Meu Perfil
Um blog de esquerda sobre política, literatura, música e cultura em geral, com algum arquivo sobre futebol. Estamos na rede desde 28/10/2004.



Email:
idelberavelar arroba gmail ponto com

No Twitter No Facebook No Formspring No GoogleReader RSS/Assine o Feed do Blog

O autor
Curriculum Vitae
 Página pessoal em Tulane


Histórico
 setembro 2015
 dezembro 2014
 outubro 2014
 maio 2014
 abril 2014
 maio 2011
 março 2011
 fevereiro 2011
 janeiro 2011
 dezembro 2010
 novembro 2010
 outubro 2010
 setembro 2010
 agosto 2010
 agosto 2009
 julho 2009
 junho 2009
 maio 2009
 abril 2009
 março 2009
 fevereiro 2009
 janeiro 2009
 dezembro 2008
 novembro 2008
 outubro 2008
 setembro 2008
 agosto 2008
 julho 2008
 junho 2008
 maio 2008
 abril 2008
 março 2008
 fevereiro 2008
 janeiro 2008
 dezembro 2007
 novembro 2007
 outubro 2007
 setembro 2007
 agosto 2007
 julho 2007
 junho 2007
 maio 2007
 abril 2007
 março 2007
 fevereiro 2007
 janeiro 2007
 novembro 2006
 outubro 2006
 setembro 2006
 agosto 2006
 julho 2006
 junho 2006
 maio 2006
 abril 2006
 março 2006
 janeiro 2006
 dezembro 2005
 novembro 2005
 outubro 2005
 setembro 2005
 agosto 2005
 julho 2005
 junho 2005
 maio 2005
 abril 2005
 março 2005
 fevereiro 2005
 janeiro 2005
 dezembro 2004
 novembro 2004
 outubro 2004


Assuntos
 A eleição de Dilma
 A eleição de Obama
 Clube de leituras
 Direito e Justiça
 Fenomenologia da Fumaça
 Filosofia
 Futebol e redondezas
 Gênero
 Junho-2013
 Literatura
 Metablogagem
 Música
 New Orleans
 Palestina Ocupada
 Polí­tica
 Primeira Pessoa



Indispensáveis
 Agência Carta Maior
 Ágora com dazibao no meio
 Amálgama
 Amiano Marcelino
 Os amigos do Presidente Lula
 Animot
 Ao mirante, Nelson! (in memoriam)
 Ao mirante, Nelson! Reloaded
 Blog do Favre
 Blog do Planalto
 Blog do Rovai
 Blog do Sakamoto
 Blogueiras feministas
 Brasília, eu vi
 Cloaca News
 Consenso, só no paredão
 Cynthia Semíramis
 Desculpe a Nossa Falha
 Descurvo
 Diálogico
 Diário gauche
 ¡Drops da Fal!
 Futebol política e cachaça
 Guaciara
 Histórias brasileiras
 Impedimento
/  O Ingovernável
 Já matei por menos
 João Villaverde
 Uma Malla pelo mundo
 Marjorie Rodrigues
 Mary W
 Milton Ribeiro
 Mundo-Abrigo
 NaMaria News
 Na prática a teoria é outra
 Opera Mundi
 O palco e o mundo
 Palestina do espetáculo triunfante
 Pedro Alexandre Sanches
 O pensador selvagem
 Pensar enlouquece
 Politika etc.
 Quem o machismo matou hoje?
 Rafael Galvão
 Recordar repetir elaborar
 Rede Brasil Atual
 Rede Castor Photo
 Revista Fórum
 RS urgente
 Sergio Leo
 Sexismo na política
 Sociologia do Absurdo
 Sul 21
 Tiago Dória
 Tijolaço
 Todos os fogos o fogo
 Túlio Vianna
 Urbanamente
 Wikileaks: Natalia Viana



Visito também
 Abobrinhas psicodélicas
 Ademonista
 Alcinéa Cavalcante
 Além do jogo
 Alessandra Alves
 Alfarrábio
 Alguém testou
 Altino Machado
 Amante profissional
 Ambiente e Percepção
 Arlesophia
 Bala perdida
 Balípodo
 Biajoni!
 Bicho Preguiça
 Bidê Brasil
 Blah Blah Blah
 Blog do Alon
 Blog do Juarez
 Blog do Juca
 Blog do Miro
 Blog da Kika Castro
 Blog do Marcio Tavares
 Blog do Mello
 Blog dos Perrusi
 Blog do Protógenes
 Blog do Tsavkko, Angry Brazilian
 Blogafora
 blowg
 Borboletas nos olhos
 Boteco do Edu
 Botequim do Bruno
 Branco Leone
 Bratislava
 Brontossauros em meu jardim
 A bundacanalha
 Cabaret da Juju
 O caderno de Patrick
 Café velho
 Caldos de tipos
 Cão uivador
 Caquis caídos
 O carapuceiro
 Carla Rodrigues
 Carnet de notes
 Carreira solo
 Carta da Itália
 Casa da tolerância
 Casa de paragens
 Catarro Verde
 Catatau
 Cinema e outras artes
 Cintaliga
 Com fé e limão
 Conejillo de Indias
 Contemporânea
 Contra Capa
 Controvérsia
 Controvérsias econômicas
 Conversa de bar
 Cria Minha
 Cris Dias
 Cyn City
 Dançar a vidao
 Daniel Aurélio
 Daniel Lopes
 de-grau
 De olho no fato
 De primeira
 Déborah Rajão
 Desimpensável/b>
 Diário de Bordo
 Diario de trabajo
 Didascália e ..
 Diplomacia bossa nova
 Direito e internet
 Direitos fundamentais
 Disparada
 Dispersões, delírios e divagações
 Dissidência
 Dito assim parece à toa
 Doidivana
 Dossiê Alex Primo
 Um drible nas certezas
 Duas Fridas
 É bom pra quem gosta
 eblog
 Ecologia Digital
 Educar para o mundo
 Efemérides baianas
 O escrevinhador
 Escrúpulos Precários
 Escudinhos
 Estado anarquista
 Eu sei que vivo em louca utopia
 Eu sou a graúna
 Eugenia in the meadow
 Fabricio Carpinejar
 Faca de fogo
 Faça sua parte
 Favoritos
 Ferréz
 Fiapo de jaca
 Foi feito pra isso
 Fósforo
 A flor da pele
 Fogo nas entranhas
 Fotógrafos brasileiros
 Frankamente
 Fundo do poço
 Gabinete dentário
 Galo é amor
'  Garota coca-cola
 O gato pré-cambriano
 Geografias suburbanas
 Groselha news
 Googalayon
 Guerrilheiro do entardecer
 Hargentina
 Hedonismos
 Hipopótamo Zeno
 História em projetos
 Homem do plano
 Horas de confusão
 Idéias mutantes
 Impostor
 Incautos do ontem
 O incrível exército Blogoleone
 Inquietudine
 Inside
 Interney
 Ius communicatio
 jAGauDArTE
 Jean Scharlau
 Jornalismo B
 Kit básico da mulher moderna
 Lady Rasta
 Lembrança eterna de uma mente sem brilho
 A Lenda
 Limpinho e cheiroso
 Limpo no lance
 Língua de Fel
 Linkillo
 Lixomania
 Luz de Luma
 Mac's daily miscellany
 O malfazejo
 Malvados
 Mar de mármore
 Mara Pastor
 Márcia Bechara
 Marconi Leal
 Maria Frô
 Marmota
 Mineiras, uai!
 Modos de fazer mundos
 Mox in the sky with diamonds
 Mundo de K
 Na Transversal do Tempo
 Nación apache
 Nalu
 Nei Lopes
 Neosaldina Chick
 Nóvoa em folha
 Nunca disse que faria sentido
 Onde anda Su?
 Ontem e hoje
 Ou Barbárie
 Outras levezas
 Overmundo
 Pálido ponto branco
 Panóptico
 Para ler sem olhar
 Parede de meia
 Paulodaluzmoreira
 Pecus Bilis
 A pequena Matrioska
 Peneira do rato
 Pictura Pixel
 O pífano e o escaninho
 Pirão sem dono
 políticAética
 Política & políticas
 Política Justiça
 Politicando
 Ponto e contraponto
 Ponto media
 Por um punhado de pixels
 Porão abaixo
 Porco-espinho e as uvas
 Posthegemony
 Prás cabeças
 Professor Hariovaldo
 Prosa caótica
 Quadrado dos Loucos
 Quarentena
 Que cazzo
 Quelque chose
 Quintarola
 Quitanda
 Radioescuta Hi-Fi
 A Realidade, Maria, é Louca
 O Reduto
 Reinventando o Presente
 Reinventando Santa Maria
 Retrato do artista quando tolo
 Roda de ciência
 Samurai no Outono
 Sardas
 Sérgio Telles
 Serbão
 Sergio Amadeu
 Sérgio blog 2.3
 Sete Faces
 Sexismo e Misoginia
 Silenzio, no hay banda
 Síndrome de Estocolmo
 O sinistro
 Sob(re) a pálpebra da página
 Somos andando
 A Sopa no exílio
 Sorriso de medusa
 Sovaco de cobra
 Sub rosa v.2
 SublimeSucubuS
 Superfície reflexiva
 Tá pensando que é bagunça
 Talqualmente
 Taxitramas
 Terapia Zero
 A terceira margem do Sena
 Tiago Pereira
 TupiWire
 Tom Zé
 Tordesilhas
 Torre de marfim
 Trabalho sujo
 Um túnel no fim da luz
 Ultimas de Babel
 Um que toque
 Vanessa Lampert
 Vê de vegano
 Viajando nas palavras
 La vieja bruja
 Viomundo
 Viraminas
 Virunduns
 Vistos e escritos
 Viva mulher
 A volta dos que não foram
 Zema Ribeiro







selinho_idelba.jpg


Movable Type 3.36
« Monteiro Lobato, o racismo e uma falsa polêmica :: Pag. Principal :: Aviso »

domingo, 14 de novembro 2010

Links de domingo

Aí vão alguns links dominicais para seu prazer navegador:

Alguém no PCdoB deveria bater um papo com o Deputado Aldo Rebelo. Está ficando vexaminoso. Depois de traficar informação falsa sobre a não existente “censura” a Monteiro Lobato, o deputado escreveu um artigo para a Folha em que, movido pelo salutar desejo de combater a xenofobia anti-Nordeste, mistifica a história do Brasil com expressões do tipo "heróis nacionais como Caxias" e "a elite ilustrada paulista jamais renegou a origem indígena". Prestes deve estar se revirando no túmulo, com um comunista louvando Caxias, Raposo Tavares e Pedro de Toledo. Um poço de mistificação, o artigo.

*********

O blog da Companhia das Letras publicou um texto de Lygia Fagundes Telles sobre Monteiro Lobato precedido de um cabeçalho da editora do blog, Marta Garcia, em que se dizia que o Conselho Nacional de Educação havia recomendado que Caçadas de Pedrinho “ não fosse distribuído pelo governo nas escolas públicas brasileiras”. Alertado por inúmeros leitores, entre eles este membro da ala atleticana do trotskismo, de que a informação era falsa, o blog da Companhia teve a nobreza de se retratar e incluir uma correção. Parabéns à Companhia das Letras. Na Veja, a Lya Luft também traficou a patacoada de que Lobato foi "banido". Dessa aí, evidentemente, não há que se esperar nenhuma retratação.

*********

Por falar em editoras: ainda não sei se escreverei um post completo sobre isso mas, no meu modo de ver, a Editora Record está pagando um mico federal ao armar esse escândalo pela premiação do Jabuti a Leite Derramado, de Chico Buarque. O chororô se dá por causa da derrota de um livro, Se eu fechar os olhos agora (do jornalista da Globo Edney Silvestre), que não tem absolutamente nada de muito especial. Na modesta opinião deste blogueiro, o melhor romance do ano passado não foi nenhum dos dois. Foi O Filho da Mãe, de Bernardo Carvalho. A história das mesquinharias envolvendo prêmios literários foi narrada de forma definitiva por Borges no conto “O Aleph”. Mas a queixa da Editora Record-- de que houve vitória de seu candidato numa categoria e derrota dele para o segundo colocado da categoria no prêmio geral -- já aconteceu várias vezes no Jabuti, inclusive com a Record sendo beneficiada. Minha querida Luciana, não entre nessa. Conversem com o Cristóvão Tezza. Com certeza ele terá palavras sensatas sobre o caso. Como contribuição, deixo o PDF de um longo (longuíssimo) artigo meu sobre o valor literário, que sai publicado no próximo número da Revista Brasileira de Literatura Comparada. De qualquer forma, é ridículo dizer que, num confronto entre Leite Derramado e Se eu fechar os olhos agora, o segundo perdeu porque "foi roubado". Trata-se de um romance infinitamente mais convencional e formulaico (e eu gosto do Edney, pessoa gentil e afável, que se prepara muito bem para seus programas). Mas me desculpem: escritor que é escritor escreve e ponto. Não fica chorando por prêmio. Escreva: o reconhecimento vem por acréscimo.

*********

No NaMaria News, mais um post indispensável (dizer "um post indispensável do NaMaria News", claro, é o maior pleonasmo blogueiro que há) mostrando uma das mil razões pelas quais Gabriel Chalita não deve, não pode ser Ministro da Educação. Há outras. Revelá-las-emos aqui.

*********

No Viomundo, o Professor Miguel Nicolelis, da minha querida Duke University, detonou os palpiteiros da mídia com requintes de crueldade numa entrevista sobre o ENEM. Parabéns mais uma vez ao Azenha, sempre atinado.

*********

A Carta Capital desta semana veio com chumbo grosso de Leandro Fortes sobre as maracutaias de Gilmar Mendes em Diamantino. Entre elas, a incrível história do prefeito de oposição, derrubado três vezes pelas oligarquias de Mendes. Parabéns ao Leandro pela matéria e parabéns a ele e ao querido Bob Fernandes pela volta do Baêa à primeira divisão, seu lugar de direito.

*********

O Partido Socialismo e Liberdade tomou uma ótima iniciativa: entrou com ação pedindo que STF declare a omissão do Congresso em regulamentar o direito de resposta. Isso já tinha sido tentado pela Fenaj que, pelo que parece, não tinha competência legal para fazê-lo. Vejamos agora.

*********

Nos próximos dois dias, visite a Brasiliana e leia “As Academias de Sião”, de Machado de Assis. Bateremos um papo sobre o conto aqui, na terça-feira, como parte do Clube de Leituras trotsko-atleticano.

*********

Para você que gosta de futebol americano, o Blog do Alê traz um sensacional vídeo mostrando que o jeitinho brasileiro também já deu as caras no esporte.

*********

Neste fim de semana, aconteceu maratona mundial de protesto contra o muro israelense do Apartheid. No Brasil, o Ciranda.net tem se destacado na luta.



  Escrito por Idelber às 08:49 | link para este post | Comentários (41)


Comentários

#1

Sem querer bancar o comentarista agressivo, mas já indo neste sentido:

1-) http://www.google.com.br/search?q=sat+criticism&ie=utf-8&oe=utf-8&aq=t&rls=org.mozilla:pt-BR:official&client=firefox-a

2-) Ao que me lembre, ninguém é obrigado a fazer o SAT nos EUA se não for fazer faculdade.

3-) E outro ponto importante ficou de fora da entrevista do Nicolelis: não é o SAT que diferencia a admissão das universidades americanas frente às brasileiras, mas o fato que o exame escrito é apenas uma pequena parte desta admissão. Um aluno pobre do Bronx tem muito mais chances de admissão em Harvard que um aluno de classe alta de Long Island com a mesmissima nota no SAT.

Manter qualquer prova, independente da qual seja, como unica forma de admissão não funciona. Ainda mais se a prova for a mesma para Artes e para Engenharia.

André Kenji em novembro 14, 2010 10:38 AM


#2

Sim, sim, sim! Tens toda a razão. O que teríamos que fazer é transformar o ENEM em um dos elementos de admissão. Mas se continuarem detonando a ideia do exame como um todo, não chegaremos lá nunca.

Idelber em novembro 14, 2010 10:41 AM


#3

Sensacionais, como sempre, os links, Idelber. É com essa mistura de reflexão acadêmica e manha de militante que você mantém pendurados nessa caixa de comentários gente de tanta qualidade. Este é um dos poucos blogs que eu não abandono logo após a leitura do Google Reader -- faço questão de clicar no link e escutar a conversa.

Depois da rasgação de seda, vamos lá: não li em nenhum lugar a Editora Record dizer que o prêmio "foi roubado" (por que as aspas no seu post?). O problema, para eles, é a falta de transparência da eleição do Jabuti, do qual eles *pagam* para participar. Não acho uma idéia absurda, tampouco um "mico federal", a editora decidir não financiar um evento que tem um processo de seleção no mínimo idiossincrático, segundo o qual o melhor livro do ano não é o melhor romance do ano (ou o melhor libro de poesias, ou o melhor livro de contos). De qualquer forma, eles já deixaram claro que os autores da editora estão livres para inscreverem (e pagarem) individualmente suas obras no concurso do ano que vem. Qual é o problema?

Quanto à entrevista do Nicolelis, ele está reclamando que jornalistas não são especialistas em educação (ou em neurologia, ou em literatura comparada)? É só isso?

Rafael em novembro 14, 2010 10:50 AM


#4

Double post, foi mal: não consegui acessar o seu artigo. Você pode dar uma conferida no link?

Rafael em novembro 14, 2010 10:56 AM


#5

Rafael, "foi roubado" está no link! É declaração do Sérgio. É só seguir o link =)

Quanto ao Nicoledis, acho que ele está dizendo o seguinte: tem jornalista aí que não tem a menor ideia do que é um exame de admissão dando palpite sobre exame de admissão.

Obrigado pelas palavras gentis!

Idelber em novembro 14, 2010 10:57 AM


#6

Desculpe, Rafael, eu tinha me esquecido de tornar o documento público no meu Google Docs. Agora sim, vai entrar.

Idelber em novembro 14, 2010 11:02 AM


#7

André, acho que não é justo criticar um projeto em construção pela via de um projeto acabado. É como parar na frente de uma obra ainda nos alicerces e observar que lá no seu prédio tem janelas e elevadores.

O ENEM tem hoje outros usos no Brasil (certos ou errados, não importa no momento): serve de exame de conclusão do Ensino Médio, permite aferir a qualidade das escolas da rede pública, entre outros. Daí a obrigatoriedade.

O processo para chegar a um método razoável de admissão ao ensino superior é bem longo e algo como o ENEM é só um passo. Mas um passo necessário e, na minha opinião, muito melhor que vestibulares formais ou provinhas fake que inúmeras faculdades particulares utilizam.

Paulo Candido em novembro 14, 2010 11:10 AM


#8

SAT pela internet? Como seria isso?

Sou ,ainda,uma "internautafuncional"e não consigo entender como isso não prejudicaria nosso "pobre vestibulando pobre"`que tem,felismente,no ENEM,direito de admissão em uma das muitas univercidades publicas?
Entendi errado ou Nicolelis disse isso mesmo na entrevista?

SoniaMZ Roque em novembro 14, 2010 11:18 AM


#9

Perdão, perddão perdão!!! Erro imperdoavel, é univerSidade!

SoniaMZ Roque em novembro 14, 2010 11:35 AM


#10

Pois é, Idelber, tinha lido a entrevista mais cedo, mas não atentei para o "roubado". Declarações incendiáras à parte, a crítica ao critério de seleção do prêmio tem lá seu fundamento, no meu juízo. Não conheço outra premiação no mundo na qual o segundo lugar em uma sub-categoria ganha na categoria geral, concorrendo contra o próprio título que o tinha vencido.

O link do seu artigo funcionou agora, valeu mesmo.

Rafael em novembro 14, 2010 11:35 AM


#11

Rafael, essa discrepância em prêmios literários é super comum. A explicação é simples: são dois corpos de jurados diferentes. Um escolhe, por exemplo, o melhor romance. O outro escolhe o melhor livro em geral. Com o subjetivo que é o critério de valor em literatura, e com a quantidade de publicações que existem hoje em dia, surpreendente seria se não houvesse discrepância nenhuma =)

Idelber em novembro 14, 2010 11:41 AM


#12

Aliás, tem O Aleph em português aqui: http://conselheiroacacio.wordpress.com/2008/09/09/o-aleph-jorge-luis-borges/

(Borges en español es solo para hombres, non para nosotras chiquitas que solo lo hablan lo portunhol...)

Paulo Candido em novembro 14, 2010 12:15 PM


#13

Valeu, Paulo!

Eu e minha mania de exigir das pessoas que leiam espanhol ...

Idelber em novembro 14, 2010 12:18 PM


#14

Muito bom o vídeo de futebol americano! Ah, e eu to achando que pode muito bem dar Saints esse ano hein! Outra festa como aquela em Nova Orleans seria incrível, não?! É uma das poucas regiões americanas que eu tenho realmente vontade de conhecer, e numa comemoração de superbowl então, seria incrivel. Os Hornets estão mto bem tb, mas não se a galera daí gosta de basquete, então....
Cara, vc não sabe como foi complicado mostrar pra galera aqui em casa o que verdadeiramente ocorre com Monteiro Lobato e ENEM... o pessoal aqui tava com uma raiva do pessoal responsável por educação no governo, tudo fruto da desinformação. Mas os links do blog foram alguns dos meus argumentos que ajudaram bastante a trazer luz para essa casa!
abração

thiago em novembro 14, 2010 12:54 PM


#15

1-) Olha, considerando a forma com que a as admissões para Pósgraduação são feitas nas públicas, aonde geralmente impera o panelismo, tenho minhas dúvidas sobre a aplicação do sistema americano por aqui.

Ainda mais que o sistema brasileiro é centralizado em poucas instituições.

2-) Pessoalmente, deveria-se decidir se o ENEM é teste padronizado ou prova de admissão para universidades. Os dois fica dificil.

3-) Qualquer prova pode ser alvo de treinamento, e o ENEM não é o caminho certo. O caminho certo seria a criação de sistemas hibridos de seleção, e claro, a descentralização do sistema universitário.

Um sistema em que algumas universidades são automaticamente aceitas como as melhores não funciona. Deveria-se discutir um sistema de ampliação do sistema público de ensino, e de forçar a criação de particulares de qualidade. O que exigiria algum tipo de cobrança de mensalidade nas públicas(Sim, com bolsas para alunos de menor renda, e isso nas públicas e privadas), e este é um debate que tanto a esquerda quanto a direita deveriam abrir.

André Kenji em novembro 14, 2010 1:10 PM


#16

Infelizmente, Idelber, aqui está outra amostra do jeitinho brasileiro:

http://www.verdazzo.com.br/dossiegamba2010/

Mas meu Fluzão vai ganhar mesmo assim. Abraços!

Eduardo Guzman em novembro 14, 2010 1:12 PM


#17

E por mim, esta criação bizarra do Paulo Renato iria embora tarde.

André Kenji em novembro 14, 2010 1:18 PM


#18

Obrigado pelas palavras, Thiago e, quanto aos Saints, acho que agora eles embalaram. Nos Hornets eu confio menos =)

Eduardo, eu circulei esse link no Twitter. Levei uns 5 unfollows de corintianos...

Idelber em novembro 14, 2010 2:44 PM


#19

o que o Aldo Rebello tem de bom é trazer a tona assuntos culturais para a massa...pelo menos em algum momento a "massa" tenta discutir "estrangeirismos" e "Monteiro Lobato".

Adriana Riess Karnal em novembro 14, 2010 3:14 PM


#20

#15 - tem panelismo na seleção pras universidades públicas no Brasil, mas é preciso ver por outro lado. Do tipo: o sujeito fica cinco anos fazendo iniciação científica e vai concorrer numa vaga para o mestrado com alguém que fez iniciação científica em outra área ou não fez iniciação ou cujos antecedentes são esparsos etc. Os professores nem titubeiam: dão a vaga pra quem eles conhecem. Nesse caso não é somente panelismo, é enfrentamento do personalismo e da crença ainda recorrente de que fazer pesquisa é algo individual e isolado.

Valdir em novembro 14, 2010 3:56 PM


#21

"o que o Aldo Rebello tem de bom é trazer a tona assuntos culturais para a massa...pelo menos em algum momento a "massa" tenta discutir "estrangeirismos" e "Monteiro Lobato"."

--

Adriana (#19),

nessa linha, podemos dizer que o que a Veja tem de bom é trazer assuntos de política para a massa.

Só que, pros dois casos, distorcendo tudo não dá, né. Se for desse jeito, pra desinformar, o melhor é nem trazer a discussão.

JG_ em novembro 14, 2010 4:12 PM


#22

Idelber,

Sobre o ENEM, a prova representa um grande salto de avaliação no país pela maneira como a prova é estruturada, aliás, não vejo problema dela ser usada para, ao mesmo tempo, servir para o ingresso nas Universidades e aferir rendimento dos estudantes do Ensino Médio: Muito pelo contrário, esse hiato entre o Ensino Médio e o Superior sempre foi um dos grandes problemas do Brasil, de repente, é como se a Universidade fosse uma instância da educação desvinculada de todo o resto - dentro desse contexto, o ENEM acaba servindo como um instrumento para atar isso.

Sobre o Aldo, não o conhecia muito antes, mas a sua atuação na última legislatura foi delirante e, infelizmente, ele se reelegeu. É como se o cara tivesse saído da esquerda autoritária - em relação a qual ele sempre foi alinhado - e tivesse parado na direita autoritária, nacionalista e mistificadora - em suma, a tese do Azenha sobre a Síndrome de Estocolmo é uma boa. Eu me dei conta disso quando assisti, atônito, a um debate no TUCA sobre a Raposa Serra do Sol há dois anos atrás, onde ele simplesmente surtou quando foi pressionado pelo Ivan Valente e abandonou o encontro no meio vociferando contra os demais debatedores.

Hugo Albuquerque em novembro 14, 2010 4:40 PM


#23

"Alguém no PCdoB deveria bater um papo com o Deputado Aldo Rebelo. Está ficando vexaminoso."


Idelber, insisto, difícil mesmo de entender esse seu tom ameno em relação ao Aldo Rebelo. O PCdoB não deveria "bater um papo" com o deputado, deveria urgentemente EXPULSAR o Aldo Rebelo do partido.

Não por esses textos desorientados sobre cultura, mas sim pelo criminoso novo Código Florestal de que ele é redator.

Meus deus, esse projeto prevê:
-anistia a desmatadores;
-diminuição da extensão das matas ciliares;
-diminuição das áreas de preservação obrigatórias (reserva legal) das propriedades rurais;
-flexibilização na inviolabilidade das áreas de preservação ambiental;
-e várias barbaridades mais.

Um código que se aprovado, traria um retrocesso de décadas à preservação ambiental no país. Esse projeto só serve aos interesses de desmatadores, e vai contra qualquer coisa que se possa chamar de interesse público.

E vale lembrar que as duas últimas campanhas eleitorais pra deputado do Aldo Rebelo tiveram como principais finaciadores multinacionais do agronegócio.

Vale lembrar também que Kátia Abreu considera Aldo Rebelo um aliado na bancada ruralista.

Acho que tudo isso diz muito sobre o caráter do deputado.

Se o PCdoB ainda mantém algum respeito pela própria história, não pode permitir que essa figura faça parte do partido.

JG_ em novembro 14, 2010 5:36 PM


#24

Quero endossar aqui as palavras do internauta JG! O PCdoB não tem que "conversar" com o Aldo Rebelo, tem que expulsá-lo do partido! Esse direitona enrustido que se filie aos demos da Miss desmatamento, a Kátia Abreu! Não precisamos de mais "espalhadores do deserto" em nosso País"!!!

Vera é Dilma em novembro 14, 2010 7:37 PM


#25

Acho que o Aldo já era. Em política não se pode ser muito inflexível, mas flexibilidade demais também é uma desgraça e um partido de esquerda - ainda mais "comunista" - que se preze não pode admitir um quadro que é elogiado por Kátia Abreu porque defendem as meses coisas... Aliás, Marina Silva bem que poderia ter usado seus votos do primeiro turno para negociar um veto incondicional do Código Florestal em troca de apoio a Dilma no segundo turno - isso teria feito sua campanha valer a pena, apesar dos pesares, mais nem isso...

Hugo Albuquerque em novembro 14, 2010 7:46 PM


#26

"mais" não, ando lendo demais em francês!

Hugo Albuquerque em novembro 14, 2010 8:14 PM


#27

Hahahaha, começou a choradeira. #16
O timão voltou ao lugar de direito, pois anularam dois gols do ronaldo gordo no jogo contra o guarani. O jogo terminou 0x0. http://migre.me/2dt7X.
Pra reforçar o coro dos infelizes, a FSP de hoje descreveu o lance da seguinte forma;
"Foi quando Jorge Henrique, que entrara no lugar de Bruno César, cruzou para Ronaldo. Ao dominar a bola, o camisa 9 do Corinthians caiu para a frente, dentro da área.
Sandro Meira Ricci viu pênalti. O zagueiro Gil, que marcava Ronaldo, foi expulso. Gilberto e Fabrício, por reclamação, tomaram cartão amarelo. O técnico Cuca também foi excluído de campo."
O cara limou o zagueiro Gil do lance. E ele deu um verdadeiro golpe de 'vale-tudo no gordo.
De qualquer forma o link é do palestra itália ( o cruzeiro também o é ), e assim com a FSP, também não vale hehehehe!

fm em novembro 14, 2010 8:32 PM


#28

... valeu os Links!!!

... venho com certa infrequencia aqui neste site e é só alegria...


... bem, o Aldo é sem chance...


... o ENEM tem que continuar mas só com ENEM nem dá... tem que ter outros tipos de avaliações para se fazer justiça com a diversidade de cursos, talentos, etc...

... o Azenha é dos bão!

... esta "coisa" de prêmio para fotografia, poesia, arte e tal, sei lá..... não convence... é do tipo de panela que se mexer o caldo entorna...

Marcio Ramos em novembro 15, 2010 8:19 AM


#29

Caríssimo Idelber:

Aproveitando a liberdade da casa - já sentei e me servi do biscoito com café do sul de Minas - sugiro um um tema para tua sempre brilhante análise: o papel reservado a oposição num futuro governo Dilma. Ou, ainda melhor, qual o papel e o valor de uma boa oposição conservadora num governo democrático.

Se der tempo, entre um gol de Obina e um conto de Machado de Assis.

Grande abraço,

Roberson

Roberson em novembro 15, 2010 9:37 AM


#30

Sugestão anotada, caro Roberson. Tenho lido algumas coisinhas sobre o assunto. Acho que vale a pena esperar a transição que está em curso no PSDB e no DEM, e ver onde a coisa vai parar. Está tudo muito em fluxo ainda. Abração!

Idelber em novembro 15, 2010 10:23 AM


#31

JG, Vera, vocês têm razão, meus camaradas. Não, eu não tenho ilusões de que um papinho com o Aldo Rebelo resolveria nada. Ele já fez a escolha dele. Tem que ser expulso mesmo.

O blog tem adotado um tom mais ameno nas críticas mesmo. Não só ao Aldo, mas a todos a quem critico.

É verdade que o caso do Aldo é muito grave. Seguindo o link sobre o nome dele, no corpo do post, vão encontrar um verdadeiro dossiê sobre o cara no blog do Sakamoto. É estarrecedor.

Forte abraço, bom dia, e viva a República.

Idelber em novembro 15, 2010 10:27 AM


#32

Idelber,

Seguindo suas excelentes recomendações para um entendimento da literatura argentina, estou concluindo a leitura do "Facundo", do Sarmiento. O próximo da fila, que já esta aqui compradinho, à espera, é o "Museo de la Novela de la Eterna". Então, em relação a este segundo livro, vc tem alguma recomendação/sugestão para a leitura? Agradeço...

Pynkoo em novembro 15, 2010 10:37 AM


#33

Oi, Pynkoo, que bacana ouvir essas coisas! Saber que o blog levou alguém a ler um livro.

Então. Sobre o Macedonio, há muita crítica boa, especialmente do Ricardo Piglia. Mas eu não me preocuparia com a literatura secundária agora, não. É só abrir o "Museo" e deliciar-se. Acredite: não se parece com nada que você já leu na vida. É das coisas mais engraçadas que há. É só mergulhar mesmo. Vai lhe parecer muito estranho tudo, muito diferente. Mas acho que vai gostar =)

Idelber em novembro 15, 2010 10:57 AM


#34

Chamou-me a atenção a seguinte citação:

"a elite ilustrada paulista jamais renegou a origem indígena"

Indignação à parte (e, junto com ela, o adjetivo "ilustrada", que não me parece muito pertinente ao velho coronelismo bandeirante), uma coisa interessante é como a burguesia e as oligarquias brasileiras "terceirizam" o preconceito. Isso inclui um certo à vontade em relação aos seus antepassados não-brancos; eles funcionam mais ou menos como o "amigo judeu" de todo anti-semita. É chique ter um antepassado índio ou mesmo, como nosso idolatrado ex-presidente, um "pé na cozinha". Mostra como "não somos racistas" ("de que jeito, se a minha tatatataravó era negra?") e permite culpar as vítimas pelo racismo (como até pouco tempo se lia na Wikipédia em inglês, "os negros brasileiros mentem para o censo e dizem que são pardos"), ao mesmo tempo em que se ignora solenemente o pesado racismo estrutural da sociedade brasileira.

A "elite ilustrada" paulista pode ser que nunca tenha renegado suas "origens indígenas". Isso não exclui que tenham exterminado, sistemática e eficientemente, toda a população indígena de São Paulo (e, de quebra, boa parte da de Minas Gerais, do Ceará, do Piauí, do Paraná e do Rio Grande do Sul).

Luís Henrique em novembro 15, 2010 11:54 AM


#35

Conversa com Aldo Rebelo? hehehe
''São Paulo não discrimina os nordestinos como política nem em movimento social'' Hã??? Moro no interior de SP e quem não acha que nordestino é vagabundo é minoria aqui...

Vergonha alheia da Editora Record. Se o Sérgio Machado pensa que o Jabuti é concurso de beleza, pq ele não faz uma plástica e se inscreve? Talvez ele ganhe ,_,

...Ê Chalita! Canção Nova ensinou direitinho hein hehehe

Mariana Carvalho em novembro 15, 2010 1:21 PM


#36

Conversa com Aldo Rebelo? hehehe
''São Paulo não discrimina os nordestinos como política nem em movimento social'' Hã??? Moro no interior de SP e quem não acha que nordestino é vagabundo é minoria aqui...

Vergonha alheia da Editora Record. Se o Sérgio Machado pensa que o Jabuti é concurso de beleza, pq ele não faz uma plástica e se inscreve? Talvez ele ganhe ,_,

...Ê Chalita! Canção Nova ensinou direitinho hein hehehe

Mariana Carvalho em novembro 15, 2010 1:51 PM


#37

Fico aqui pensando comigo mesmo: tanta acuidade para detectar preconceitos nas obras de Lobato, morto e enterrado, e zero de crítica a um presidente preconceituoso, machista e homofóbico explícito. Mas é preciso coragem, né? E isso, biscoito fino, é pra poucos.

Luz em novembro 15, 2010 4:20 PM


#38

Ótimo artigo do Emir Sader:

"Colônia, Monarquia, República: pactos de elite na história brasileira"
http://www.cartamaior.com.br/templates/postMostrar.cfm?blog_id=1&post_id=615

Uma boa explicação sobre como "as elites mudam a forma da dominação, para imprimir continuidade a ela, sob outra forma política".

Fabio Passos em novembro 15, 2010 4:50 PM


#39

Lá do IPEA o resultado da dominação desta "elite" inescrupulosa:

Distribuição de renda no Brasil em 2009... dos mais ricos para os mais pobres:

42,77% - 10% mais ricos
15,92% -
10,90% -
8,26% -
6,66% -
5,23% -
4,08% -
3,09% -
2,13% -
0,96% - 10% mais pobres

É isso mesmo.
Os 10% mais ricos abocanham mais renda que 80% da população mais pobre.

IPEA - http://www.ipea.gov.br/portal/

Fabio Passos em novembro 15, 2010 4:53 PM


#40

“Escreva: o reconhecimento vem por acréscimo.”

Idelber, se você soubesse quanto creio nisso…
Por isso…


DELICADEZA
by Ramiro Conceição


Tanta gente a entrar…
Tanta gente a partir…

Será que elas testemunharam algum sonho
à solução - desse nosso mundo bisonho?

Ou foram cúmplices dum plano macabro
dum bando de assassinos engravatados?

Quanto foi o leite derramado?
Quantos ficaram enamorados?

Quantos deixados - ao adeus,
sobre esses seus pés, ateus?

Que delicadeza têm as mesas caladas
do restaurante à beira de uma estrada!


Ramiro Conceição em novembro 15, 2010 8:06 PM


#41

Parece blog de Perfeitos Idiotas Brasileiros!
Comunismo morreu faz tempo.

Pedro em dezembro 2, 2010 8:05 PM