ou me restringiria à *cobertura twísttica*.
Fico agora com o *sifonáptero na parte posterior do pavilhão auricular*: me livrei de uma fria?
Abraçãos

Bicarato em dezembro 15, 2008 4:32 PM


#67

Como V.Exª,posiciona-se frente a um direito surupiado de um cidadão comum,por tribunais inferiores e quais ás medidas possíveis junto ao STF,tendo em vista que o referido Tribunal nega-se o encaminhamento do Recurso ao STF,alegando processo findo.

Lomar. em dezembro 15, 2008 4:37 PM


#68

Idelber, boas perguntas.
Infelizmente nenhuma resposta.
Gilmar Mendes é tucano de primeiro vôo.
E eles se acham os mais sublimes do seres humanos.
Com toda essa pose em que se acham, afundaram nosso país.
Felizmente recuperado por um analfabeto.
Triste ironia...
Também escrevi alguns artigos em meu blog: www.martinsandrade.blogspot.com
Sejam, também, benvindos.

Martins Andrade em dezembro 15, 2008 4:43 PM


#69

Caro Idelber?

Você teria formulado 25 perguntas a se fazer ao Lula em eventual coletiva? Mais 25 para o J. Dirceu?

Pela precisão e clareza destas perguntas, poderia criar uma série "25 perguntas de Idelber"... "que difilmente serao feitas" e ..."que nunca serão respondidas.

Paulo em dezembro 15, 2008 4:45 PM


#70

Idelber, o Frederico Vasconcelos deu a notícia no dia 12, antes do Nassif. Em minha opinião é o melhor blog sobre questões jurídicas,tanto pela credibilidade do autor quanto pelos comentaristas, em sua maioria juízes, promotores, procuradores e advogados, sem contudo ser contaminado pelo juridiquês. A nota tem 10 comentários:
http://blogdofred.folha.blog.uol.com.br/arch2008-12-07_2008-12-13.html#2008_12-12_12_17_59-126390611-0
A propósito, ontem à noite o ministro Gilmar Mendes foi entrevistado na Band, não vi qual era o programa.

marcus em dezembro 15, 2008 5:07 PM


#71

Alguém podia pedir pra um daqueles "twitteiros" que acompanham o programa jogar o sapato no homem...

Marcelo P. em dezembro 15, 2008 5:08 PM


#72

Franciel (39) obrigada pelo comentário e pelo link...quase me matei de rir. Como é que o cara encarou continuar na profissão depois de escrever tanta bobagem e ver cada uma das bobagens sendo desmentidas pela realidade????

aiaiai em dezembro 15, 2008 5:46 PM


#73

Armando (64): na minha opinião, a melhor pergunta de todas (depois das do Idelber, é claro)!

aiaiai em dezembro 15, 2008 5:54 PM


#74

Agora, falando sério: dá uma certa pena de ver um programa que tem uma história de contribuição na democracia brasileira transformado em palco para esse pilantra! Lamentável.

aiaiai em dezembro 15, 2008 6:01 PM


#75

Carol, você está certíssima: "decifração", sem "s". Já corrigido, muito obrigado.

Ando com problemas de conexão, pois acabei de chegar no Brasil. Logo que puder, volto com outro post.

Bica, teria sido interessante ver alguém lá tirando sarro via Twitter. Mas acho, sim, que você se safou de uma fria.

Ainda nem sei se vou ver o programa ou não...

Idelber em dezembro 15, 2008 7:27 PM


#76

Marcus, fiquei conhecendo ontem o blog do Fred. Gostei muito, muito mesmo. Entrou no meu radar.

Muito obrigado ao pessoal que está ajudando a divulgar as perguntas.

Idelber em dezembro 15, 2008 7:29 PM


#77

Idelber

Voce deve ter notado quantos via Nassif achacador mor te escreveram, sai dessa cara ou voce tambem quer espetar algum papagaio no BNDES.
Que voce queria o delegado federal Protogenes e um descontrolado junta um juiz doido para apacer so podia sair um relatorio de crioulo doido não tem nada so a suspeita de corrupcão que mais parece extorsão. Ainda bem que temos o STF em Brasilia e não vai na conversa de qualquer petralha.

Carlos Roberto P em dezembro 15, 2008 8:10 PM


#78

Idelber,
é só para dizer que gostei muito. Está brilhante!

Paulo Pereira em dezembro 15, 2008 8:16 PM


#79

Caro Idelber: não costumamos fazer isso, mas, nesse caso, abrimos a honrosa exceção de copiar integralmente sua postagem no Cloaca News. Quando puder, faça-nos uma visitinha.
.
http://cloacanews.blogspot.com/
.
Grande abraço!

Cloaca News em dezembro 15, 2008 8:38 PM


#80

Caro Idelber, saudações ATETICANA,depois da prévia da BAND, RECONHEÇO, não vou dar ibope pra tv cultura, vou ficar no cqc ou vou dormir, amanhã vc comenta, abraços.
Roberto M almeida São José dos Campos - SP

Roberto M. Almeida em dezembro 15, 2008 8:41 PM


#81

Tá quase na hora. Encaminhei uma pergunta.

- Defina pistolagem jornalística. Quais as providências que o senhor tomou contra a reportagem, assinada por Leandro Fortes, publicada pela revista Carta Capital?

Fábio Carvalho em dezembro 15, 2008 8:49 PM


#82

Está sendo histórico.

zeleandro em dezembro 15, 2008 9:29 PM


#83

Tio Rei reina no primeiro bloco. O grampo no STF só é uma fraude se, e somente se, a revista Veja estiver envolvida numa conspiração com o presidente do STF. Quem levanta dúvida sobre a procedência do grampo têm que ter a coragem de dizer isso. "Ministro, cabe ao senhor apresentar o áudio do grampo?"

Notável pergunta.

Fábio Carvalho em dezembro 15, 2008 9:40 PM


#84

Perfeito, Idelber!
Acrescentaria mais uma pergunta:
Por que o sr. não toma nenhuma providência contra o escandaloso nepotismo que grassa no Judiciário brasileiro?

Daniel Brazil em dezembro 15, 2008 9:45 PM


#85

dá pra perguntar online agora no http://www.radarcultura.com.br/rodaviva/

bernardo em dezembro 15, 2008 9:48 PM


#86

Ele ontem tava mais contido na Band.O único que apertou um pouco foi o Marcelo Parada.Hj ele tá soltinho,hehehe.

Any-RJ em dezembro 15, 2008 10:41 PM


#87

Semana que vem tem Protógenes

Fábio Carvalho em dezembro 15, 2008 10:49 PM


#88

Idelber,

"Boas vindas" a estes tristes trópicos! Não li todos os comentários, então não sei se estou sendo repetitivo. Mas a verdade é que a pergunta 8 foi feita a ele durante o programa. Sua excelência respondeu dizendo que se tais ações jamais chegaram "sequer à primeira instância", é porque nem existem e ainda afirmou que a revista que publicou tal notícia só pode ser muito mal informada para tê-lo feito. Quanto à décima, que não foi feita exatamente assim, sua senhoria comentou que todos os fatos já eram conhecidos na época do primeiro habeas corpus.

P.S.: Curiosamente, na noite de ontem sonhei que estávamos conversando pessoalmente sobre alguma postagem sua. Não me lembro exatamente, mas parecia ser num boteco. ;-)

Abraços

Beto em dezembro 16, 2008 1:07 AM


#89

Caro Idelber, a repercussão do programa da BAND aqui no Rio foi nenhuma. Eu estive na tarde (início da noite) num destes encontros de fim de ano e entre centenas de conversas os dois assuntos comuns eram: como se chegar em casa, após o nosso encontro, no domingo a noite (é noite, não é madrugada não) em segurança e como será a crise que se aproxima (segundo a maioria dos presentes deverá chegar depois da semana santa). O Rio continua lindo!

Paulo Z em dezembro 16, 2008 5:53 AM


#90

OFF TOPIC

Tá em BH Idelber? Bora rodar Santa Tereza?

Jasão em dezembro 16, 2008 7:04 AM


#91

Prezado Idelber Avelar,

Parabéns pelo texto.
Tomo a liberdade de repassar estas perguntas aos meus amigos.
Já enviei meu e-mail à direção do programa Roda Viva, dizendo inclusive que ontem foi meu ultimo dia de telespectador da atração. Não que para eles isto fará alguma diferença. Mas para mim, acreditem, fará um diferença enorme.

Flavio em dezembro 16, 2008 10:31 AM


#92

Depois dessa será impossível levar à sério algum Roda Viva; na semana que vem, quando Protógenes estiver lá, se tiver uma mesa de levantadores - o que eu acho difícil -, só vai acentuar o caráter burlesco da entrevista de ontem; se quiserem fazer uma blitz contra ele - como já fizeram com o Stédile quando ele foi entrevistado - vai ficar claro o direcionamento do programa; se a bancada for equilibrada, ainda assim vai ser injusto. Enfim, construir a credibilidade de um programa é difícil, destrui-la é fácil, fácil.

Hugo Albuquerque em dezembro 16, 2008 11:43 AM


#93

Acabo de ler q o IGP despencou. Isso mesmo, D E S P E N C O U !

Der Gobbels nao sabe onde esconder isso, pois qeriam terminar o ano cheios de "más notícias" ou, ao menos dizendo q o mundo estava prá acabar em 2009.
Craro, prá qem cresceu fazendo jornalismo na base do jabá, ficou duro escrever a mentira sem provas, a falsidade desmentida de todo dia.

Porq o povo, agora qer outro jornalismo ... o NOSSO!

Sim, nao somos formados nessas Universidades de picaretas engomadinhos, nao escrevemos bem e mal sabemos a sintaxe.

Nao tem pobrema, o povo qer comida, qer alegria, qer verdade, qer casa própria, qer filho na creche e escolas decentes c/ chances iguais.

O povo qer dormir e no dia seguinte, ir pro trabalho c/ o corpo banhado, e voltar cansado de produzir, mas vendo seu dinheirinho podendo comrar remédios, roupas e ainda ver sobrar algum prá viajar e rever parentes e amigos, lá de longe.

O povo deu as costas á mídia cadelinha no cio, por se sentir tratado como idiota.

Muitas vezes disse e vou repetir: a verdade é como merda - fede mas bóia.

Enqto isso, os redotres-capatazes esmagam qlqr tentativa de notícia clara e honesta q possa vir á tona.
Agora a mídia corporativa e do atraso ficou q nem barata tonta, nao sabe prá q lado vai, e mesmo assim, insiste em se apegar ao lado errado.

E o natal chegou, c/ ele, 1 Papai Noel de 9 dedos (aqele q + odeiam), 1 barbudo q nao pede a niguém prá sentar em seu colinho, mas os beija e afaga c/ se fossem seus entes qeridos, onde qer q estaja.
O ano todo, todos os anos.

Papai Noel nao veio da Lapônia e sim de Pernambuco e nao fala HO-HO-HO, mas tem sotaqe arretado.

E a mídia do atraso procura por Daniel Mendes, a dupla Bat-a-mao e Rob-a, q está prá sumir nao nos trenós de renas c/ caras de panacas, mas num camburao q insite em nao sair de suas portas.

E c/ ele, sumiu o jabá q antes significava "bom natal" prás Famiglias neo-nazi q controlam a mídia tupiniqim...

O q falar? Nada!

Vcs morrem, enquanto nós somos os novos jornalistas do Brasil.
Estamos re-ensinando o q os dotô/professô metidos a besta nao tema mais prá ensinar.

A USP, outrora Universidade de SP, nao passa de 1 nefasto ninho tucano-pefelento. Aqilo virou antro do q de pior se pode ensinar a um estudante de direito, filosofia, sociologia, história, economia e/ou de comunicacao.

Virou fábrica de fazer patroes.

E já q somos a nova mídia, entao vamos continuar desconstruindo o lixo q eles tentam nos passar, mas q é DELES.

Ontem lí o "editorial dos mortos-vivos" escrito por ninghuém menos q Ricardo Noblatblabla.
Tive pena.
O cara se poerdeu no q qiz dizer, e eu ria.

Ok, nós o compreendemos seu Noblatblabla. O sr tem razao, mensalao é corrupcao. Mas o sr se esqeceu de mencionar Azeredo, o tucano pai do filho q o sr chama de feio.
O sr tmbm se esqceu de citar sua esposa, entalada em escandalo c/ o deputado Raul Jungaman, algo em torno de 33 milhoezinhos.

Coisa pouca, né?!

Mas, a bem do jornalismo, mesmo o pitaqeiro, o sr omitiu, afinal, a merda dorme c/ o sr e o sr finge q nao sabmemos.

Moral de cueca?
Nao temos nenhuma, mas o sr tem moral de esposa corrupta prá oferecer?

Moral de mensaleiro? Nao, nao existe. O q é ilegal, deve ser tratado na palavra da lei.

Mas o sr qer o q? Mensaleiro em cana e sua esposa em Miami?

Aliás, qero propor ao sr o seguinte:
q tal nós 2 dentro do Maracana lotado num dia de Fla x Flu, o sr pedir vaia prá Lula?

Ou num dia de Corinthians x Palmeiras, será q sai?

Nem vou pðedir prá fazermos o mesmo num dia de Ba x Vi ... porq aí já covardia ...

Mas, pelo meu lado, o sr me permite pedir uma salva de aplausos pro sr e prá sua Der Göbbels?

Em qlqr desses lugares?

É ruim, heim Creonice, é ruim heim?!


Inté,
Murilo

O q eu ví ontem, me fez rir ... em dezembro 16, 2008 1:04 PM


#94

Alexandre
Já que você está aristotélico, pergunto:
É da sua natureza ser contraditório e confuso?
Explico:
1) No A Torre de Marfim, você acredita que o jornalista iraquiano só fez o que fez porque o Iraque hoje não é a ditadura saddamita (com o que concordo, e prezo); aqui, porque ele é iraquiano ou árabe, ou de algum povo estranho e bárbaro.
2) Se você é brasileiro (o que parece), seria você também um desses que não sabe se portar em público, como o exemplo utilizado? Ou isso não é da sua natureza?
Dá para nos iluminar?
De forma empírica, é claro.

João Paulo Rodrigues em dezembro 16, 2008 2:52 PM


#95

Idelber

A sua seção de comentarios e horrivel de acompanhar,fala para seu TI inverter a ordem dos comentarios os mais recentes entrariam no topo da lista se não toda hora temos que ler aquelas mensagens de puxa sacos tais com "saudações atleticanas" alias de onde e esse time

Carlos Roberto P em dezembro 16, 2008 3:23 PM


#96

É, Jõao Paulo, é para 'desconfiar' do cárater democrático de certas intervenções.
Jogar um sapato em bush não representa um atentado à democracia. E prova o contrário. Jogar bombas é mais primitivo, menos democrático.
De qualquer forma é bom que se registre a desproporção das 'intervenções'; Sapatos e bombas eh eh eh.

fm em dezembro 16, 2008 3:47 PM


#97

"A USP, outrora Universidade de SP, nao passa de 1 nefasto ninho tucano-pefelento. Aqilo virou antro do q de pior se pode ensinar a um estudante de direito, filosofia, sociologia, história, economia e/ou de comunicacao."

Não é só a USP, mas todas as grandes universidades da cidade de São Paulo viraram um ninho de atraso e, por que não, talvez a cidade inteira. A São Paulo de hoje é uma cidade muito, mas muito esquisita mesmo.

Hugo Albuquerque em dezembro 16, 2008 3:53 PM


#98

Passado o programa, palavras do Ombudsman da Cultura: "Reinaldo Azevedo e Márcio Chaer conspiraram contra a qualidade e o equilíbrio jornalístico":

http://capitao-obvio.blogspot.com/2008/12/ombudsman-da-cultura-reinaldo-azevedo-e.html


Capitão Óbvio em dezembro 16, 2008 5:42 PM


#99

Hugo, a USP ainda é a 'Universidade' de São Paulo.
Sao Paulo é tão esquisita quanto qualquer outro lugar em que o capital esteja presente e com vontade (eterna) de representação como defensor de 'conquistas'.
Par mim esse papo de desquailificar a USP , como Reinaldo Azevedo esbarra em pessoas como Antonio Candido, Wisnik, Kabengele Munanga, Milton dos Santos, Dalmo Dallari etc.

fm em dezembro 16, 2008 5:53 PM


#100

Chulamente falando, o programa foi a Roda da TV Cu.

Daniel Brazil em dezembro 16, 2008 7:16 PM


#101

Corrigindo;
Acho que o correto seria dizer ; Jogar um sapato em bush não representa um atentado contra a democracia.
Mas o melhor seria dizer;
Jogar um sapato em qualquer presidente não representaria um atentado contra uma democracia.

fm em dezembro 16, 2008 7:35 PM


#102

Corrigindo;
Acho que o correto seria dizer ; Jogar um sapato em bush não representa um atentado contra a democracia.
Mas o melhor seria dizer;
Jogar um sapato em qualquer presidente não representaria um atentado contra uma democracia.

fm em dezembro 16, 2008 7:35 PM


#103

Não assistimos ao programa...pena!

NÃO SOMOS APENAS ROSTINHOS BONITOS em dezembro 16, 2008 10:28 PM


#104

Vergonha!

Armando do Prado em dezembro 16, 2008 11:16 PM


#105

Mais um excelente post, caro Idelber. O mais engraçado é que depois o trio Mainardi/Reinaldo Azevedo/Olavão diz que a imprensa brasileira está tomada pela esquerda e que a direita não tem voz e é marginalizada. Puxa, se essa escolha de entrevistadores do Gilmar Mendes foi feita mesmo por esquerdistas, então estamos mal mesmo...

Abraço,

Lelec

Lelec em dezembro 17, 2008 2:55 AM


#106

Idelber,

Estou perto de entrar de férias e atolado de trabalho... Mas não poderia deixar um pitaco. Vi o programa, foi interessante ver Azevedo e Chaer pessoalmente, uma coisa que prezo é esse contato visual, a postura, diz muito das pessoas.

Reinaldo Azevedo - como eu esperava, arrogante, deitava falação em suas "perguntas", aproveitando para atacar quem fosse de seu interesse. Fiquei irado em vê-lo usar o AI-5 e o fim do Habeas Corpus para fazer a ilação de que quem foi contra os HCs concedidos por Gilmar seria autoritário e, em última análise, contra o próprio instituto do Habeas Corpus.

O argumento da "pergunta" sobre Andréa Michael foi risível, dizer que se ela quisesse avisar Dantas bastava ligar, ao invés de publicar a reportagem, e a partir daí atacar quem pôs em dúvida a participação da jornalista. A questão não é que ela quis "avisar" Dantas, mas sim que foi sua reportagem que serviu de amparo fático para a impetração do Habeas Corpus que acabou chegando no STF. Para isso tinha de obviamente ser publicada, não bastava o tal telefonema.

O repórter do EStadão - quem? tão apagado que nem lembro o nome, devia ter vergonha de ir ao Roda Viva para desempenhar aquele papelão.

Márcio Chaer - Foi uma sensação indescritível vê-lo e ouvi-lo, especialmente o tom algo cínico com que formulava suas perguntas. E que perguntas...
Depois que revelou-se o seu contrato com o Oportunity, fiquei com os dois pés atrás com o site do Consultor Jurídico. Mas sempre resta algum respeito. Por isso foi ótimo ele participar. Perdi todo e qualquer respeito que ainda tinha por ele e o seu site.

Sinceramente, nem vou me dar ao trabalho de exemplificar com alguma de suas perguntas.

Eliane Catanhêde - fraca, fraquíssima. Tentou apertar Gilmar e mostrou despreparo, apenas um inconformismo tosco na linha de que no Brasil somente negros e pobres vão para a cadeia. Essa abordagem soa como justiceira e cai como uma luva para Gilmar posar de sério e dizer, com razão, que o Judiciário não tem que condenar rico apenas porque também condena pobres, mas sim porque eles eventualmente podem ser culpados.

Para ser justo, ela teve um bom momento: quando disse que o Ministério Público, Polícia Federal, magistratura de 1ª instâncias em dado momento ficaram de um lado e ele de outro, e se apenas ele está certo e todo mundo errado. Gilmar fugiu da pergunta, mas faltou ela complementar que o único setor que apóia Gilmar é a advocacia.

Prestem atenção: Gilmar Mendes é ótimo para criticar, com alguma dose de razão, a postura de alguns Procuradores da República metidos a estrelas (isso diminuiu muito depois que enquadraram o Procurador Luiz Francisco, aquele que quebrou um compromisso de sigilo e gravou o ACM confessando a violação do painel), Delegados da PF e alguns juízes. Na magistratura, essa postura é mais observada em Tribunais, e no STF o próprio Gilmar e Marco Aurélio são exemplos claros. Aliás, aproveito para dizer que o voto favorável ao Juiz De Sanctis pelo Marco Aurélio não me surpreendeu, dada sua compulsão patológica para aparecer, ser o diferente. Vide seu irresponsável pedido de vista no caso Raposa do Sol, sendo que a votação está 8x0 e não vai haver mudança de voto porque é claro que todo mundo pensou muito antes de decidir para que lado ia. Decepção mesmo na votação do HC de Daniel Dantas tive com a omissão de Carmem Lúcia, Ayres de Brito e a estranha viagem de Joaquim Barbosa para o exterior.

Mas voltando ao assunto: alguém já viu Gilmar Mendes criticar publicamente a postura de advogados que recorrem sem parar em processo criminal, criam situações esdrúxulas para depois pedir nulidades no processo, tentam de tudo para conseguir a prescrição? Eu não lembro, mas para falar em "milícias" de juízes, Estado policial e outras coisas do gênero basta aparecer um microfone na frente.

Paulo SPS em dezembro 17, 2008 9:04 AM


#107

Impeachment Gilmar Mendes!!

Participe:
http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=61104077

Yiar Aaru em dezembro 17, 2008 11:23 AM


#108

eu admiro quem conseguiu sintonizar a Cultura ontem. não tenho estômago para tanto, então fiquei aqui brincando com os gatos mesmo.

tu tem limite, senão vira palhaçada.

daniel em dezembro 17, 2008 12:31 PM


Willie em dezembro 17, 2008 3:43 PM


#110

“... a gente quer ter voz ativa, no nosso destino mandar, mas eis que chega a Roda Viva...” Quem nasce em ninho de tucano, graúna (Henfil) não é. Esta observação aplica-se tanto à emissora quanto ao entrevistado. A TV CORRUPTURA, digo, Cultura(?), prestou-se lamentavelmente a um papel deplorável de marqueteira da improbidade jurídica nacional. O circo armado designou aos telespectadores o papel de tristes palhaços (sem, de maneira alguma, menosprezar esta digna profissão). Foi mais um desserviço prestado ao debate, à informação e à democracia. Lamentável.

PS: - Ao Alexandre: Atirar sapatos pode até fazer parte dos instintos humanos primitivos (desde quando os inventaram). De qualquer maneira é tão civilizado quanto jogar bombas e agente laranja em países alheios, porém, menos nocivo à história da civilização da nossa espécie. A mentalidade colonizada veste Prada e estolas de pele em pleno verão carioca, cultua papais noéis com roupas árticas em dezembro e condena a sunga e trajes menores (incompatíveis com o nosso clima). Tome tenência antes de criticar culturas e costumes que não constam dos programas pedagógicos da Sorbonne ou de Harvard!

Roberto Barboza em dezembro 17, 2008 4:00 PM


#111

O post está brilhante, Idelber. Às vezes me pergunto se esses filhos do Brasil têm jeito.
Sucesso e sempre na luta ano que vem.

adelaide em dezembro 17, 2008 4:46 PM


#112

Pois é, capitão, o ombudsman duvidava da nossa capacidade de prever a coisa...mas, no final, ele teve que concordar. Dava para prever que ia ser uma tragicomédia. A coisa tava, por assim dizer, óbvia! kkkkkkk

aiaiai em dezembro 17, 2008 5:41 PM


#113

Eu não tive paciência para assistir ao programa. Tinha uma forte impressão de que seria joguinho de comadres, como parece que de fato foi. Por tudo que eu li a respeito do programa, e pelo link dos bastidores que o Willie (#108) postou, parece que quem fez as perguntas mais relevantes a Gilmar Mendes foi a jornalista que o entrevistava nos intervalos, que, no entanto, não teve traquejo nem tempo para apertá-lo, retorquindo.Mesmo assim, em alguns momentos, o ministro ficou visivelmente irritado com as perguntas.

O pior do vídeo dos bastidores,pois as respostas evasivas do Gilmar Mendes já eram esperadas, é o Caruso dizendo que "foram colocadas questões delicadas e profundas", que a entrevista foi "quente", que o Roda Viva cumpriu o seu papel de "colocar o dedo na ferida"...

Bruno Pinheiro em dezembro 17, 2008 7:01 PM


#114

Pessoal:

Eu assisti à entrevista! (de todas formas, muito obrigado pela atenção, Willie). Tenho algumas observações a fazer, mas ainda estou sem internet em casa.

Minha leitura é bem parecida com a do Paulo SPS. Acho que a pressão da internet fez com que Eliane Cantanhêde tentasse, pelo menos, um mínimo de independência. Foi o suficiente para que Gilmar perdesse completamente a compostura.

Logo que a Oi restaurar meu serviço de net aqui em BH, eu volto com outro post. Simplesmente não pára de chover em BH, não dá para ficar indo em Lan House.

Abração geral.

Idelber em dezembro 17, 2008 7:26 PM


#115

fm

Não sei por quais motivos RA desqualifica a USP e, sinceramente, eles pouco me interessam. Aliás, eu nem perco o meu tempo lendo o que esse senhor escreve, se você o faz, isso é problema - e direito - seu. No entanto, não é porque ele critica a USP que eu tenha de ficar com medo de fazê-lo só para não ser rotulado (rotular é fácil, não é?). Também não vou me demorar nesse tema, mas o que a USP de hoje tem realmente produzido? Por que no lugar do pessoal da velha guarda você não citou alguém mais jovem? Será que eles existem? Comparemos o que ela tem produzido hoje com o que era produzido há vinte anos. Pois é, ela perdeu sim terreno e perdeu dentro do próprio país.

Quanto à São Paulo, a decadência da cidade está aí para quem quiser ver: Violência, emburrecimento, crescimento de favelas e de condomínios de luxo - verdadeiros castelos medievais -, empobrecimento, queda na renda etc. Relativamente às demais capitais e cidades importantes, São Paulo também perdeu importância e, mais que isso, também se tornou uma cidade bem desprazerosa de se viver. Dizer que ela só está "esquisita" é até um elogio.

Hugo Albuquerque em dezembro 17, 2008 7:47 PM


#116

O Padrão Veja - Respostas de Reinaldo Azevedo ao Ombudsman da TV Cultura

Depois de ter sido criticado pelo ombudsman da TV Cultura, Ernesto Rodrigues, o jornalista e blogueiro da VEJA perdeu completamente o controle:

http://capitao-obvio.blogspot.com/2008/12/o-padro-veja-respostas-de-reinaldo.html

Capitão Óbvio em dezembro 17, 2008 9:11 PM


#117

Essa dos bastidores é massa!

Pedrin em dezembro 17, 2008 10:54 PM


#118

Idelber,

Este seu post me pareceu bastante afinado com outro, de minha autoria: http://folhademacondo.blogspot.com/2008/08/breve-observatrio-sobre-coligao-tica-e.html#links.
Mas acredito que isto não lhe trará a dor de cabeça que tive por conta de expressar minhas opiniões. Sabe como é a prática política nesse nosso imenso interior, né? Aporrinharam até os meus parentes que nem sabiam que eu tinha um blog. O mal estar foi tão grande que me submeti a uma rigorosa auto-censura para poupar os meus. É mole?
Abraços e boas férias.

Beto em dezembro 17, 2008 11:54 PM


#119

Boas vindas, Idelber. Você trouxe algum furacão com você?

João Paulo Rodrigues em dezembro 18, 2008 12:49 AM


#120

Essa do Fernando Meirelles foi demais, em plena festa da Vejinha SP:

"Vencedor do prêmio "Paulistanos do Ano 2008", da Veja São Paulo, Meirelles repassou o troféu ao magistrado [Fausto De Sanctis] por achar que havia um paulistano que merecia a homenagem mais do que ele. A notícia foi antecipada pela coluna de Mônica Bergamo, na Folha de S. Paulo desta quinta, 18. Em cima da placa, Meirelles colou um papel: "Fausto De Sanctis/ O Homem!"."

Citado do Bob Fernandes (Terra Magazine).

Leo Vidigal em dezembro 18, 2008 3:26 PM


#121

Caro Paulo SPS,
Joaquim Barbosa foi surpreendido com a votação do HC de Daniel Dantas quando estava no exterior, essa informação foi publicada em Terra Magazine.

Patrick em dezembro 18, 2008 4:15 PM


#122

Hugo, de 91 a 2002 a FFLCH- USP perdeu 18% por cento dos docentes, e por motivos de redução de 'custos', economia. Mas nomes como José Luiz Fiorin, Marilena Chauí, Renato Janine Ribeiro, Luiz Augusto de Morais Tatit, Maria Aparecida de Aquino, Nicolau Sevcenko, João Adolfo Hansen, Leila Perone Moisés, além de muitos outros e dois dos citados acima, não representam regressão.
Tomo como exemplo a FFLCH-USP por ela ser a maior e mais antiga unidade da USP, mas há em outras areas, outros exelentes exemplos.
De qualquer forma, embora você não seja um 'leitor' do R. A., sinto informa-lo que ele e o OESP, para citar alguns, criticam a USP pelos mesmos motivos que você critica. Como você pode notar não basta não ser leitor de nenhum deles para pensar igual.
Pelo que pude entender você considera Dalmo Dallari, da velha guarda, ultrapassado em relação ao 'atuante' Gilmar Mendes, por exemplo.
Se sua crítica à USP, tem como intuito atingir os seguidos governos Pesedebistas em São Paulo, o tiro saiu pela culatra. Mas mesmo assim apoio parte de sua crítica, a meu modo de ver, à maneira 'desinteressada' que a gestão do PSBD se mantém, entre outras, na educação no Estado. Seu eu estiver errado em relação às suas críticas, essa é minha crítica.
São Paulo, o estado não perdeu importância na política nacional, muito pelo contrário. E talvez até por razão do que a USP produziu há, até, vinte anos atrás. Mas em hipótese afirmativa, seria um fato positivo a quebra da hegemonia, jamais coisa para se lamentar ou protestar.
Em primeiro lugar porque pode significar que a importância e a produção acadêmica de outras regiões cresceram.
Enfim, em São Paulo ocorre tudo o que você elencou, mas são coisas também notáveis em qualquer outro estado brasileiro. E arrisco afirmar, em qualquer região do mundo.
E se você não esta querendo dizer que o Brasil está pior do que ha vinte anos atrás, só discordo sobre o 'emburrecimento'. E pelo fato de sentir muito prazer em viver em São Paulo.
Senão já teria me mudado, porque viver num lugar no qual não se tenha nenhum prazer me tira o humor.
E viver sem humor é o fim da picada.
Bem, igual a você , não quero me demorar neste tema.

fm em dezembro 18, 2008 5:15 PM


#123

Está interessante esse papo sobre a USP. Acho que tanto o Frank como o Hugo levantam questões pertinentes. Há tempos quero fazer um post sobre a USP, porque acho que há coisas positivas e negativas a serem assinaladas.

O que posso dizer, sem medo de errar, sobre a área que domino, é o seguinte: durante muito tempo a USP foi a líder inconteste na área de Letras. Já há alguns anos ela foi deixada para trás pela UFMG, entre outras. O motivo? A endogenia, a concepção incestuosa de reprodução do conhecimento. A política de contratações privilegia a repetição do que já está lá. Há uma notável dificuldade de se dialogar com métodos e abordagens diferentes. O resultado é que se alguém vem da USP, você já sabe mais ou menos que tipo de discurso trará.

Isso, na universidade, é mortal. Dito isso, faço a ressalva de que há uma demonização da USP entre a direita brasileira da qual, evidentemente, eu não comungo de jeito nenhum.

Idelber em dezembro 18, 2008 5:22 PM


#124

Espero que na 'argumentação', em meu comentario, eu não tenha sido demasiadamente óbvio eh eh eh.
Mas em princípio tinha como ideia exatamente a 'demonização da USP entre a direita brasileira'.
Confesso que não me ocorreu a coisa da endogenia.
Bom, fico esperando, ansioso, esse post sobre a USP, onde ficarei sabendo sobre o lado 'Jedi' da força eh eh eh.
Abraços

fm em dezembro 18, 2008 6:51 PM


#125

fm,

Em primeiro lugar, os nomes que você citou primeiro são sim muito superiores aos posteriores, o que confirma a minha tese. Aliás, a Professora Marilena não pode ser considerada como sendo da "nova" guarda.

Quanto a você me rotular como alguém que "pensa" igual ao RA e ao Estadão, chega a ser tão cômico que me fez interromper o que eu estava escrevendo para rir - e muito. É como eu disse, rotular é fácil, no entanto, talvez você tenha razão: Como leitor de ambos, você deve ter alguma autoridade pra dizer quem pensa ou não igual a eles.

Agora, por puro senso comum, eu só gostaria de saber de onde você tirou que eu coloquei que o Professor Dalmo é ultrapassado. Onde eu escrevi isso? Será que você poderia procurar nesse post ou nos arquivos desse blog? E por qual motivo eu escreveria isso se meu argumento se estrutura justamente no fato de que a USP decaiu, ou seja, que a velha guarda é muito melhor do que o pessoal mais novo?

Quanto ao seu teste de hipóteses sobre qual é o meu intuito ao criticar a USP, ele é lamentável. Mesmo que a gestão do PSDB daqui possa ser responsável por muito coisa - e é -, o grosso mesmo do problema está na própria Academia - por sinal, as Universidades são autonômas no Brasil.

A bola da endogenia que o Idelber levantou é um fato concreto - e olha que o caso na área de Letras nem é o pior, a Sanfran e a FEA que o digam. Aliás, pegue como exemplo o curso de Economia da UNICAMP, compare com o da USP e depois me diga onde é possível produzir mais conhecimento.

Ademais, quem dera a USP ter perdido espaço porque simplesmente as universidades das outras regiões evoluíram, que nada, ela estancou enquanto as demais regiões andaram.

Quanto a falar sobre o estado de São Paulo, sim ele perdeu importância, isso não é positivo e qualquer gráfico prova. No entanto, se você tiver a bondade de voltar aos comentários de número 97 e 114 e olhar para a palavra cidade vai entender melhor o que eu estou falando.

Por fim, não, eu não sinto prazer em viver nessa São Paulo, mas acordo todos os dias motivado a trabalhar para mudar essa realidade, mudar de cidade é muito comôdo.

Hugo Albuquerque em dezembro 18, 2008 7:48 PM


#126

Caro Hugo, em primeiro lugar seu conceito sobre o que é importante, ou superior, difere do meu. Ponto.
Mas muito me anima o fato de você interromper qualquer coisa para rir. Ler blogs tem dessas coisas.
Dos nomes que citei primeiramente, somente dois não mais pertence ao quadros docentes atuais da FFLCH-USP. Mas considero isso uma besteira. Esse Papo não é importante a tese nehuma. Basta.
Hugo, qual foi o rótulo que coloquei sobre seu pescoço?
Sinceramente só afirmei que suas ideias sobre a USP coincidiam com as dos OESP e R.C e outros.
Mas se você não é leitor de nenhum delss, não tem ideia sobre o que eles pensam sobre isso, não se importa, qual é seu problema? Porque se defender?
Oras, muito providencial jogar com a bola que o Idelber levantou, a tal da endogenia. É realmente muito boa.
Discurse sobre ela então.
Eu não vou voltar aos comentarios citados por você. Defender ideas é um trabalho duro, o que incluiu repeti-los à exasutão. Ou reconsidera-los, à exaustão.
Mas se fosse eu que tivesse citado os tais gráficos, 'qualquer gráfico prova', os links estariam no comentario. Quaisquer que fossem que pudessem sustentar minhas 'teses'.
Mas fica um tanto chato, depois da intervenção polida do Idelber, continuarmos nessa arenga. Né não?
Até mais e abraços

fm em dezembro 18, 2008 10:57 PM


#127

Off topic, mas importantíssimo pra mim. Nem sei se será lido depois desses 125 comentário.

Idelber, sei que você trabalha com literatura. Eu defendi em 16 de outubro minha dissertação de mestrado sobre o livro Notas de Manfredo Rangel, de Sérgio Sant'Anna, orientada pelo professor doutor Jaime Ginzburg.
Gostaria de saber se você quer que eu a envie. Seria uma honra se você pelo menos desse uma olhada no meu trabalho. Só não sei por qual e-mail eu poderia enviá-lo.
Desculpe ter saído do assunto, e parabéns pelo blog, que leio sempre.

Carlos Vinicius em dezembro 19, 2008 12:28 AM


#128

Sobre o curso de história da USP, estou extremamente impressionado com a valorização da ignorância e com o pouco conhecimento de história. Meu namorado tem alguns amigos que fazem doutorado e mestrado lá e fizeram graduação lá. Impressionante. Não saber é motivo de orgulho. Um amigo dele que está fazendo mestrado é algo impressionante: se orgulha de ter feito praticamente um trabalho só na faculdade e de apresentá-lo em diversas matérias. Se orgulha de nunca ter lido Hobbsbawn somente porque o orientador fez críticas ao autor. Um amiga dele que está fazendo doutorado e estuda também tem limitadíssimos conhecimentos de história mesmo. Não leu Hobsbawn tb. E como justificativa para não saber dos temas que não estuda alega que para falar de algo tem que destrinchar praticamente todos os documentos. Unica coisa que importa é o método e não o objeto. Vcs podem falar que isso não é geral, mas sim casos isolados. Meu namorado que fez um ano de história fala que não é. Ele aprendeu muito pouco. Não sei se o problema é da USP ou dos cursos de humanas no geral, que na minha opinião estão descambando para uma ultra-especialização mediocrizante combinada com um preconceito extremo contra o saber, pois se deve aprender a aprender, não ficar decorando grámatica, datas e onde fica os rios. Claro isso tudo são visões de um economista heterodoxo. Como a ortodoxia economica é fundamentada na lógica pura, completamente desprendida da realidade, acabei me tornando muito empiricista. Ter conhecimento do objeto é fundamental para verificar validade das teorias. Eu acho que a escolha da teoria não deve ser feita por ser a mais bonita, mais conceituada ou do seu orientador. De qualquer forma, a minha impresão de que parte dos cursos de ciências humanas no Brasil está descambando para exigências cada vez menores. Pode-se formar aprendendo pouquissima coisa. Porque que os próprios professores de 2 grau (dos bons colégios) aceitam tratar história e geografia como matérias fáceis, que não precisa levar tão a sério quanto matemática e física?

Bruno em dezembro 19, 2008 12:34 AM


#129

Idelber,
O comentário não diz respeito ao seu post, mas não resisti em fazê-lo. Voce viu a atitude do Fernando Meirelles? Em cerimônia realizada pelo pessoal da Editora Abril, ele recebeu um prêmio de "brasileiro do ano" e ofereceu-o ao Juiz De Sanctis!! Nas barbas de Civita, Eurípedes Alcântara, Reinaldo Azevedo, Diogo mainardi e cia.! Esse é outro grande brasileiro. Lavou a alma das pessoas de bem deste país.

Cláudio Freire em dezembro 19, 2008 7:27 AM


#130

Ops, corrigindo: o prêmio foi de "paulistano do ano"...

Cláudio Freire em dezembro 19, 2008 7:35 AM


#131


Idelber,

No meu blogue eu escrevi um post (lincado) comparando os processos seletivos nas universidades americanas e brasileiras (na area de Letras). Por isso fiz uma pequena pesquisa sobre o processo de endogamia intelectual na USP.

85% dos professores de sociologia da USP fizeram doutorado na USP.

80% dos professores de literatura comparada da USP fizeram doutorado na USP.

Isso sem falar da filosofia, ciencia politica, etc.

Isso dito, discordo do comentário de Hugo Albuquerque (#92) que a USP é um ninho tucano-pefelento. Não é bem assim mesmo. Muito dos quadros intelectuais do petismo e do psolismo são oriundos da USP, e há muitos simpatizantes desses partidos que continuam na USP.

Cesar em dezembro 19, 2008 10:09 AM


#132

fm

Minha tese central é, na verdade, uma indagação: Qual o motivo das gerações anteriores da USP serem bem superiores a essa que está aí e por qual motivo as coisas estão estancadas? Eu conectei isso a um processo complexo que envolve desde a decadência da própria cidade de São Paulo até problemas internos que existem lá dentro.

Ademais, sim, desde o momento que você associa o que uma pessoa escreveu ao que uma figura como RA fala ou escreve você está colando um rótulo nela, torna bem mais fácil a argumentação, mas desvia a prosa do essencial que é o debate de idéias. Também não estou "arengando" com você, na verdade eu perguntei onde eu escrevi o que você disse que escrevi. Simples assim.

Quanto ao fato de me referir que qualquer gráfico prova o que eu estou dizendo, sim, é verdade, é de conhecimento comum o que eu escrevi e se eu estou errado prove o contrário em vez de fazer ilações sobre isso.

Cesar,

Vamos com calma, o comentário #92 não é meu, mas sim do Murilo, o que eu fiz foi concordar com parte dele. Mas sim, há alguns anos uma onda conservadoresca se abateu sobre grande parte das faculdades uspianas - exceto, claro, a FFLCH e parte da ECA, mas a Sanfran, POLI e FEA estão sim terrivelmente reacionárias, sendo que o último caso, diga-se de passagem, é o mais grave, chegando a ser discrepante entre eles.

Hugo Albuquerque em dezembro 19, 2008 12:53 PM


#133

É extremamente off-topic, mas vcs viram esse site: http://www.thankyouforthrowingyourshoe.com/?

Lauro Mesquita em dezembro 19, 2008 1:34 PM


#134

Apaguei um comentário do Frank aí acima, porque o próprio Frank me pediu.

Cláudio, vi, sim, esse gesto sensacional do Meirelles. Subiu 1000 pontos no meu conceito.

Carlos, já lhe enviei um email. Claro que eu gostaria de ver a tese.

Abração.

Idelber em dezembro 19, 2008 2:53 PM


#135

Sobre a USP, recomendo com muita ênfase o post do Cesar. Está linkado aí sob o nome dele, no comentário 130.

Idelber em dezembro 19, 2008 2:55 PM


#136

Idelber,
muito bom o posto do César, confirmando algumas impressões que tenho ao colher relatos de amigos que andaram pelos Isteites na vida acadêmica.
De modo geral, acho que há pouca circulação intelectual no Brasil, gerada não apenas pela endogamia, mas pela própria concentração de recursos, equipamento, vida cultural etc. em determinadas regiões. Na minha área (sociologia ou ciências sociais, pra ampliar), conheço vários casos de pessoas formadas no Rio que até fazem concursos para estados tidos como fora do "eixo", mas em geral não ficam por lá muito tempo, logo buscando outra posição no Sudeste, na UFRGS, na UFPE ou em outras tidas como "de ponta". Fico com a impressão que há uma certa aversão a circular nacionalmente, acumulando experiência e ampliando a agenda em diversos locais. Claro que isso demandaria políticas públicas que democratizassem recursos, apoiassem centros emergentes e que articulassem a universidade a vida de centros urbanos médios etc. Pô, isso daria um post legal no teu blog, rs.

João Marcelo em dezembro 19, 2008 3:31 PM


#137

Tá na agenda esse post. Considerando-se ondo moro, e outras coisas, é um post a se fazer com cuidado (muitos, ou todos, aqui, entenderão as razões). Mas vai rolar, sim.

Idelber em dezembro 19, 2008 3:44 PM


#138

PROTÓGENES NO RODA VIVA
22/12/2008 - Ao vivo às 22h10

PROTÓGENES QUEIROZ
Delegado da Polícia Federal

Entrevistadores: Ricardo Noblat, colunista do jornal O Globo e titular do Blog do Noblat; Renato Lombardi, comentarista do Jornal da Cultura; Fernando Rodrigues, colunista e repórter do jornal Folha de S. Paulo em Brasília e Fausto Macedo, repórter de política do jornal O Estado de S. Paulo.

Apresentação: Lillian Witte Fibe
fonte: http://www.tvcultura.com.br/rodaviva/

ALEX em dezembro 19, 2008 5:33 PM


#139

SOMOS UMA INVENÇÃO!

19/12/2008 - 18:03 - Blog do Nassif

Gilmar Mendes e os Blogs

Por Dinha
Muito interessante:

Gilmar Mendes em coletiva hoje no STF, disse que os blogs - de sua oposição - inventam leitores. Que esses comentários nos blogs que o criticam são fictícios. Armados.

Segundo ele, Paulo Markun , durante entrevista na TV Cultura, disse estava preocupado com protestos e manifestações na porta da emissora , por conta da entrevista dele no programa.

Gilmar Mendes disse ao Markun : ” Essa gente não lotaria nem mesmo uma Kombi”.

PS: De certo a referência dele é a das Kombis que a Folha emprestou para a ditadura…

Adicional com algo do tipo, aquele é um mundo surreal e sem importância. Ou seja, o dos comentaristas e leitores de blogs.

Disse ainda que a Carta Capital ( sem dar o nome) é financiada e aparelho de Estado.

Afinal, quando é que os blogueiros vão fazer um movimentos para o MOSTRE A SUA CARA ALÉM DO COMPUTADOR?

Acho que deveríamos unir os blogs , lotar e plotar algumas Kombis e em comboio e dar as caras para bater na porta do STF.

Poderíamos plotar as KOMBIS do povo com a frase: NADA SURREAL , AINDA QUE REALMENTE INDIGNADOS

Posso até ver o presidente do Supremo fugindo como o leão da montanha em seu carro chapa branca - que longe está de ser uma kombi.

Fica a idéia para 2009

Enviado por: luisnassif - Categoria(s): Mídia

19 de Dezembro de 2008 18:28

ALEX em dezembro 19, 2008 5:35 PM


#140

INCRÍVEL COMO A UDN RENASCEU E ESTÁ SE FORTIFICANDO, NÃO?

Renato Aloizio de Oliveira Gimenes em dezembro 20, 2008 8:02 AM


#141

Gostei muito das perguntas e só gostaria de acrescentar mais uma:

26) Será que o Min. Gilmar Mendes considera que a pessoa com deficiência não é cidadã? A falta de acessibilidade nas salas eleitorais é justificativa para tornar o voto dos deficientes facultativo?

Relembrando - Quando estava no TSE em 2004, o Min. Gilmar Mendes apresentou um voto afirmando que o deficiente não seria obrigado a votar. Entre as justificativas estapafúrdias estavam a de que "a Constituição nada diz sobre o voto dos inválidos" e que "nem todas as salas de votação tem acesso adequado a deficientes físicos". Ou seja, pra ele é preferível desobrigar o deficiente de votar a implementar acessibilidade nas zonas eleitorais (é melhor varrer a casa ou jogar sujeira pra debaixo do tapete?).

Lou em dezembro 30, 2008 8:01 PM


#142

Sobre a USP:

A USP, sob os tucanos, está apenas se
reencontrando com seu destino. Foi fundada pela elite paulista para servi-la e para dar o trôco à revolução de 30, que lhe arrebatou o poder nacional. Como o estado de São Paulo pertencia literalmente aos membros dessa elite, usaram o dinheiro público para implementá-la. Queriam trazer o que houvesse de melhor no mundo para ensinar a seus filhos. Mas cometeram dois erros. Trouxeram o que havia de melhor também nas ciências humanas, não fizeram uma filtragem de acordo com seus interesses ideológicos. E mesmo sendo uma universidade pública, acreditaram que só seus filhos seriam capazes de a ela, USP, terem acesso. Quem veio ensinar nas humanas, criou no Brasil um viveiro de idéias extraordinárias, e a elite paulista não esperava por isso. E na primeira geração de formandos, despontava um nome: Florestan Fernandes, oriundo das camadas mais pobres da população, e que por seu talento e aplicação, deu o mote para o crescimento e a fecundidade daquele viveiro deixado pelos mestres de fora. A USP fugiu a seus fins, que eram respaldar teoricamente os interesses da elite paulista. A USP foi um farol de idéias que, em lugar de subordinarem o país, ajudaram e muito ao Brasil em sua longa caminhada para tornar-se uma nação madura e independente. Mas os tempos passaram. Surgiu um partido paulista que claramente se propôs a retomar os mesmos interesses ideológicos da velha elite, casando-os com um respaldo intelectual ( por ironia, oriundo da própria USP) que se apoiava nas idéias globais do pensamento único e da inexorabilidade da vitória definitiva dos postulados liberais do capitalismos. Este casamento foi um retorno às velhas aspirações hegemônicas dos barões paulistas, que por trinta anos fizeram o Brasil estagnar-se enquanto São Paulo crescia, iludindo algumas oligarquias regionais que se venderam ao seu comando. Este novo partido, veio substituir o velho Partido Republicano Paulista, o único partido republicano do mundo que era escravagista, e que foi o responsável último pelo golpe de estado que derrubou o Império. Este novo partido, por seus líderes, quando empalmou o governo federal, afirmou claramente na imprensa que tinha por objetivo enterrar definitivamente a Era Vargas. Porque foi Vargas quem destruiu a corrente de fraudes e mentiras que prendiam o Brasil aos interesses de São Paulo. Durante os oito anos que ficou no poder da nação, este novo PRP tentou destruir sistematicamente a gigantesta obra de Vargas. Não a destruiu totalmente porque ela é gigantesca. Mas quanto à USP, os novos intelectuais do novo PRP souberam confundir a mente de seus pensadores. Souberam aproveitar-se dos vícios do academicismo, para levá-lo a ser estéril e alienado. Souberam obnubilar as mentes dos estudantes. Desfecharam seguidos golpes de morte na autonomia e no incomensurável potencial da universidade. Esta era a universidade que a velha, nova e mesma elite paulista queria e quer. Estéril, confusa e servindo a seus interesses. Este desiderato, se foi afastado pelo voto popular de seu predomínio sobre o Brasil, ainda permanece no estado de São Paulo, cujo governo àquele partido pertence.

Antonio José Soares Brandão em janeiro 28, 2009 8:22 PM


Jean Scharlau em fevereiro 27, 2009 5:15 PM


#144

Señor Idelber:
estoy orgullosa de conocer personas como usted; que a traves de su trabajo como este, hacen que el Brasil despierte y comience a hacer respetar sus derechos
felicitaciones

Lili em abril 28, 2009 1:18 PM


#145

Caro Idelber; está acontecendo uma puta duma sacanagem na rede que temos que denunciar. Algumas pessoas, sem o menor escrúpulo, copiam textos que consideram relevantes e enviam através de e-mails spans sem colocar o nome do autor, e o que é pior, algumas vezes tentando se fazer passar por ele.

Outro dia me indispus com uma pessoa que me acusou antes de me comunicar, de copiar um texto seu sem lhe dar os devidos créditos. Não tirei sua razão, o texto estava creditado a outro autor, da forma que me foi enviado. Só não gostei da forma como foi tratado o assunto.

Hoje eu descobri o verdadeiro autor das "25 perguntas ao Gilmar Mendes", com o final modificado, por causa dos comentários no Dialógico, se não tinha passado batido.

Está dado o crédito. Da próxima vez, terei o cuidado de verificar no Google para descobrir o verdadeiro autor.

Carlinhos Medeiros em maio 16, 2009 6:54 PM